Orthographia ou Ortografia?

Já no século XVIII não havia acordo, ou mesmo acôrdo.

ORTHOGRAPHIA , f.f. arte , que enfina a reprefentar bem com letras os fons, e as modificações, delles, nas vozes , ou palavras de que ufamos. § A arte do defenho; o defenho feito, § Perfil, t. de Fortif.

ORTOGRAFIA, f.f. João de Barros na fua Grammatica diz que affim devemos efcrever efta palavra , não objtante pedir a etymologia qüe fe efcreva orthographia, porque havemos de efcrever como pronunciamos, veja-fe o Difcurfo da Lingua Portuguesa de Severim porque na ultima edição da Grammatica de Barros p. 184 linha 23. erradamente fe imprimiu Orthographia.


Diccionario da lingua portugueza composto pelo padre D. Rafael Bluteau, reformado, e accrescentado por Antonio de Moraes Silva natural do Rio de Janeiro, 1789

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Eu adoro o “ph”, ainda se vê nas Pharmácias…

  2. Carlos Loures says:

    Seria interessante desencadearmos aqui um debate sobre a questão do Acordo Ortográfico. Afinal, trata-se de uma decisão que, quer queiramos quer não, nos vai afectar a todos.

  3. Carlos Loures says:

    Acho que deve ser o João José Cardoso.


  4. Isto foi um pontapé de saída. Há pelo menos mais dois rascunhos, uma assistência pela lateral e um remate à baliza, programados para os próximos dias.

  5. @ricardo says:

    O autor deste post é um ignorante: transcreveu o «s» como «f», por não reconhecer a caligrafia da época.


  6. Transcrição literal diz-lhe alguma coisa? E não vê que se trata de uma edição impressa, ou pensa que a caligrafia era feita por tipógrafos?

    Vá fazer os trabalhos de casa, descubra a diferença entre manuscrito e impressão e depois apareça para tomar um cházinho que lhe faz falta. Pago eu

  7. @ricardo says:

    Veja o uso da tipografia do «s» longo, não exclusivo da língua portuguesa. Sinceramente.


  8. Vê? Já disse tipografia, está a chegar lá.
    Sei muito bem que numa transcrição deveria grafar o s como fiz na referência bibliográfica.
    Adivinhe agora porque preferi lançar a confusão, quando o que se discute é a ortografia.

  9. @ricardo says:

    Na caligrafia e na tipografia, não se transcrevem os grafemas inexistentes para a letra correspondente errada. O «s longo» não era um «f». É uma variante gráfica — e não ortográfica — do «s». Exemplo da genealogia.

    Eu adivinho que fez isso para fazer batota, causando a impressão do português antigo como sendo algo estranho. Contudo se estivesse com os «ésses» no lugar, ninguém teria dificuldade em perceber o texto, não parecendo assim o português antigo uma coisa caricata como quer dar a impressão.


  10. Sim, fiz um bocadinho de batota. Chegou lá. Inicialmente ia colocar uma imagem do texto impresso, http://www.brasiliana.usp.br/bbd/handle/1918/00299200
    o que teria o mesmo efeito, apenas sucedeu que não tinha à mão ferramentas para editar a imagem.
    Entendido?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.