Factos alternativos com camones dentro

Ana Cristina Pereira Leonardo

Era o PREC e eu recusei a borla de um americano. A preposição conta: era ele quem me queria pagar o almoço.

Ao pedir a dolorosa, o dono do modesto restaurante disse-me que já estava pago e apontou para o américas que lá do canto mais sombrio da sala me esboçou um corpulento sorriso. Respondi com um esgar e declarei, com o radicalismo próprio da juventude desses tempos, que nem pensasse, o camone que fosse pagar almoços à tia dele, para a terra dele, era o que mais faltava, morte ao imperialismo e bem feita que se engasgasse com as espinhas, os meus almoços pago-os eu e nesta altura da conversa já tinha voado para o Chile, passado pelo Vietname, a Argentina em espera, o americano encarnado em agente da CIA em Lisboa, pinta de torcionário em pré-reforma, e no fim quem ficou a ganhar foi o galego, embolsou a soma de dois bitoques e duas sobremesas, o comer pago a dobrar, bendito PREC mais o camones go home, à distância talvez o homem fosse apenas um velho engatatão em férias mas como dizia o Nixon, até os paranóicos têm inimigos reais, o que não era o meu caso (talvez só um bocadinho), nem decerto o caso do outro americano que conheci em Marrocos a estudar os macacos-de-Gibraltar nas montanhas do Atlas, sozinho, ele, os macacos e a neve no Inverno, a mulher que se descobrira lésbica regressada a casa

Bye bye love / Bye bye happiness, hello loneliness / I think I’m-a gonna cry-y[Read more…]

Avatar, um filme de cowboys

Habitualmente chego tarde a tudo o que está na moda. Quando já não é novidade para ninguém, quando já é notícia requentada, chego eu. Aconteceu justamente isso com o “Avatar”, de James Cameron, que só agora fui ver.

E fiquei muito surpreendida ao descobrir que, afinal, o “Avatar” é um western. Um western altamente sofisticado, visualmente estonteante, um western no qual os cavalos são pterodáctilos e tudo vem por cima de nós, mas um western.

Daqueles tocados pela veia sensível, em que os índios são seres humanos e os cowboys bons se juntam a eles para derrotar os cowboys maus, e apesar de se saber que os terrenos escondem petróleo, não se viola o cemitério sagrado para os nativos.

Tão western que, no momento mais difícil da batalha, quando tudo parece perdido, eis que irrompe, milagrosamente, a cavalaria, sendo que, neste caso, a cavalaria consiste em criaturas aparentadas com as que existiram no nosso planeta algures no Jurássico. [Read more…]

Saúde – Americanos fogem para o México

Afinal, o muro que os americanos construiram para impedir que os Mexicanos entrem ilegalmente nos USA, está a resultar em pleno, mas para impedir que os idosos e os pobres americanos, entrem no México à procura de cuidados médicos!

O México está a braços com um grave problema porque são muitos milhares de americanos que sobrecarregam o Sistema de Saúde Mexicano, procurando dessa forma, os cuidados médicos que lhe são negados na sua própria terra!

O país mais rico suga o país mais pobre e a sua generosidade social, que as empresas seguradoras americanas, na ganância dos lucros desmedidos, deixam na valeta sem cuidados médicos. Os republicanos assobiam para o ar, não têm vergonha de ostricizar os seus concidadãos mais pobres.

Entretanto, a guerra pela saúde de quem não é rico continua, com Obama a obter uma importante vitória mas não definitiva!