Enfim

Fala-se tanto na defesa da língua portuguesa como sendo uma das dez mais faladas em todo o mundo, na importância de valorizar a CPLP, na alma lusa, em Camões e Pessoa, usam-se cachecóis com as cores nacionais, canta-se o hino, grita-se “Portugal” e apregoa-se o fado e a saudade.

Mas, no fim de contas, lá temos o Primeiro-ministro português a falar em castelhano numa entrevista a um jornal espanhol.

Não fosse ser tão triste, seria de rir.

Leitura de Domingo, 1 de Dezembro de 2013

As Cartas a Marina por causa do galego, do Fernando Venâncio ou os séculos de castelhanização contados pela língua.

Antropologia da criança. Losotros haulamos doh’s idiomas

20080605klphishch_5_Ies_SCO.jpg

Para Ana Paula Vieira a Silva, no dia do seu aniversário, Antropóloga que me acompanhara a escrever em português, antiga discente dos cursos noturnos que ela e eu apoiávamos, hoje amiga íntima. Como este texto, o primeiro escrito para a Página, no primeiro numero, no dia 28 de Setembro de 1998 comigo em trabalho de campo entre os Picunche, na Cordilheira dos Andes, altura Chile [Read more…]

Faltam 408 dias para o Fim do Mundo

Ao ler esta notícia lembrei-me da música dos Xutos e como se pode verificar por esta notícia, já nem em casa o homem manda. Cheira a fim de regime. Talvez por isso ou influenciados pela máxima do nosso Primeiro (“Espanha, Espanha, Espanha) andam as crianças a aprender castelhano. Fazem elas muito bem.

E se nenhuma televisão avança, avançamos nós: malta, toca a convidar o Professor Marcelo! Nestes tempos que a terra treme um pouco por toda a parte, seria um valente terremoto não ter Marcelo na televisão.

Sem dúvida, o Gabriel Alves fez escola.

%d bloggers like this: