Faça e vá, não tem desculpa!

Digam lá, passa pela cabeça de alguém – a menos que tenha gigantescos cifrões luminosos no lugar das órbitas, com prolongamentos para as circunvoluções cerebrais – nesta altura do campeonato deste massacrado planeta, andar a fazer furos para prospecção de petróleo??? E, neste caso mais imediato (mas estão concessionadas vastas partes da costa e algumas regiões do território terrestre português), em águas profundas a cerca de 46 quilómetros de Aljezur, no Algarve???

Pois é isso que intenta o consórcio internacional ENI/Galp, com o beneplácito do governo português. Um governo português traidor do futuro dos cidadãos e do planeta, enquanto faz, com falinhas mansas, promessas para enganar tolos na Conferência do Clima das Nações Unidas.

Hipocrisia a combinar tão bem com os sinais do tempo.

Há duas coisas urgentes a fazer:

  1. Participar na consulta pública que decorre até segunda-feira para decidir se o projecto de sondagem de petróleo ao largo de Aljezur deve ser submetido a procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA)… E como não???     Pode fazê-lo em: participa.pt   Bom, ressalvo a posteriori que isto é complicadíssimo de preencher… não será por acaso…
  2. Ir manifestar-se no sábado, 14 de Abril, na Praça Camões, em Lisboa. “Enterrar de Vez o Furo, Tirar as Petrolíferas do Mar”. Contra a brutalidade das petrolíferas e das energéticas e o servilismo vendido dos governos. Pelo futuro.

É obrigatório.

Comments

  1. José Meireles Graça says:

    Se vivesse em Lisboa, não estivesse a chover, não tivesse mais nada para fazer, e houvesse uma contra-manifestação que infelizmente não vai haver, era bem capaz de ir lá ver gritar (eu não, que não sou de griteiros): Morte à Coreia do Norte e quem a apoiar!

    • Fernando Antunes says:

      ???????

      Defender energias limpas e preservar o património natural do nosso território é igual a apoiar Kim Jong-Un… because f**k logic.

      Os trolls dever ter um botão qualquer que os faz dizer em qualquer mensagem, e a despropósito, “cuba”, “coreia do norte”, “esquerdalhada”. É tipo um sistema de resposta automática. O assunto pode ser exploração de petróleo ou pode ser couve lombarda. Aparentemente existem muitos caminhos que vão dar à Coreia da Norte por algum defeito das vias do raciocínio.


      • Os trolls dizem “cuba”, “coreia do norte” e “esquerdalhada” por tudo e por nada pela mesma razão que o cão de Pavlov salivava ao ouvir a sineta. O nível de inteligência é semelhante.

      • José Meireles Graça says:

        1) As energias “limpas” não são tão limpas como quer fazer crer a propaganda de quem as vende; 2) As energias “limpas”, tirando a hídrica, representam uma pequena fracção do consumo e das necessidades; 3) O custo das energias “limpas” é, no estádio actual de desenvolvimento tecnológico, muito superior ao dos combustíveis fósseis; 4) Descobrir petróleo ao largo do Algarve não seria talvez uma bonanza porque as consequências seriam, com a prevalência de ideias de esquerda lunática e festivaleira que poluem o nosso país, menos norueguesas e mais venezuelanas; 5) Venho ao Aventar como quem vai ao zoo, porque me entretém ver esta boa gente das causas e bandeiras do bem-pensismo, bichos que infelizmente não estão em vias de extinção; 6) O estatuto de troll convém-me, seria frustrante e inglório tentar infundir algum juízo nestas cabecinhas, e inútil dar-me ao trabalho de manter conversas sérias. 7) Eu sou troll e fássista e pronto. Ponham na beirinha do prato.

        • Sabedoria Popular says:

          Presunção e água benta, talicoisa e coisital…

        • Nascimento says:

          Quando te referes a ” bichos” estás a referir-te á tua familia?Qual é a parte do Zoo em que ela está?Gostam de bananas?Já sei, estão com o répteis.E ” pronto”.

