Organograma: a repetitiva, populista e demagógica cassete do fascismo português


Neste organograma, podemos contemplar o funcionamento simplificado do falso patriotismo e do racismo primário, inerentes à condição de militante/simpatizante da extrema-direita portuguesa, ela própria uma existência simplificada, falsa e primária. Nunca falha. Vira a cassete e toca a mesma.

Comments

  1. Tal & Qual says:

    by joão mendes ? Ou by Blogue Der Terrorist ?

  2. JgMenos says:

    O primarismo é sempre a dominante ideológica.
    Chamemos-lhe postulado, para ter um ar mais intelectual.

    A esquerdalhada tem m mão cheia deles, com uma originalidade essencial: contradizem-se, mas não importa à defesa da fé.

    No momemto está em destaque a liberdade de expressão / desde que só contrarie a Constituição dos outros.

    • POIS! says:

      Pois! Mas olhe que eu já vi uma coisa muito parecida escrita não sei ande.

      “O primarismo é sempre a dominante patológica.
      Chamemos-lhe postadepescada, para ter um ar mais espiritual.

      A direitrolhalhada tem um mamão cheio delas, com uma pecurialidade essencial: contradizem-se, mas não importa à defesa da mama.

      No momemeto está em destraque a liberdade de expressão / desde que só denuncie a Corrupção dos outros”.

      Tá a ver? É muito feio plagiar coisas, Sr. Menos!

      • Abstencionista says:

        Ó Pois, estás tolinho?
        Outro dia escreveste “costas quentes” quando devias ter escrito “costas largas”.
        Noutro texto, que te desculpei pois julguei que tinha saído da tua tola, (mas que depois verifiquei ser um plágio), fizeste copy/paste repetidas vezes publicando um texto kilométrico.
        (Enganaste-me bem pois até te elogiei!)
        Hoje publicas uma profusão de burrices.

        Bateste com a cabeça numa parede ou o gajo da distrital zangou-se contigo, para andares assim tão desnorteado?
        Vê lá se estás mais atento ao que escreves pois os aventares devem merecer-te um pouco mais de respeito.

        • POIS! says:

          Pois olhe que nããããõ!

          Um plágio? De onde?

          Não foi copy/paste nenhum. A repetição deveu-se apenas ao facto de ter escrito o texto no processador para evitar o que já aconteceu por várias vezes: problemas no envio, o que obriga a reescrever tudo. Foi só isso.

          Eu podia explicar-lhe a razão pela qual V. Exa. está a mentir, mas V. Exa não merece. O texto NUNCA podia ter sido plagiado de lado nenhum. Os exemplos que dei VIVI-OS EU!

          Eu tinha jurado nunca mais responder a V. Exa. por razões de higiene. Agora veio chamar-me plagiador e mentiroso. Isso não admito.

          Por respeito aos “aventares”. Não a psicopatas como V. Exa.

          • POIS! says:

            Ah! E só mais uma coisa.

            Sobre as costas, V. Exa. tem razão. Compreendo a sua preocupação com a temperatura e dimensões das costas, já que representam o seu principal instrumento de trabalho. Temos de respeitar.

            Não volta a acontecer, descanse. As costas. Bem merece.

    • abaixoapadralhada says:

      JgMenos

      “desde que só contrarie a Constituição dos outros.”

      Se defende a liberdade de expressão, decerto contraria a constituição de 1933, por ainda te reges

  3. estevesayres says:

    Deixamo-nos de paninhos quentes, os fascistas e neofascistas , sempre estiveram por cá… A “comunicação social” na sua maioria sempre lhes der tempo de antena…

  4. Filipe Bastos says:

    Curiosamente, não ia ao Der Terrorist há meses e calhei a passar lá ontem, onde também vi esta imagem. É raro ir porque, além de não apreciar muito o estilo, sei que censura comentários.

    É um esquema realista: muita gente pensa realmente assim. Claro que se podia fazer esquema parecido para a esquerda ‘identitária’, onde até o ódio é justificado se provier da cor certa, e qualquer crítica é odiosa se for contra essa cor.

    E é por esta cegueira racista-sexista-homofóbica-islamofóbica, este virtue signalling histérico de teóricos ociosos de classe média, que a esquerda perde cada vez mais votos para os Venturas, Trampas, Orbáns e Bozonaros. E os mamões a rir.

    • Aldrabão says:

      Não censura comentários, uma vez que estão desligados para todos.

      • Tal & Qual says:

        Ehehehehehehe !!
        Apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo…

      • Filipe Bastos says:

        Agora estão desligados; já estiveram ligados, e eram censurados. Sei disso porque lá fui censurado.

