Alexandria Ocasio-Cortez, uma esperança entre os parasitas

 

Com apenas 29 anos, Alexandria Ocasio-Cortez (AOC) é já uma das maiores dores de cabeça para os donos disto tudo dos EUA. Para a direita autoritária e ultraliberal que forma a base de apoio de Donald Trump, AOC é uma perigosa comunista que quer “venezuelizar” os EUA. A própria, contudo, define-se como uma apologista do socialismo democrático, que deste lado do oceano seria algo próximo da social-democracia, e defende, entre outras coisas, saúde e educação acessível para todos e um processo de transição energética que aposte nas renováveis e reduza drasticamente a utilização de energias poluentes. Um perigosíssima marxista-leninista, pois claro!

Neste vídeo, a recém-empossada deputada federal arrasa completamente um sistema político que, sendo de base democrática, está literalmente capturado por poderosos lobbies, que financiam autênticos fantoches políticos, categoria que inclui praticamente todos os ex-presidentes desde o século passado. Lobbies que investem milhões em candidatos, que, uma vez eleitos, se transformam em emissários das suas agendas, em prejuízo dos interesses da esmagadora maioria da população norte-americana. Só assim se percebe que um país tão rico como os EUA não tenha um sistema nacional de saúde, deixando milhões de americanos à sua sorte, enquanto os grandes conglomerados pagam migalhas fiscais e transferem lucros astronómicos para os Panamás desta vida.

É que, o que se passa nos EUA, infelizmente, não diz apenas respeito aos norte-americanos. Porque o que se passa naquele país tem impactos directos um pouco por todo o mundo, em particular cá na Europa, onde habitam os seus parceiros de sempre, apesar de serem hoje mais maltratados do que o mais canalha dos ditadores mundiais, Kim Jong-un, por quem Donald Trump admite estar apaixonado. Fazem falta mais AOCs em Washington. Como faz falta coragem aos políticos norte-americanos para deixarem de ser emissários do 1%. No dia em que os EUA se libertarem destes parasitas, se tal utopia algum dia se realizar, o mundo será um lugar melhor. Muito melhor.

Comments

  1. JgMenos says:

    É só lobbies mas o Madoff entrou de cana num ápice e por cá é a bandalheira que se conhece.

    • ZE LOPES says:

      Num ápice? Quantos anos durou a vigarice? E ninguém reparou? É muito cómodo meter alguém “de cana” para o resto da vida e deixar cá fora quem devia ter agido e não o fez!

    • Paulo Marques says:

      Também a Dona Branca. Ou quer comparar o Madoff com quem?

    • Daniel says:

      Claro, até porque foi o Madoff que fez tudo sozinho!…

    • Carlos Pinto says:

      A Alexandria há-de ganhar o que as burras ganham em Maio e as gatas em Fevereiro.

  2. Miguel Bessa says:

    Lol. Mais ignorante do AOC é difícil arranjar.
    Então este filme do “green new deal”. Que idiota.

    Mas tal como ela diz: não interessa estar certo quanto a números ou factos!

    • ZE LOPES says:

      Idiotas são gajos que, em nome das virtudes do capitalismo, apoiam indivíduos como Bolsonaro que têm um programa de destruição sistemática do meio ambiente e que louvam torturadores – como o coronel Ustra – que chegaram a torturar homens e mulheres em frente aos filhos crianças!

      Aliás, lá na minha terra, já se generalizou a expressão “não sejas bessa” (variante: “és um bessa!”) para classificar tipos desses.

      • Miguel Bessa says:

        Ok ok. Já sei. Bolsonaro mau. Trump mau. Maduro bom. É isto?

        Giro giro era ter uma ideia para defender a AOC.
        Experimente lá com argumentos. Podia começar por defender a ideia do “banir os gases das vacas”. De onde veio esta vieram muitas mais, por muito que agora digam que era um “draft” (lol) e demorem a publicar o texto final (que posteriormente será outro draft).

