Sugestões

Catroga sugere 8 mil milhões cortados na despesa. Eu sugiro 8 mil milhões de despesas cortadas no Catroga.

Para onde vai o dinheiro do estado

Para onde vai o dinheiro do estadoPara onde vai o dinheiro do estado

Clicar nas imagens para ampliar

A infografia da direita foi publicada no Expresso de 3 de Novembro passado. Para melhorar a interpretação, traduzi os números apresentados em percentagens (tabela da direita). [Read more…]

Quem consegue dormir direito ou esquerdo?

É o desemprego em massa dos professores,

é a TSU,

são os salários que estão mais magros a cada ano que passa,

foi o investimento em formação académica (licenciatura e mestrado e livro publicado) que não teve nem tem contrapartidas financeiras (só a realização pessoal) –  o ministro não foi Gago ao exortar os portugueses a voltarem à escola e a conquistarem o canudo e o título de  «doutor»,

são agora as dezenas de vozes a apregoar pelo ensino profissional (o outro, o Paulo Rangel, que escreveu esta semana «Pelo direito fundamental a não ser dr.»),

é o outro, quase gago, que nos pede mais sacrifícios,

é a outra, também sabida em Finanças, a Ferreira Leite, que até é do mesmo partido do PM, a avisar o governo que se não «arrepia caminho» este país fica destroçado,

somos nós que não dormimos a pensar onde podemos cortar ainda mais nas despesas,

que ganhamos menos que há 4 anos, por exemplo,

nós que até somos sortudos em ter trabalho, mas não sabemos até quando,

é o outro, um José, que desesperado já aos 28 anos, se resignou, baixou a cabeça e aguarda de braços cruzados que lhe arranjem emprego,

são os outros, «vão p´ro diabo», que se lembraram de mandar erguer uma Cidade do Futebol,

é o mimado do CR que chora, choras porquê, “menino da lágrima”? – olha à tua volta!

é o futuro dos nossos meninos, dos nossos filhos, que nos preocupa…

A eles não queremos que falte o necessário.

 

Já ganhámos!

Ainda a pensar na nossa seleção e nas despesas surreais da mesma. Soube, entretanto, que é a comitiva que mais gastou na estadia e que os valores dados pelo Jornal de Notícias parecem estar incorretos.

Já ganhámos numa coisa: Portugal é número 1, líder nas despesas!

Em contrapartida, a FIFA coloca-nos em 10º…

Somos, muitas vezes, líderes naquilo que menos interessa.

Continuo a dizer: para um país pobre como o nosso, não combina ter uma seleção rica e que dá ares disso sem a menor solidariedade com os portugueses e a situação difícil que passamos. Não estamos em tempo de circo levado a cabo por quem não é artista circense.

«11 por todos, todos por 11» – não vou nessa, amigos!

p.s.- Nem de propósito. Acabo de receber e-mail da Galp Energia com o conhecido slogan que referi atrás. Pedem « Veste a nossa camisola». Eu respondo: «não me serve».

Leal da Costa, poupa na tua família

Descubro que um tal de Leal da Costa, secretário de Estado da Saúde, acha que  “as terapias que prolongam por pouco tempo a vida de alguns doentes de cancro” são uma despesa inútil onde há que poupar.

Isto toca-me. Faz agora dois anos tive uma situação destas com um familiar próximo. Sem mais detalhes que os publicados, a dor pessoal enraivece mas nem toda se partilha, dou por mim a pensar em como esse mês nos foi tão precioso. E dispo a hipocrisia. Leal da Costa: espero que experimentes o exemplo e não tenhas tempo para te despedir de quem amas. Embora esse alguém provavelmente não tenha culpa, e fosse mais justo faltar-te a ti esse tempo, assim provarás do teu veneno e depois vamos ver se mordes como víbora.

Fotografia Javier Reina

Falta de olho

A visita do Papa Bento XVI a Espanha, ficou desde logo marcada pela conversa da despesa de 25 milhões de Euros.

Esquecem os preocupados da despesa que a visita papal trouxe a Espanha milhares de fiéis de todo o mundo que lá vão gastar dinheiro em restaurantes, museus e hotéis – como os chineses do Futre. Além da projecção mediática usufruída por Espanha que ainda ganhou em tomar de perto as palavras de um Papa universitário e com um pensamento sobre a actualidade digno de ser estudado.

Dos revoltados espanhóis sobre os custos da visita papal, gostaria de saber quantos já não se importam de comprar bilhetes de futebol e sustentar clubes com salários megalómanos para os tempos em que vivemos?

Nestas coisas é preciso ter um pouco mais de visão. Ou de olho, mas com cuidado não vá Mourinho meter o dedo…

Este governo cortou na educação

O economista Eugénio Rosa, especialista em desmontar manipulações das contas públicas, razão mais que suficiente para não aparecer nos debates televisivos, publicou uns dados curiosos sobre a educação em Portugal. Sobretudo estes:

Contrariando toda a propaganda do governo, este desinvestimento na educação explica-se da seguinte forma: [Read more…]

Um diz "mata!", outro diz "esfola!"

Pedro Passos Coelho, ajudante número 1 de José Sócrates, disse hoje:

“A Constituição tem implícito um programa de governo, ao dizer que a Educação e a Saúde têm de ser tendencialmente gratuitas. O problema é o irrealismo destas propostas. Sabemos que a educação e a saúde não são tendencialmente gratuitas”.

Pois é, a Constituição Portuguesa, esse manual de práticas despesistas, consagra que compete ao Estado assegurar o acesso a cuidados de saúde e a uma escolarização tendencialmente gratuitas.

Mas esta geração de pragmaticíssimos gestores transformados em políticos, e que não são mais do que marionetas trôpegas, com os cordelinhos demasiado à vista, de um poder económico cada vez mais exigente com os seus títeres,  acha que a Constituição já não se serve os supremos interesses do país. [Read more…]

FCPorto – O Diagnóstico da Doença

O Clube FCPorto está doente. A sua equipa de futebol profissional sofre os efeitos.

Depois dos últimos resultados da equipa profissional de futebol do FCPorto, reuniram-se em assembleia muitos dos responsáveis pelo clube.

Nessa reunião, foi decidido que seria preciso saber das razões que levavam a que, a equipa que milita na 1ª liga de futebol, estivesse a ter tão fracos resultados.

Para tal, entraram em contacto com professores, empregados indiferenciados, médicos, engenheiros, balconistas, advogados, trolhas, políticos e demais profissionais da nossa praça, para que em conjunto e cada um por si, determinassem as causas que afligem aqueles profissionais.

Durante algumas horas, trabalhando afincadamente, todos os contactados exprimiram a sua opinião. Depois foi só reuni-las (às opiniões), catalogá-las, e tirar conclusões.

Dissecaram-se as razões. Avaliaram-se os resultados de todas as equipas das várias modalidades. Esmiuçaram-se os títulos, verificaram-se as taças e as medalhas, emitiram-se opiniões.

O diagnóstico chegou finalmente. [Read more…]