The Daily Show: Macron vs Le Pen

Fotografia retirada de opendemocracy.net

Ela (Marine Le Pen) revê-se em Putin? Quer dizer, sendo justo, perguntaram-lhe sobre Putin em 2017, e na altura ele só adulterava eleições e envenenava pessoas. Era demasiado cedo para estar contra Putin. Fora de brincadeiras, foram visões como esta que levaram a que Le Pen não vencesse as eleições presidenciais francesas em 2012 e em 2017. Mas, tal como um Terminator, Le Pen fica mais esperta a cada sequela e é isso que a torna realmente perigosa. Depois das últimas eleições, Le Pen começou a reformular-se, agora como uma ‘afável e gentil’ racista. Sim… ‘será que o posso levar de volta para a sua terra, cavalheiro?’… E a forma como o fez foi simplesmente deixar de falar tanto sobre esses assuntos, sem nunca abandonar as visões fascistas. Basicamente, é como quando estamos numa reunião no Zoom e o enquadramento só mostra aquele canto muito arrumadinho do nosso apartamento; mas isso não apaga o facto de continuar a haver uma família de doninhas a comer restos de comida chinesa no nosso sofá. Percebem o que digo? É o mesmo mundo. E Le Pen não começou a ‘moderar’ apenas as suas palavras, mas também renovou a sua imagem para cultivar uma imagem mais ‘amável’ dela própria. E é aqui que se encontra a França, a caminho das eleições do próximo Domingo: um candidato à reeleição, um moderado que com fraca aprovação por parte do povo, espera derrotar uma aliada de Putin, xenófoba, que regressa para uma última tentativa de eleição. É por isto que gosto tanto da política francesa: é tão diferente da dos EUA…

Trevor Noah no seu The Daily Show.

Quanto a ligações e/ou adorações a Putin, não nos esqueçamos (apesar desta panóplia de batedores no PCP): do VOX de Espanha a André Ventura e ao seu CHEGA em Portugal; de Marine Le Pen na França a Viktor Orbán na Hungria, passando por Trump, nos EUA, sabemos quem depende, directa ou indirectamente, do proto-czarista russo, por mais ou menos maquilhagem que coloquem – nada vos tapará a real face. 

Comments

  1. Alexandre+Barreira says:

    Esta “filha” de Putin sabe-a toda !

    • Rui Naldinho says:

      E não foi com este ar afável e patriótico que o Pedrito de Portugal nos enganou antes?
      Não foi ele que disse que não era necessário cortar salários nem direitos?
      É verdade que o Pedrinho de Portugal não era racista. Até era casado com uma mulher negra. Mas tinha no seu seio personalidades como Ventura, que apoiou como candidato autárquico, ou Mithá Ribeiro, entre outras pérolas que o PSD foi largando pelo caminho na sua auto flagelação regeneradora.
      Macron até pode ser do partido dos ricos, como diz Le Pen. Mas como vimos no passado é removível. Já se Le Pen alcançar o poder, a sua remoção será bem mais difícil.
      É olhar para a Hungria e a Polónia.

  2. jose valeriano says:

    Todos têm razão mas não esqueçam que Macron também ele em colaboração com a dita Europa ele se pode tornar perigoso pois ele defende os seus interesses no banco onde é acionista e a sua aliada família Rothschild que querem a todo o custo serem donos do mundo.
    Disto ninguém fala esta tudo calado pois estes é que são os bons mas quando atingirem os seus objetivos vão ver com quantos paus se faz uma canoa.


    • E esqueceu-se do Soros, do Bill Gates, e de tantos outros… é como nos casamentos, para usar uma metáfora que mesmo você consegue entender, tem provas senão feche a matraca.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.