        • Paulo Marques says:
        • Paulo Marques says:

          E só não seria uma bonanza porque o dinheiro iria inteiramente para a China, e quando houvesse um derrame, pagávamos nós e o turismo do Algarve.


        • José Meireles Graça

          “O estatuto de troll convém-me, seria frustrante e inglório tentar infundir algum juízo nestas cabecinhas, e inútil dar-me ao trabalho de manter conversas sérias. 7) Eu sou troll e fássista e pronto. Ponham na beirinha do prato” 1

          Ecu…logista, pretensioso, troll, fássista e…PARVO !

          Dê-se então “ao trabalho útil de incutir conversas sérias”, nos lugares apropriados, ou seja…NUM ZOO PERTO DE SI !

          Aí, tenho a certeza, não se sentirá inglóriamente frustrado, pois terá uma atenta plateia de hienas, que melhor que ninguém apreciarão a sua imensa “coltura”, ou um bando de primatas que, a um seu igual de tanta e tão portentosa “intelectualidade”, não negarão o seu vibrante aplauso… a quatro mãos…

        • Carlos Almeida says:

          Sr Meireles

          “fássista” ?
          “fássista” ?

          Essa palavra não existe em português.
          Seja o que for que o Sr ache que é, a palavra semelhante a essa e adequada à sua cabeça confusa é “fascista”. A palavra foi aplicada a um grupo de extrema direita italiana, dos anos 30 liderada por Mussulini e cujo símbolo é um feixe,

          Da Wikipedia em Português:

          “A palavra fascismo tem origem na palavra italiana fasci, que significa “feixe”. O feixe de lenha amarrado foi um símbolo muito usado em Roma Antiga. Simbolizava a força na união, segundo a metáfora de que um galho sozinho pode ser quebrado, porém unidos tornam-se bem resistentes. Benito Mussolini resgatou esse símbolo ao fundar o Partido Nacional Fascista em 1922. O símbolo desse partido era o feixe de lenha com um machado, tendo de pano de fundo as cores da bandeira italiana.”

          Eu não acredito que o Sr seja fascista, apenas um liberal ignorante com a cabeça oca. Provavelmente é também mais um tótó do “fakebook”. Os fascistas, por enquanto ainda não se autoproclamam.

          Mas há muito mais coisas na Internet do que as redes sociais, como por exemplo a Wikipédia, cuja consulta teria evitado ter juntado ás “bacoradas” que escreveu, uma palavra que não existe pelo menos em português.

          • José Meireles Graça says:

            A sério que se diz fascista e não fássista? Não fazia ideia. Foi então por isso que apareceu a palavra sublinhada a vermelho, está explicado o mistério. Eu a julgar que era fássista, na minha ingenuidade, e afinal não. E fascista também não, afiança com grande generosidade o Carlos Almeida, apenas liberal ignorante com a cabeça oca. Vá lá, já é alguma coisa. Se bem que isso do liberal não me cai muito bem, soa a coisa positiva. Preferia ser tachado de anti-comunista primário e retrógrado, adepto do imperialismo, etc.

        • Carlos Almeida says:

          Sr Meireles

          Anti Comunista primário era o Mário Soares, mas esse ao menos sabia escrever em Português e não dizia as “suas” “bacoradas”

    • ZE LOPES says:

      Assim é que é! Aproveita-se para enviar a V. Exa. uma estadia com tudo incluído na nossa estância de SPP: “salus per petroleum”. Onde poderá usufruir das nossas piscinas de puro crude e treinar tiro ao alvo a cromos do Kim Jong-Un.

      (Se for ministro, por favor diga, que nós guardamos sigilo).