        Basta ver posts mais antigos, por ex. “Putedo” em 20.10.15.

        O que não faria sentido era eu mentir: por que raio mentiria sobre algo tão facilmente comprovável?

        Percebe ou não, Aldrabão?

        • Paulo Marques says:

          Já estiveram, andei por lá e deixei já não sei porquê. Era preciso lembrar-me do que escreve o autor para isso. 🙂

        • Aldrabão says:

          Frequento o blog desde 2008 e nunca tive a possibilidade de comentar, mas pronto! Além de censurar faz discriminação (uns podem e outros não)!

    • POIS! says:

      Pois nem acredito!

      Vejo V. Exa. assim tão preocupadinho com a “esquerda” que até fiquei não sei como.

      Então V. Exa. já está preocupado por chulecopulhíticos de “esquerda” estarem a contribuir para a ascensão de pulhiticochulecos de “direita”? E que os chulecomamões se estejam a rir?

      Então não é tudo chuleco e pulhítico e mamão? Por que razão deveriam os “pulhíticos” de “esquerda” abandonar as lutas “identitárias”? Para deixarem de ser “pulhíticos”? Não é possível. Uma vez contraído o estatuto chulecopulhítico não há nada a fazer, como V. Exa. tão brilhante & doutamente tem defendido.

      Qualquer dia ainda o vou aqui defender campos de concentração diferenciados para pulhlíticos de esquerda e de direita. Os de direita na Serra da Estrela de picareta em punho a partir granito de sol a sol (quando o há…) e os de esquerda na Costa da Caparica a apanhar conchinhas para sacos de plástico!

      V. Exa. é uma verdadeira desilusão. O terrorismo portátil está cada vez menos pravinho.

    • Filipe Bastos says:

      Pois do ‘terrorismo portátil’ já lhe perguntei se preferia explodir popós a pulhíticos. Tem sede de sangue, é isso?

      Quanto ao resto, sim, incomoda-me esta esquerda histérica e pífia. E devia incomodá-lo a si. Porque se não for a esquerda, quem vai contrariar a Banca, os Trampas e outros mamões?

      Quem senão a esquerda vai pugnar por um mundo mais justo e igualitário? A direita não será de certeza. Pulhas oportunistas como o Ventura também não.

      Note que nada me liga à esquerda per se: sou indiferente ao PCP, ao Berloque, a qualquer partido. Mas tal como no Estado e na democracia directa, não vejo alternativa.

      E sim, isto é quase tudo chulos, chulecos e chulões; pulhíticos e mamões; pulhas e trafulhas. Onde está a dúvida?

      • Paulo Marques says:

        Não sei, a esquerda não é com certeza porque o poder é quase nulo, só quando o PS tem alguma vergonha fomentada pela opinião pública.
        E, vendo que o Filipe nem destinge ódio de raiva ou desprezo, tão cedo a opinião pública aprende alguma coisa.

      • POIS! says:

        Pois não tenho sede de coisa nenhuma. Sangue só de origem vegetal, de preferência do Douro.

        V. Exa. é que parece que tem. Ou para V. Exa., “malhar” significa, afinal, “dançar o malhão”?

        Já tinha calculado que essa coisa do anarco-terrorismo era folclore. Agora confirma-se.

        • POIS! says:

          Ah! E a palavra de ordem de Bastos para a revolução passa a ser:

          “Chulecos de Esquerda! Venham comigo construir a Gloriosa Democracia Semi-Direta! Mamões de Esquerda, Uni-vos!”

  5. Abstencionista says:

    Olha que plagiar é muito feio!
    É próprio de aldrabões!
    Mas compreendo esta tua aldrabice: é que as ideologias que te metem na tola são como os eucaliptos que secam todas as veleidades que possas ter de escrever coisas inteligentes.

  6. whale project says:

    Por mim estou-me nas tintas para a paternidade do organograma. Porque esse sim disse uma verdade cristalina. Se dissermos que alguma coisa vai mal e formos de esquerda, se formos brancos mandam-nos para Cuba, a Venezuela, a Coreia do Norte, até para o Irão, se preciso for. Se formos pretos, não interessa nada que o nosso avô já tenha nascido por cá, mandam-nos para uma terra que nem sabemos muito bem onde é no mapa porque lá ir nunca nos passou pela mente. Mas se for um fascista a bolsar alguma coisa contra pretos, ciganos, desempregados a receber subsídio de desemprego, disse umas verdades. Um grunho justificava o voto no Ventura dizendo que o único problema é “uma etnia de que já estamos todos fartos”. E por isso votam num especialista em direito fiscal, leia-se fuga aos impostos, que promete saúde e educação apenas e só às pessoas de bem que a possam pagar. Ora bem, meus Venturinhas, se não gostam de ciganos ponham um sapo bem verdoso e nojento à porta. Não nos xaringuem é a todos só porque não gostam de ciganos.
    E por favor poupem-me à conversa que quem vota no Chega até é uma boa pessoa, anda é um bocadinho chateado com o estado do país. Porque chateados estamos todos, espero é que continuemos a ser mais os que achamos que não é tirando o direito à vida a quem não gostamos que ultrapassamos os problemas do país.

