Um excendente de pobrezinhos na Comporta

Fotografia: Joaquim Norte Sousa@Expresso

Um excedente de 1,3 mil milhões nas contas do terceiro trimestre da Administração Pública é o mais recente conseguimento do CR7 do Eurogrupo, Mário Centeno. O resultado, revela o Expresso, é fruto de um crescimento de 5,4% da receita (que é como quem diz os nossos impostos mais umas taxinhas), superior aos 2,2% registados do lado da despesa (parcialmente cativada). Mas um tipo olha para aquilo e pensa “Porra, para quem está habituado e ver tudo no vermelho, um excedentezinho não é nada mau!”.

O que sucede? O que sucede é que os cálculos que nos permitem chegar a este simpático resultado não incluem os mais de 900 milhões de euros injectados na banca caída em desgraça. E não, não estou a falar do BPN nem do BPP. Esses só caíram em desgraça por causa de uma conspiração do Sócrates com o Lula, o Maduro e o Kim Jong-un a Hillary Clinton. Sei isto porque li uma verdade absoluta num grupo do Whatsapp, onde um pastor evangélico, envergando uma camisola do Bolsonaro a operar uma manivela intestinal, me aliviou uma unha do pé encravada com uma cura virtual.

Refiro-me, claro, ao BES e ao seu filho bom, ainda que cheio de doenças, o Novo Banco. As contas do Expresso apontam para uma injecção de 792 milhões do Novo Banco, que o governo estalinista-costista vendeu ao fundo abutre Lone Star, há coisa de um ano, mas que continua a financiar, enquanto os pobrezinhos brincam na Comporta, e 121 milhões de euros para pagar aos lesados do BES, situação com a qual o Lone Star – e os próprios pobrezinhos da Comporta – nada tem a ver. Fomos nós, cidadãos bandalhos e potencialmente subsídio-dependentes, que falimos o BES, o GES, a Rioforte e toda aquela tralha que durante anos financiou o bloco central, o futebol e os pobrezinhos da Comporta. E um par de luvas para José Sócrates. E Cavaco Silva, que é toda uma instituição unipessoal.

Feitas as contas, com seriedade e sem engenharias financeiras manhosas, o excedente evaporou-se. Um tipo olha para o que sobra e só lá vê o nosso dinheiro a boiar em Sem Chumbo 95. E os pobrezinhos a brincar na Comporta.

Comments

  1. Ana A. says:

    Nos 1ºs dias de cada mês, também tenho sempre um excedente razoável e animador, na minha gestão doméstica!

    Depois é sempre aquela luta comigo mesma, entre a tentação de pagar a renda, água, electricidade, telecomunicações e vá lá, alguma comidita, ou, mandar algumas contas às urtigas e aferrolhar o excedente “p’ra um dia de chuva”…

    • Paulo Marques says:

      Viva a analogia do orçamento familiar e a TINA! Viva!

      • Ana A. says:

        Engana-se!

        Sou contra toda e qualquer TINA, e estarmos acorrentados e deslumbrados com os excedentes não é melhor do que a TINA Páfienta!

        • Paulo Marques says:

          Mas foi isso que fez ao equivaler as contas do Ronaldo às suas, são coisas que não têm equivalência. Já nem a direita acredita, ao ver o quanto idolatra o défice de Trump.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.