      Ass: GALP


    • José Meireles Graça

      “Se vivesse em Lisboa, não estivesse a chover, não tivesse mais nada para fazer, e houvesse uma contra-manifestação que infelizmente não vai haver, era bem capaz de ir lá ver gritar (eu não, que não sou de griteiros): Morte à Coreia do Norte e quem a apoiar!”

      Pois ! Mas felizmente você não vive em Lisboa, e também não faz cá falta nenhuma…

      E possivelmente, tal como o trump(a), também está a marimbar-se para o aquecimento global, os incêndios florestais dele resultantes, o buraco do ozono, o descongelamento acelerado das calotes polares, a poluição de rios e oceanos, em suma, a morte, melhor dizendo, o assassínio anunciado da NATUREZA !

      Enfim, é o que pode “classificar-se” como um “inteligente”, acabado e rematado…”ecu…logista” !

      Continue a viver “LÀ” onde quer que viva e a “alumiar” o seu cérebrozinho com o seu velho candeeiro a petróleo…

  2. Luís Lavoura says:

    Discordo frontalmente da Ana Moreno.
    O petróleo é necessário. Portanto, tem que ser procurado, encontrado e, se adequado, explorado.
    Naturalmente que tem que se ter todo o cuidado ambiental na prospeção e, sobretudo, na extração do petróleo. E eu estou convencido de que, em países evoluídos, esse cuidado ambiental é tido.
    Parece-me ridículo dizer que não se deve procurar por petróleo.

    • Ana Moreno says:

      Uau Luís Lavoura, essa é digna de Trump! Não esperava…

      • Nascimento says:

        Ele está ” convencido”….ahahhaahahahah, ” evoluídos”? Ui, estou mais descansado pá! E quanto á Dª Ana,” espere “, sempre….

      • Bento Caeiro says:

        Ana, não fora os interesses em torno do petróleo e, temos de admitir, os problemas que o seu abandono traria para algumas economias e, mesmo, ao panorama mundial – pela situação que fora criada – e já há muito que as energias renováveis teriam substituído as energias fósseis, e com muito êxito. Não por acaso que os sistemas de captação e armazenamento da energia solar que, por inesgotável e de acesso fácil aí está para todos nós sentirmos, continua a preços proibitivos. Que seria então de países como a Arábia Saudita e outros que tais, e das receitas que os Estados arrecadam com os impostos que aí vão buscar?
        Mas o mais surpreendente disto é que, mesmo entre os espoliados e prejudicados – para não falarmos do ambiente – têm sempre aliados.

        • Ana Moreno says:

          É isso de facto o mais surpreendente, Bento Caeiro, aliás em muitas e diversas áreas… Aliados e coniventes, sem o mínimo de consciência social, centrados no seu mundinho e o resto que se lixe. Sempre com os olhos postos em carros “topo de gama” e quejandos.
          Mas entre os vitoriosos interesses dos magnatas e a insensatez (ou sei lá o que se lhe há-de chamar…) desses prejudicados, estamos no melhor caminho para deixarmos este planeta destroçado e não estou a ver força suficiente para virar a trajetória. Pessoalmente, resta-me andar nas lutas, para não ser conivente e para estar de bem com a minha consciência.

    • Poizé... says:

      Tudo com muitos e todos os cuidados ambientais, como facilmente se comprova:
      http://bfy.tw/HczP


      • Mas o “candeeiro a petróleo” ás vezes tem falta de mecha e é uma escuridão, ou a televisão a “energia hídrica” que o Meireles tem em casa, não tem um canal ecologista, e o computador movido a crude não acessa o Google !

        E para além de tudo isso, que já não é pouco, aqueles persistentes antolhos, dificultam-lhe muito a visão… coitado !


    • Luís Lavoura

      “Naturalmente que tem que se ter todo o cuidado ambiental na prospeção e, sobretudo, na extração do petróleo. E eu estou convencido de que, em países evoluídos, esse cuidado ambiental é tido”.