    • Filipe Bastos says:

      Creio que muitos aqui não percebem que várias verdades podem não ser mutuamente exclusivas:
      — é verdade que grunhos mandam os brancos para a Venezuela e os pretos para África;
      — é verdade que o Ventura pastoreia e explora essa grunhice para sacar botinhos, poleiro e tacho;
      — mas é também verdade que a larga maioria dos ciganos age de maneira parasita, agressiva, anti-social.

      E é por se tentar negar esta última evidência que um pulha como o Ventura ganha força: as pessoas não são totalmente parvas, têm olhos na cara, vêem que é verdade.

      Está a ver, whale?

      • abaixoapadralhada says:

        ” mas é também verdade que a larga maioria dos ciganos age de maneira parasita, agressiva, anti-social.”

        É verdade sim senhor.
        Ate que enfim dizes algo certo

        Os “quaremas” acham que são superiores e não têm que se reger pelas mesmas regras do que as outras pessoas .
        Quem não combater isso esta a ajudar o neo nazi aventura

      • Paulo Marques says:

        Sim, no país mais seguro da europa. Juízo, pá.

      • POIS! says:

        Pois tá bem!

        Anti-social? O que é isso? Numa sociedade dominada por chulecos e pulhíticos sem escrúpulos recusar a integração não é um direito! É um dever!

      • Filipe Bastos says:

        Ate que enfim dizes algo certo

        Digo isto aqui há meses. Pergunte ao Paulo e ao POIS, eles é passam a vida a defender os coitadinhos dos ciganos das minhas horríveis constat…calúnias.

        “Sim, no país mais seguro da europa.”

        Que tem o cu com as calças? Se tiver alguma questão com ciganos, com ou sem razão, logo vê quão seguro se sente.

        …recusar a integração não é um direito! É um dever!

        Pois até lhe daria razão, se a recusa fosse por esse motivo e se contribuíssem de outra forma para a sociedade. Mas não é, e não contribuem. O motivo é puramente egoísta; são parasitas que querem viver à margem, só com direitos. Os outros que trabalhem, que descontem, que cumpram.

        • POIS! says:

          Pois é Sr. Bastos!

          A malta tem as costas largas! Gostava de saber onde é que me viu aqui “defender os ciganos”.

          V. Exa.é um às a fazer imputações. O resto já todos sabemos: a coerência é uma coisa muito bonita, mas fica para amanhã.

          O que é que quer fazer aos ciganos, lá na Bastocracia Semirepresentativa Semidireta? Qual é a solução? Campos de concentração? Deportação? privação da nacionalidade? Restrição de diretos? Lobotomias? Esterilização forçada?

          Ou tem lá uns comprimidos que curam o vírus da “desintegração”?

          Vá lá, revele lá a sua douta solução final.

        • Paulo Marques says:

          Digo, e repito, já lhes tentou dar emprego normal, deixá-los comer no mesmo restaurante, e andar na mesma turma dos seus parentes?
          É que ouvir constantemente os mesmos argumentos do Adolfo sobre os mesmos cansa.

  7. Elvimonte says:

    Mais uma vez, o JM demonstra à saciedade a imensidão do seu raciocínio primario-piloso.

    E, ao que parece, também plagia.

    Muitos parabéns.

    • Paulo Marques says:

      É natural, não acredita na propriedade privada.
      Ou isso ou a “piada” nada tem de novo, sempre foi assim.

  8. Paulo Marques says:

    Falta aí uma referência ao Sócrates, pá.

  9. esteves aires says:

    O partido neofascista “Chega”, vai apresentar um novo testamento. Segundo sei, existem “exceções menores não emancipados e pessoas com incapacidade psíquica”!!!

    • POIS! says:

      Pois…pois…

      Uma sugestão: experimente escrever “chega” em minúsculas Novo Testamento com maiúscula. Talvez o comentário passe a ter algum sentido.

      E rematar com uma citação de Arnaldo de Matos. Assim tipo “isto é tudo um cheguedo!”

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.