O 1º programa Vidas Alternativas deste ano

Faço este programa desde 1999,e comecei-o na radio VOXX. Depois a radio fechou, na sequência de um incidente que aconteceu durante o meu programa que era em directo. Passei para a Rádio Seixal, onde estive mais de uma ano, e enfim, criei o Movimento Vidas Alternativas com o respectivo portal que produz o programa e apoia outras iniciativas, sob o lema – um programa muito pouco católico para todos os protestantes sociais.
Aqui vos passo a sinopse do 1º deste ano, com um convite aos bloguistas que quiserem ter voz que me contactem, pois há sempre espaço para eles.
Não posso começar sem vos deixar uma palavra de saudação e agradecimento pelo convite que me fizeram e que, como se vê, aceitei logo….

Recomeça o VA deste ano que se inaugura, ao fim de uma semana muito quente por causa da questão dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Depois de aprovada no Parlamento, a lei segue agora para o Presidente da República para assinatura, mas entretanto, notou-se uma total indiferença no público em geral e até junto de grande parte da comunidade gay depois da sua aprovação.

Em todo o caso, não é demais dizer que se deu um grande avanço civilizacional, cultural e social com esta lei.

E é sintomático referir que a 1ª lei republicana aprovada no Parlamento este ano, do centenário das comemorações da implantação da República, que agora se comemoram, seja justamente uma lei dos casamentos civis que alarga a sua abrangência a toda a sociedade.
Estão de parabéns todos os portugueses, e neste momento Portugal é para os países lusofonos, ou da CPLP um farol de esperança no campo dos Direitos Humanos. Por toda a Europa, e no Mundo, o que aqui aconteceu foi noticiado como um passo em frente na luta global pela Igualdade.

Estão também de parabéns todas as ONG´s, grupos, blogues, associações em geral, e lgbt em especial, que tanto trabalharam para isto – apesar de tão divididas -e, de igual modo, estão de parabéns, o Bloco de Esquerda, que corajosamente levantou esta bandeira dita fracturante entre nós, os Verdes que sempre apoiaram esta causa, o PCP que acabou por a assimilar e, enfim, o Partido Socialista, que graças ao voluntarismo do Primeiro Ministro José Sócrates, lhe deu credibilidade para poder deixar de ser fracturante.
Infelizmente, nem todos perceberam isso, inclusivé muitos republicanos e laicos, pelo que constatamos que há ainda uma longa luta a travar depois desta mudança crucial.
Os fantasmas e as declarações homofóbicas que saíram à luz, por todo o país, mostram as dificuldades que muitos portugueses têm em lidar com a Diversidade, quer como valor ético, quer como valor social, republicano, democrático, cultural e até gerador de riqueza económica.
O Governo, os Poderes Locais têm de se voltar para este aspecto redutor da nossa cultura, para implementar a aceitação da Diversidade, não tanto como vector de tolerância mas como valor Democrático, de Cidadania e de Igualdade.

Passemos agora ao Vidas Alternativas.
Começa com a enfermeira Ana Campos Reis, da Santa Casa da Misericórdia, que nos alerta para a problemática do HIV sempre presente, e crescente, em Portugal.
Depois, é a vez de falarmos com o militante de base da causa palestiniana, Raul Mesquita, que nos fala dos problemas quotidianos que os palestinianos enfrentam nos territórios ocupados.
Seguimos a conversar com Júlia (Coutinho) a propósito do seu blogue as Causas da Júlia, e escolhemos duas, entre tantas: o mau trato dos animais e a recuperação da memória daqueles que anonimamente lutaram durante o fascismo pela implantação da Liberdade que agora usufruímos.
Fechamos o programa com Renato Epifânio, da revista Nova Águia (agora, no 6º numero), uma revista cultural para o século XXI, defensora do projecto da lusofonia ,uma ideia integrativa e cultural a abraçar por todos os falantes da língua portuguesa.
Esperemos que gostem deste Vidas Alternativas, e a todos desejamos um bom ano 2010.
Antonio Serzedelo-editor -anser2@gmail.com

Comments

  1. Luis Moreira says:

    É o habitual meu caro, depois de alguem saltar para dentro da piscina, todos acham que a água está boa…

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    Parabéns, António. Foi preciso vieres tu para dizer bem do primeiro-ministro neste blogue.


  3. Ricardo, O nosso país está cheio de ódios de estimação, de raivas mal contidas,e mal contadas, de sportingues-benficas,de cliques e de claques, que envenenam tudo, e nao deixam ver claro o que deve ser visto, só vem a árvore-umbigo- e nao veem a floresta.
    Como nao sou do PS,nem pertenço a nenhum lobby, nem tenho nenhuma capelinha de apoio, e ainda menos tenho ambição politica de singrar na politica, com a idade e o espirito que tenho,posso dar -me ao luxo de aplaudir a prima donna, quando canta bem,e logo patea-la , quando desafina .Por isso mesmo , tenho, tambem, ganho alguns ódios de estimação,e nao devo ser considerado fíavel,por nenhum aparelhistico, vide´carreirista , da vida nacional.UF,que bom . Dorme.-se tão bem .A Serzedelo


  4. Qual anuncio,caro Luís.”?
    Nao ando á procura de emprego,porque ja tenho.Nao respondo em geral a anuncios. só de trastes…. Algum sexual, interessante’?Entao ,diga-me,que agradeço.1 abraço,ANTONIO

    • Luís Moreira says:

      Não, António, fui que aqui há uns meses coloquei um poste (e mais tarde outro) a procurar alguem que dissesse mal do Sócrates.Um dos nossos leitores queixou-se de não haver nenhum aventador pró-Sócrates, daí a brincadeira. abraço

      • Luís Moreira says:

        corrigindo..fui eu que …procurei alguem que dissesse bem do Sócrates, daí a brincadeira, quando o Ricardo fez o comentário de, enfim, aparecer alguem a dizer bem do nosso primeiro…

  5. Ricardo Santos Pinto says:

    Não é isso, António. Nós é que pusemos um anúncio para arranjar um aventador socratista, porque não temos nenhum. Parece que fogem de nós como o Diabo da cruz. Não apareceram candidatos…


  6. ah1ok, percebo … nao estava dentro da jogada. De qq modo levei para a brincadeira…Luís
    Mas nao vai ser fácil.
    Só muita bem pago… lol ,porque é um trabalho dificil.
    Já experimentaram falar para as JOTAS’?. É capaz de haver lá alguns voluntários…
    De qualquer modo, o que escrevi no comentario anterior, dos ódios privados de estimação-veja-se o caso do Vasco Lourenço com o outro coronel-corresponde ao que penso,infelizmente…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.