      Está bem ! A sua “FÉ” (ou será ingenuidade ?) talvez não o faça passar pelo fundo de uma agulha, mas certamente que o fará entrar no reino dos céus…

      Porque os empórios multinacionais donos e exploradores das torres de prospecção o que mais os preocupa é a voragem dos lucros, completamente assassina !

      Já ouviu falar de marés negras, algumas aqui na nossa costa, provocadas pela lavagem de porões de petroleiros, ou rupturas nos cascos simples, quando a lei os obriga a que sejam duplos, para garantir a maior estanquecidade !

      Pois é ! A tal voragem ! Com cascos simples, são mais “baratinhos”, e as marés negras e quem as sofre, peixes e humanos, que se lixem !

    • Paulo Marques says:

      “O petróleo é necessário. Portanto, tem que ser procurado, encontrado e, se adequado, explorado.”

      Ser, é embora desconfio que nem você nem a “nossa” (felizmente ideológica) Ana percebam bem o porquê ou quanto. Daí a dizer que vale tudo vai uma certa distância como, sei lá, queimar o pinhal de Leiria para ficar com madeira. Ainda por cima quando os riscos são todos nossos e os lucros dos outros.

    • Ernesto says:

      Nem de propósito, já andava extasiado por termos sido campeões da Europa, depois o Sobral ganha o festival da canção, o Guterres na ONU, só faltava mesmo este prémio:

      https://www.publico.pt/2018/04/16/sociedade/noticia/furo-em-aljezur-ganhou-premio-europeu-de-pior-subsidio-a-combustiveis-fosseis-1810479

      Fico a aguardar que os trolls do ouro negro, fascistas ou não, venham aqui defender “o furo”.

      Nota: Toda a gente sabe que a malta da CAN é uma cambade de Estalinistas, sempre de foice e martelo na mão, como é óbvio!

  3. Ana Moreno says:

    Isto é que há uma catrefada de compinchas de Trump em Portugal, quem diria!


    • Ana Moreno

      Partilhei.

    • Luís Lavoura says:

      Ana Moreno,
      eu não sou um compincha de Trump, mas fiquei satisfeito que ele tivesse ganhado, porque a Clinton teria sido mil vezes pior.
      Eu não gosto de Trump, mas pelo menos creio que ele não quer andar por aí a semear guerras (embora tenha na administração dele quem o queira fazer). A Clinton, pelo contrário, fartou-se de semear guerras enquanto pôde – ela mesma. Fez uma guerra contra a Sérvia em 1999, outra contra, semeou uma guerra na Ucrânia, semeou outra na Síria.
      Trump pode ser um gajo muito parvo, mas pelo menos já está há 15 meses no poder e ainda não semeou nenhuma guerra.
      Pense nisto, Ana. Antes um idiota como o Trimp na Casa Branca, do que uma neo-cona como a Hilária.

      • Ana Moreno says:

        “Eu não gosto de Trump, mas pelo menos creio que ele não quer andar por aí a semear guerras”…
        Já leu as notícias de hoje sobre a Síria, Luís Lavoura? Vem mesmo a calhar a esse respeito 🙁
        E dispensam-se os palavrões.


      • Luís Lavoura

        “eu não sou um compincha de Trump, mas fiquei satisfeito que ele tivesse ganhado, porque a Clinton teria sido mil vezes pior.
        Eu não gosto de Trump, mas pelo menos creio que ele não quer andar por aí a semear guerras (embora tenha na administração dele quem o queira fazer)”.

        Quantas guerras a Clinton “promoveu” ? Quantas vezes ela foi presidente doe E.U. ?

        O trump(a) “não quer andar por aí a semear guerras” ?

        Agora…já não tenho dúvidas nenhumas ! Ou você é um “extraterrestre” ou…É PARVO !!!!!


  4. Ana… A hipocrisia é a manada tuga querer continuar a usufruir durante muitos anos futuros dos confortos e benefícios dos produtos fósseis e não querer sujar as mãos!

