Educação em Gondomar: Carta aberta ao Presidente da Câmara Municipal

 

 

 

 

 

 

 

 

Exmo. Senhor,

Venho por este meio protestar veementemente, mais uma vez, devido às condições físicas da Escola E B 1 do Alto de Soutelo
Na última aula de Educação Física, a minha filha ficou toda esfarrapada quando caiu ao chão no decorrer de um exercício. Braço, joelho, anca e mãos muito magoadas.
Tudo porque o chão da escola é uma vergonha que não se admite num país civilizado, quanto mais num concelho, como Gondomar, que se diz desenvolvido.
Não vale a pena alegarem falta de dinheiro. Não é necessário dinheiro para pegar numa máquina e limpar aquele cascalho todo que alguém um dia decidiu lançar sobre o piso da escola.
Dinheiro não. Vontade política. Apenas e só!
Compreendo que os Centros Escolares sejam mais atractivos em tempo de eleições. Afinal, a Escola E B 1 do Alto de Soutelo é muito pequena. Rende poucos votos.
Já agora, relembro mais uma vez que a passadeira que serve os alunos da escola é uma pouca-vergonha. Uma passadeira que vai dar a uns contentores do lixo, que está sempre ocupada por carros e que, de resto, praticamente já desapareceu.
Deixo algumas fotografias para que o senhor ou alguém ponha a mão na consciência. Para que alguém pense na negligência que representa toda esta situação.
É que, um dia, a negligência transforma-se em crime.
Aqui estarei se for esse o caso.
Cumprimentos.

A rebaldaria em Gondomar e a cumplicidade do Presidente da Câmara

img_0022
A besta proprietária deste carro mudou-se há pouco tempo para a rua e já encontrou o seu lugar privativo. Todos os dias, ao fim da tarde, chega a casa, estaciona no mesmo sítio de sempre e vai descansar. Se for 6ª Feira, só volta a pegar no carro na 2ª de manhã. Não interessa se há lugares uns metros mais à frente ou atrás – e muitas vezes há. Ali está melhor, porque fica à porta de casa.
E é ver os muitos jovens que vivem por aqui, numa rua muito movimentada, a terem de ir pelo meio da rua para atravessar. No dia em que forem atropelados, fora da passadeira, a culpa nunca será da besta que a ocupa, mas sim de quem atropelou.
Estou perfeitamente à vontade para falar do Marco Martins, Presidente da Câmara de Gondomar. Tinha 14 anos quando o conheci, na Escola Secundária onde cheguei a dar-lhe algumas aulas. Moí-lhe o juízo durante 2 anos, já ele era Presidente da Junta, para instalar uns pilaretes na minha rua que impedissem os condutores de estacionar em cima do passeio. Votei nele nas Autárquicas de 2013. Nele. Por ser ele. Não por ser do PS.
Mas ao fim de 3 anos, o que vejo, com desilusão, é uma mão-cheia de nada no que toca aos direitos dos cidadãos e em particular dos peões – aqueles que, na selva do trânsito, mais precisam de ser defendidos. E não me venham com a pesada herança do Major – é verdade que foi pesada, mas para isto a desculpa não cola.
Pintar passadeiras. Instalar sinalização. Criar baías através do estreitamento dos passeios nas zonas de atravessamento de peões. Reforçar a acção da Polícia Municipal nessas áreas. Pedir a intervenção da PSP e da GNR. Pilaretes. Sinais luminosos. Sensores. Bloqueadores. Quantos milhões eram necessários, Marco? [Read more…]

Democracia à moda de Gondomar

valentim
O Centro Escolar de Valbom já está em funcionamento desde Setembro de 2011 – ou seja, há quase 2 anos – mas isso não impediu Valentim Loureiro de inaugurá-lo na última sexta-feira, 31 de Maio de 2013. O facto de estarmos em ano de eleições autárquicas e de o «Movimento Independente Valentim Loureiro» ser de novo concorrente decerto que nada tem a ver com esta inauguração completamente desproprositada.
Já o candidato dessa lista, o eterno vereador Fernando Paulo, que também esteve na inauguração, parece que chamou ao seu gabinete – ou alguém por ele – todos os funcionários da Câmara que tiveram o desplante de colocar um «Gosto» na página do Facebook de Marco Martins, o candidato do PS e seu principal opositor.
É a chamada democracia à moda de Gondomar. Não é por acaso que a terra dos nabos insiste em eleger gente desta para comandar os seus destinos.

Valentim Loureiro e a lei da limitação de mandatos

Ainda sobre a limitação de mandatos e na sequência de um comentário ao meu post anterior.
Mesmo sabendo o que diz a lei da limitação de mandatos, o que é que atenta mais ao espírito com que foi feita? É Luis Filipe Menezes passar de Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia para a Câmara Municipal do Porto ou Valentim Loureiro passar de Presidente da Câmara de Gondomar para Presidente da Assembleia Municipal de Gondomar, colocando um boneco no cadeirão que era seu e continuando a controlar tudo a partir do novo cargo?
Pois…