        • Paulo Marques says:

          Maduro bom? Onde?

          Defender #AOC é simples, o importante são as pessoas.

        • ZE LOPES says:

          Não, não é isso! Uma treta, duas tretas, estás desorientado, ó bessa! Quem é que disse que alguém é bom?

          “Isto porque:

          Idiotas são gajos que, em nome das virtudes do capitalismo, apoiam indivíduos como Bolsonaro que têm um programa de destruição sistemática do meio ambiente e que louvam torturadores – como o coronel Ustra – que chegaram a torturar homens e mulheres em frente aos filhos crianças!”

          “Aliás, lá na minha terra, já se generalizou a expressão “não sejas bessa” (variante: “és um bessa!”) para classificar tipos destes”.

          Bessa, és um “bessa carago!

          Lá na minha terra o povo diz: “a jumento que louva jumento não se dá argumento”. É o povo que diz! Lá na minha terra!

        • ZE LOPES says:

          Eu proponho banir os gases dos bessas obrigando-os a andar de fraldas! Pelo menos já se ganhava qualquer coisa!

          • Miguel Bessa says:

            Hehehe. Normal. Você não tem uma ideia! Dá pena.

          • ZE LOPES says:

            Ora cá tá! Ca ganda rasposta ó Bessa!
            Bosta incelência é um ganda jénio!

            Dá pena, mas mesmo pena, é V. Exa. ser um apoiante de um tal Bolsonaro que, relembro V. Exa, louvou um torturador – o Coronel Ustra – que torturou homens e mulheres em frente aos seus filhos crianças!

            Dá pena!

            Mas, como dizem lá na minha terra, ” a jumento que louva jumento, não se dá argumento”!

            Hehehe? Quando souber que é para o Real Fundo das Costas…

    • Paulo Marques says:

      Idiota é achar que não se deve fazer nada nem sobre aquecimento global, nem sobre o desemprego e a desigualdade só porque uma cambada de ignorantes com a cabeça em micro-modelos acham que não dá.
      O custo em moeda é, de facto, o menos relevante, não faltou capacidade para a produzir para os vários QE e em nenhum a inflação se mexeu.

      • Miguel Bessa says:

        Onde leu isso?
        Não foi a mim.
        Se calhar foi a AOC. Afinal ela diz que o mundo vai acabar em 12 anos.
        Mais lhe digo, se ela aprovasse aquela proposta do garantir rendimento a quem não quer trabalhar, eu ia a correr para lá.

        • Ricardo Almeida says:

          Não é ela que diz isso mas sim o relatório do IPCC de Outubro passado. E mais uma vez, o mundo não vai acabar em 12 anos per se, mas se continuarmos com as filosofias derrotistas e insustentáveis encabeçadas até aqui, então sim, dentro de 12 anos todas as alterações climáticas verificadas até aqui tornar-se-ão irreversíveis que, de certa forma, implica que a humanidade dificilmente se aguentará por muito mais tempo. Estas conclusões não foram obtidas por uma ex-empregada de mesa com 29 anos mas sim por um painel constituídos por literalmente as melhores mentes científicas do planeta. Literacia científica precisa-se e depressa.
          Que se esteja a marimbar para o assunto porque essencialmente é egoísta e não espera viver tempo suficiente para ter de lidar com este assunto, certo. Mas ao menos evite este tipo de comentários idiotas. O resto que antevê andar por cá por mais do que a próxima década estão genuinamente preocupados e à procura de soluções. Se não quer contribuir ao menos não empate.

          • Miguel Bessa says:

            A AOC afirmou que o mundo ia acabar em 12 anos. É só colocar no Google “AOC end of the world”.
            Nada dessas nuances que você coloca. Ponto.

            Sem negar nada do que diz até porque não diz nada que não sejam banalidades mas pelo menos sabe que existe um painel intergovernamental para as mudanças climáticas (repare que nem é científico é intergovernamental e por isso político) mas apenas questionando (ainda é possível questionar ou isso que escreveu já é dogma?):
            Mas essas previsões não são as mesmas que já falharam a timeline vezes sem conta?
            Entre muitas outras falhas que poderiam ser apontadas!

