Vamos lá ver

Nos EUA, os democratas não aceitam financiar mais um troço do muro na fronteira com o México e Trump recusa-se a assinar o orçamento que desbloqueará o shutdown sem esse financiamento. Este é o impasse.

O presidente Trump anunciou no sábado que iria estender as protecções de deportação para alguns imigrantes ilegais em troca de 5,7 mil milhões de dólares de financiamento para um muro ao longo da fronteira com o México. [NYT]

É uma abertura para negociar desde que um dos lados opte por capitular. Ou, por outras palavras, é o que se chama de chico-espertice. Quem quer negociar não chega a uma reunião com um discurso “Não aceitam as minhas condições? Bye-bye.“, como aconteceu numa das anteriores tentativas.

Mas, note-se, não me estou a queixar. O espectáculo, para o qual nem tive que pagar bilhete, está a ser divertido.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    É mais ou menos divertido do que o Brexit? Mais ou menos divertido do que a reforma do Euro? Mais ou menos divertido do que o processo do EPSR?

  2. Ana A. says:

    Divertir-me com a estupidez de uns que causa sofrimento a outros, é coisa que “não me assiste”…


  3. Trump é o Goucha que tem agora a sua Cristina Ferreira: Bolsonaro.

    Acho que o brasileiro será imparável na tarefa de me fazer rir. Sim, ainda mais que Trump, esse troca tintas que disse que os mexicanos é que iam pagam o muro e afinal parece um social democrata a mentir.

    Mas por favor Mundo, elege mais fascistas. São muito mais divertidos que os cinzentos extremistas do Centro.

Trackbacks


  1. […] o negócio. Um bronco capaz de colocar o mundo em pantanas porque uma jornalista o adjectivou de cobarde. Gente […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.