Bye, Bye, Brasil?

Empatar a três golos com Israel, sofrer até ao fim e escapar à derrota por um cabelo, ficar com a qualificação para o Mundial ainda mais tremida, não é mau, é péssimo. Ficar a ver passar israelitas em direcção à baliza, jogar pouco, empenhar-se quase nada, dá nisto.

Quem tem Ronaldo (o único que puxou pela equipa) é obrigado a mais. E Ronaldo, o melhor jogador de futebol em actividade, a par de Messi, não merece ver o mundial brasileiro pela televisão.

A última ficha ainda não caíu, mas falta pouco. Bye, Bye, Brasil?

«La ostentosa Portugal»

Quero agradecer à nossa leitora Alexandra a informação dada sobre a seleção portuguesa através do seu comentário ao post «Já ganhámos!». Ela escreveu “Desde cá, vê-se assim:…”. Ou seja, como estamos a ser vistos pelos nossos vizinhos espanhóis, também eles em crise e a pedir ajuda internacional.

Alexandra enviou-nos o link para o jornal El País online de ontem, dia do jogo com a Alemanha. Pode ler-se, por exemplo, e tento traduzir: “O conjunto luso hospedou-se no hotel mais caro do torneio, desatando a indignação de um país sumido numa grave crise económica. (…) gastaram o dobro de Espanha, mais austera. (…) Portugal nunca ganhou nada como seleção”. Vale a pena ler a notícia.

No Dia de Portugal, há que refletir sobre este defeito do português: a mania do exibicionismo (ou ostentação). Fica-nos mal. É uma mentira que se conta…

Já ganhámos!

Ainda a pensar na nossa seleção e nas despesas surreais da mesma. Soube, entretanto, que é a comitiva que mais gastou na estadia e que os valores dados pelo Jornal de Notícias parecem estar incorretos.

Já ganhámos numa coisa: Portugal é número 1, líder nas despesas!

Em contrapartida, a FIFA coloca-nos em 10º…

Somos, muitas vezes, líderes naquilo que menos interessa.

Continuo a dizer: para um país pobre como o nosso, não combina ter uma seleção rica e que dá ares disso sem a menor solidariedade com os portugueses e a situação difícil que passamos. Não estamos em tempo de circo levado a cabo por quem não é artista circense.

«11 por todos, todos por 11» – não vou nessa, amigos!

p.s.- Nem de propósito. Acabo de receber e-mail da Galp Energia com o conhecido slogan que referi atrás. Pedem « Veste a nossa camisola». Eu respondo: «não me serve».