            Concordo que literacia científica é precisa! Até no facto de reconhecer que a ciência não passa por consensos mas por provas. 99% podem concordar e o 1% estar correto. Galileu até foi morto!

            Idiota é quem acha que vai proibir vacas de emitir gases e quem acha que isso faz sentido. Idiota é quem acha que os US a reduzir emissões são problema com a China e a Índia a poluir cada vez mais. Idiota é quem pensa que debita umas banalidades e que o mundo vai ficar calado.

          • Paulo Marques says:

            « É só colocar no Google “AOC end of the world”.»
            E ver que não disse nada do que diz. Assim, ganha sempre.
            O mundo, aliás, não vai a lado nenhum independentemente do que nós façamos.

            «Idiota é quem acha que vai proibir vacas de emitir gases e quem acha que isso faz sentido. »

            Sim, é isso, proibir vacas de peidar, tem toda a razão.

            «Idiota é quem acha que os US a reduzir emissões são problema com a China e a Índia a poluir cada vez mais.»

            O que é idiota é achar que não estão os 3 a trabalhar activamente para reduzir as emissões, com Drumpf ou sem Drumpf.

        • Paulo Marques says:

          Ninguém diz que o mundo vai acabar daqui a 12 anos. Ou aprende a ler, ou ganha sempre as discussões que imagina que são reais.
          Tal como achar que a AOC suporta pagar a quem não trabalha, como se não fosse contra a essência básica de MMT.

          • Miguel Bessa says:

            Vá lá ler as propostas do “green new deal” se não sabe do que fala a culpa não é minha.

          • Miguel Bessa says:

            Ainda me vai acusar de ser eu a enviar os “drafts” dela para os media americanos? Lol.

          • ZE LOPES says:

            X’sta Bessta àrranhar ingalês é m’a génia!

          • Paulo Marques says:

            Se o Bessa não percebe a diferença entre rendimento incondicional e garantia de emprego, a culpa é exclusivamente sua – os economistas de MMT escrevem sobre o assunto de graça para a Internet à décadas, leia um – Randall Wray, Stephanie Kelton, Bill Mitchell, Pavlina R. Tcherneva…
            Se o Bessa acha que basear a economia em desemprego estrutural está a resultar, está à vontade para explicar porque estamos às portas de uma nova recessão quando mal saímos da última.

        • ZE LOPES says:

          “Onde leu isso?
          Não foi a mim”.

          O Bessa agora virou “índio”…de filme americano!

    • ZE LOPES says:

      Bessa! Tás cá? Inda não foste?

  3. ZE LOPES says:

    Ó João, claro que é uma perigosa extremista esquerdista ultracomunista anarquista de tendência castrista ultramadurista.

    E como se nota? Pelo risco do cabelo, visto daqui! Compare com o Trump e perceba o que estou a dizer! Num sistema de democracia ultra-avançado como o dos EUA estas coisas têm muito significado! Mas a menina não escapa! Vai ver que, por cá, o César das Neves, o Portocarrero e o Espada em breve lhe desmascarão a pinta!

    • ZE LOPES says:

      A conjugação certa é “desmascararão”…

    • Paulo Marques says:

      Ainda por cima mulher e latina, como se Deus permitisse que isso tivesse inteligência. /s

      • Miguel Bessa says:

        UAU. Que racista escondido.
        Ela não é ignorante devido ao seu sexo nem a sua origem, é ignorante porque não conhece os temas que aborda! Um homem branco que dissesse o mesmo que ela diz seria ignorante, tal como ela.
        Simples. Que necessidade de colocar os seus preconceitos noutros.

        • Paulo Marques says:

          Não, foram alguns minutos de Fox News & friends.
          Que tema é que não conhece? Ainda por cima, comparado com o presidente?

