A união de fato: o regresso

Maxine: Workin’ on your sermon for next Sunday, Rev’ rend?

Shannon: I’m writing a very important letter, Maxine. [He means don’t disturb me].

— Tennessee Williams, “The Night of the Iguana

Franchement, c’est too much.

Hélène Lecomte

Un dernier verre de sherry
De cheri mon amour, comme je m’ennuie

Sylvie Vartan

***

Segundo o sítio do costume, união de fato é um dos elementos que servem para enquadrar o conceito agregado familiar.

É o regresso da união de fato, essa nossa velha conhecida.

Efectivamente, o aspecto do Diário da República mudou: todavia, a grafia caótica mantém-se.

***

Nótula: Tive pena de não poder estar presente ontem no lançamento do Acordo Ortográfico – Um Beco com Saída, de Nuno Pacheco. Para esquecer essa tristeza, no fim do trabalho, fui dar umas voltas no velódromo dos meus vizinhos, que, segundo eles – e eu acredito e agradeço-, também é meu.

Se os fatos novos forem de molde a excluir o candidato

suit-tailor_2538442b

Photo: Alamy (http://bit.ly/1X7qfUl)

HALIE. Language! I won’t have that language in my house! Father I’m—

— Sam Shepard, “Buried Child”

STANLEY: In Laurel, huh? Oh, yeah. Yeah, in Laurel, that’s right. Not in my territory. Liquor goes fast in hot weather.

— Tennessee Williams, “A Streetcar Named Desire”

CORA–(teasingly) My, Harry! Such language!

— Eugene O’Neill, “The Iceman Cometh”

 ***

DRE662016