O dia D de Ivo Rosa

Ao contrário do que se escreve nalguns jornais hoje não é o Dia D da Operação Marquês. Em bom rigor, hoje nada se decide. Em bom rigor lusitano, só lá para 2030 é que alguma coisa será decidida em definitivo. Hoje é o dia D mas de Ivo Pinto, o Juiz.

O juiz Ivo Rosa precisou de quase 1000 dias para analisar e decidir. Segundo as fontes dos órgãos de comunicação social são mais de seis mil páginas. O juiz vai ler uma súmula das mesmas explicando a decisão e vamos ter fé que o dito resumo seja mesmo reduzido, caso contrário, vamos levar com umas valentes horas de directos televisivos com Ivo Pinto a ler. Só espero que tenha boa dicção – imaginem se eram alguns dos aventadores (este incluído) a ler 🙂

Ora, 1000 dias e 6.000 páginas depois, vamos aguardar pacientemente para ver o que produziu todo este trabalho. Quero acreditar que a montanha não vai parir um rato. Que se faça justiça é o que se pede. Se exige.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Espero bem que Ivo Rosa leia mais depressa o seu relambório que Joacine Katar Moreira, caso contrário ficamos sem saber o final, … talvez alguém nos conte no dia seguinte.
    Já agora, não sei se a montanha irá partir um rato, espero bem que não, mas nesta Justiça Tuga tudo é possível.
    Mas se Sócrates for condenado, preferia que ele devolve-se os pretensos 37 milhões de euros que poderá ter recebido, entregando-o ao erário público, a vê-lo na cadeia.
    Sem o dinheiro de volta é uma frustração enorme. Foi assim com Oliveira e Costa, com Isaltino, com Armando Vara e Duarte Lima.
    Tá na hora de devolverem a ma$$a!
    A gente agradece. 😃😃

    • POIS! says:

      Apoiado!

      Não costumo concordar muito com as diatribes da personagem, mas há uma afirmação de Marinho e Pinto que apoio a 100%: nos crimes económicos, que não envolvam crimes de outro tipo contra as pessoas (por exemplo, eliminação de testemunhas…), não faz sentido manter os autores na cadeia com pesadas penas. Deve ir-se é aos bens, à fortuna. na altura dava o exemplo de Vale e Azevedo.

      Se estiver escondida, por ter ido para o céu fiscal (onde repousam as fortunas que foram boazinhas na Terra), então dá-se a escolher: ou aparece ou então teria de cumprir mesmo pena de prisão. Não se pode pactuar, sem mais, com a impunidade.

  2. Paulo Marques says:

    Como alguém que não consegue ler 6000 páginas, e já se perdeu entre alegações que não foram a lado nenhum, justiça seria o quê?

    • Filipe Bastos says:

      Não é certamente o que estou a ver: pelo pouco que já li, o Trafulha está a escapar-se a tudo. Como se previa.

      Para começar, o julgamento não devia ser apenas sobre trafulhices pessoais; ainda pior foi a gestão danosa e criminosa do país. Como pode um pulha destes ficar impune?

      Justiça, Paulo, era estarmos à espera do Trafulha e do Ivo à saída do tribunal. Era serem bem recebidos após esta farsa. Não por mil ou dez mil pessoas: por um milhão.

      • Paulo Marques says:

        Era? Eu estaria à espera de quem perdeu 10 anos para produzir “provas” que precisam da existência de uma máquina do tempo.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.