          • Miguel Bessa says:

            Assim por assim matemática! Ela própria diz que não interessa ter as contas bem feitas ou os factos certos. Como é que você quer negar o que a própria afirma?

          • Paulo Marques says:

            Os números não interessam porque o governo não fica sem dinheiro do qual tem o monopólio de produção – qual é a dificuldade de perceber isto depois de QE nas maiores economias mundiais?
            E, quanto a números que os Republicanos percebem, onde estão os efeitos da previsão de maiores ordenados?

        • ZE LOPES says:

          Bessa! Bessa! V. Exa. está esquecido! Chamou-me xenófobo por lhe ter sugerido que, atendendo a que o Bolsonaro era um adepto da tortura – lembro que louvou o Coronel Ustra, um energúmeno que torturou homens e mulheres em frente a filhos crianças – V. Exa. deveria já ter ido para o “Paraíso Bolsoneiro”!

          V. Exa. não tem, repito, não tem, repito não tem (!) moral para vir aqui falar de coisas como racismo.

          Como dizem lá na minha terra, “um jumento que louva jumento não merece argumento”!

  4. JgMenos says:

    O entusiasmo com que a esquerdalhada associa ao capitalismo tudo o que para tão elevados espíritos não cumpre os ideais que logo vêm corporizados em bandidos elevados a próceres do socialismo!

    É para tais grunhos evidente que basta articular meia dúzia de banalidades para que logo decorra assegurada a prevalência do bem-comum que para tais trengos deve ser desde logo uma qualquer igualdade.

    Face às suas evidências, ninguém pode financiar-se nas áreas que entende deverem ter os seus interesses defendidos; excluem naturalmente os trabalhadores que tudo que lhes paguem é para um seu maior bem; obviamente quem tenha algo de seu também deve pagar porque será obviamente fruto de uma qualquer exploração.

    Prefiro-me com lobistas do que com manhosos treteiros.

    • Paulo Marques says:

      O plano fiscal nem aos jogadores da NBA se aplica, está a falar de quem e para quem?

    • ZE LOPES says:

      O quê? Não me digam que o Menos já entrou no negócio do “franchising”!

    • ZE LOPES says:

      Menos! Então V. Exa. pôs a sua criada esquerdalha a fazer comentários?
      Não se faz, ó Menos! Um contabilista afamado como V. Exa…não havia necessidade!

  5. Ricardo Almeida says:

    O grande problema da Alexandria, além das suas ideias que incomodam apenas os inúteis acomodados e os que se orgulham de ter um cérebro lavadinho de branco, é que não há nenhum estágio na Goldman-Sachs ou um parente afastado ligados aos irmãos Koch a que a direita se possam agarrar. Ela é a pura definição de uma “wildcard” que veio para o mundo da política organizada munida de ideias e ideais e nada mais. Uma rapariga que ainda à 3 anos atrás andava a tentar a fazer a vidinha dela entre linhas do metro de Nova York, a contar tostões aqui e ali para pagar a renda, tal e qual como as “elites” económicas assim o desejaram. Ora a moça, e bem, fartou-se mas em vez de passar os dias a comentar a sua frustração no Facebook, arregaçou as mangas e meteu-se ao barulho. E agora anda o mundo da política norte americana, e em certa extensão do mundo, de pernas para o ar. É que nem é por ela achar que os mais ricos devam ser taxados a 70% acima dos 10m $ anuais. O que faz os inúteis deste mundo suar em bica nos seus fatos Armani é que 70% dos americanos concordam com ela! O gato está fora do saco como eles gostam de dizer.
    Melhor ainda é vê-la a usar a arma favorita do agente laranja – as redes sociais e o Twitter em particular – muito melhor que este alguma vez tenha e com resultados muito mais expressivos. Basta ver quão facilmente ela não só evitou como inverteu os ataques patetas que a direita conservadora têm feito à sua pessoa. Sim, porque atacar as ideias nem pensar. Isso dá muito trabalho e corre-se o risco de incentivar uma discussão produtiva. Há boa maneira direitola, e tal e qual o que também fazem por cá, os ataques são sempre ao que ela possa ter feito ou dito num contexto completamente irrelevante, como foi por exemplo o caso do vídeo dela a dançar num terraço.
    Mas para mim o maior valor que retira de um caso como este é mesmo o impacto inspiracional. A noção que qualquer “pobre” pode mudar a sociedade com boas ideias apenas ao invés de se resignar aos caprichos das “elites”. Apesar de ser esse o objectivo inerente em todas as constituições democráticas deste planeta, a direita conservadora investiu demasiado tempo e esforço a convencer a sociedade do contrário. Daí que é absolutamente delicioso vê-los no tapete a chorar por causa de uma rapariga que nem 30 anos têm sequer e à 3 anos atrás provavelmente lhes servia Mojitos no mesmo bar onde esta gentinha se ia gabar das trafulhices que faziam!