    Referiste bem a HIPOCRISIA!

    Não sejas também tu uma Indígena Iludida!

    • Carlos Almeida says:

      La vem a nau catrineta
      Que tem muito que contar

      Perdão, não é a nau catrineta, é um leitor de cassetes

    • Ana Moreno says:

      Olá voza0db! Andou desaparecido… Hipocrisia é, de facto, a doença mais virulenta e alastrada destes tempos …
      Ilusões não tenho, já mencionei. É que não tenho mesmo.
      Um bom dia!


      • Este espaço onde escreves o mesmo tipo de treta que eu escrevo está infestado! Só posso fazer visitas curtas porque senão… Até daqui por uns meses!

        E embora lá POLUIR 😉

        ESTE ANO VOU ALUGAR O CARRO MAIS POLUIDOR QUE EXISTA E VOU ATÉ AO ALLGARVE LIBERTAR UNS BELOS GASES DE ESCAPE À PORTA DA INDÍGENA!
        (Não… não estou a gritar 🙄 !)

        • Carlos Almeida says:

          Eu sei que você está a brincar, mas noutro blog que você conhece bem, tive que dizer 3 vezes a um brazuca, que escrever em maiúsculas, tem o mesmo significado aqui neste meio tecnológico, que gritar para a pessoa com quem conversamos..
          Mesmo assim, acho que não percebeu.
          É por estas e por outras que eu gosto da educação e civismo dos Suecos e Escandinavos em geral.
          Por exemplo é considerada falta de educação, olhar fixamente e de modo prolongado para alguém que nós não conhecemos

        • ZE LOPES says:

          Não exagere! Para V. Exa. libertar gases não é preciso automóvel! Uma boa feijoada de búzios acompanhada de água das Pedras misturada com bicarbonato de sódio e V. Exa. torna-se num libertador de gases ecológico. Depois é só escolher a porta e o/a indígena.

          Tem mais uma vantagem: pode poluir sem sair de casa!Pelo meio pode continuar a mandar emijos.


      • Bons meses!

        Não se esqueçam de ir trabalhar seus escravos preguiçosos… E ainda mais importante que essa treta de trabalhar, não se esqueçam de VOTAR!

        E depois, então, já podem fazer como os manés.

    • ZE LOPES says:

      Resta saber quantas toneladas de combustíveis fósseis tem gasto V. Exa. a denunciar a hipocrisia da “manada tuga”.Ou tem lá algum “tablet” que trabalhe a saliva de chinchila?

      “By the way”, demarcar-se da “manada” em blogues não é grande proeza. Gostava era de o ver fazer isso no meio dos Super Dragões em pleno túnel das Antas. Isso sim, seria um feito fenomenal.

      E a coisa até pode ser perigosa. Um vizinho meu, depois de ler os seus cíclicos escritos, teve um AVC. Não quis entrar na ambulância e resolveu deslocar-se de bicileta para o hospital, onde exigiu não ser atendido por salafrários da bata-branca.Foin feita a sua vontade. Ficou para os de gravata preta.Foi pena!

      • Ana Moreno says:

        “Gostava era de o ver fazer isso no meio dos Super Dragões em pleno túnel das Antas. Isso sim, seria um feito fenomenal.” 🙂 🙂 🙂 Muita boa, Zé Lopes!

        • ZE LOPES says:

          Por vezes este voza0db lembra-me uma figura que andava lá pelas “Coimbras” a que chavam o Rei de Santa Clara. Por vezes, num café cheio, lá pelos anos 70, subia a uma cadeira e vociferava: “O que é que estão aqui a fazer? O país está em crise, há uma batalha da produção! Mexam-se! Vamos lá embora trabalhar!”.A seguir, sentava-se no café do lado…

          • ZE LOPES says:

            Esqueci-me de dizer o que fazia: andava há mais de 20 anos a escrever coisas num caderno…Era o seu trabalho.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.