    • Paulo Marques says:

      O problema da Alexandria é o mesmo de qualquer progressista, estarem presos à narrativa neo-liberal de como funciona a economia. A oportunidade é que é evidente que isso não é muito relevante, seja pela direita ou pela esquerda, não faltam pessoas que estão fartas que a economia não funcione para elas e/ou nunca bata certo.

      “Rising unemployment was a very desirable way of reducing the strength of the working classes . . . What was engineered – in Marxist terms – was a crisis in capitalism which re-created a reserve army of labor, and has allowed the capitalists to make high profits ever since.”
      Alan Budd, chief economic advisor to Margaret Thatcher


    • »»»» …” à 3 anos atrás” !!

      Ricardo Almeida, sendo bom o seu texto, evite pf estes erros gramaticais que ferem ou fragilizam a consistência do mesmo !

      • Ricardo Almeida says:

        É o que dá escrever nos parcos minutos livres que tenho hoje em dia… se o corrector não os apanhar acabo por passar por ignorante. É uma pena não ser possível corrigir comentários, mas ao mesmo tempo também faz sentido.
        Obrigado pelo reparo. Fica a experiência

  6. Paulo Marques says:

    Re-aproveitando a lista, Randall Wray, Stephanie Kelton, Bill Mitchell e Pavlina R. Tcherneva são 4 economistas que informam a política de #AOC, escrevem todos conteúdo legível de leigos a matemáticos, incluindo economistas que deixem os dogmas de lado. Recomenda-se a qualquer progressista, com um aviso que rapidamente fica a desprezar a união europeia.

  7. Boavida says:

    Isto é uma brincadeira. É uma economista que desconhece o sentido de taxa de desemprego e que afirma que os factos não são importantes, e que faz da mentira e ilusão a base do seu discurso. Só pode ser uma piada falar bem dela. Alguém que afirma que algoritmos matemáticos são racistas não pode ser considerada algo diferente de intelectualmente limitada

    • Paulo Marques says:

      Há factos que são importantes, há outros que são importantes só por dogma. A pressão inflacionista do défice Trumpista e do suposto pleno emprego anda onde, ó teórico? Em que página é que o Mankiv explica isso na bíblia?


  8. Eu acho que a Alexandra está a falar de questões importantes para o futuro das sociedades, o que decidirmos agora terá impacto nas gerações futuras. Em muitas coisas, como por exemplo do Green Deal, estou do lado dele, posso nºao concordar com tudo mas concordo que se nºao fizermos nada agora será pior no futuro, e não fazer parte do grupo de grunhos que diz que no meu tempo é que era bom, no fundo umas bestas que egoisticamente nada fizeram nem respeitaram os seus filhos e netos.


  9. E já agora, A Alexandra merece ser ouvida. Leio muitos comentários negativos e vejo uma discussão caótica, arrisco perguntar, seria assim se fosse um homem a propor o que ela propõem? Neste país de marialvas e tradições tacanhas e com cheiro a mofo, onde se muda apenas quando se morre, acho que ser uma mulher assusta os homens. Já agora sou um homem.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.