«Se pudessem, já me tinham eliminado de várias maneiras»

Em ano de conquista de direitos sem precedentes para os cidadãos LGBT em Portugal, o dezanove entrevista António Serzedelo, figura histórica do activismo LGBT, presidente da Opus Gay e autor do programa de rádio Vidas Alternativas:

dezanove: Muitos consideram António Serzedelo uma figura incontornável do activismo português. Que balanço político faz da sociedade portuguesa entre 1974, quando foi publicado na imprensa o primeiro manifesto sobre a “Liberdade para as Minorias Sexuais” 17 dias após a revolução, e 2010, quando foi convidado para almoçar com o primeiro-ministro no dia da publicação da lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo? [Read more…]

Em louvor do Presidente Lula, passando por Sócrates

Grande Presidente que agora sai do seu posto  , deixando  uma grande obra feita no Brasil!
É admirável  tirar 30 milhões de pessoas da pobreza, fazer entrar outros tantos na classe média, sem revolução,nem massificação,nem radicalismos, e conseguir tantos objectivos sociais em 8 anos! Ele conseguiu  na América do  Sul impôr valores da social democracia, que aqui na Europa parecem estar moribundos.

Os nossos líderes têm muito a aprender com este Homem, que não é Dr. nem Eng., um ex operário e  sindicalista ,mas soube encarnar as esperanças de um Povo, e falar -lhe directo e verdade,sempre que foi preciso.Esta é a fibra dos grandes lideres,com ética, e que quando  acreditam que é necessário atingir um objectivo social ,sem pôr em causa a estabilidade social , sabem transmitir esse objectivo ao Povo que o escuta .
Espero e desejo que Sócrates, que agora vai ao Brasil para assistir à tomada de posse da Presidente Dilma,uma mulher à frente de um grande estado  possa aprofundar as nossa relação com este país, em beneficio de ambos, e da CPLP que deve ser um grande desígnio nacional. Só temos todos a ganhar com isso.

Sócrates  que é um resiliente,  se  quiser voltar a vencer- e de que não se vê alternativa no partido,sendo Antonio Costa uma reserva que não pretende avançar- tem de fazer  grandes mudanças no discurso , e  ouvir muito bem Lula ,e quiçá também Dilma. Esperemos que  traga novidades em termos de compra da dívida soberana,e de importações-exportações .

Entretanto, Portugal tem de ultrapssar as barreiras dos nacionalismos estéreis, entender- se bem a nível Ibérico,ultrapassar  os   indidualismos pessoais, de classe ,ou corporativos,que não se justificam neste tempo de crises. [Read more…]

Sumario breve do ano 2010 e prognóstico de 2011

2010 – Ano difícil para os Portugueses e para as Instituições representativas do Estado.

Pela 1ª vez se começou a ter consciência, embora vaga, da crise económica, social, financeira, política e cultural em que o país estava mergulhado, fruto também da  mundialização, sem se conseguir atinar com um rumo definitório.

Temos um país dividido entre oposições de bota abaixo, e um Governo entediado em contradições, com medo de falar verdade aos cidadãos, muito acusado, de estar envolvido em corrupção sem nada ter ficado provado, mas com visível desgaste, sendo a corrupção  uma das mais graves doenças da nossa sociedade,que urge combater em todas as frentes.
As mudanças estruturais que o país precisa, para enfrentar a globalização, que é um desafio a todo o Ocidente, e que o Governo deve empreender, têm sido adiadas, ou amaciadas, por razões de conveniência eleitoral.Acertou nas energias alternativas,e   na procura de mercados emergentes, mas são  alternativas que levam o seu tempo a organizar se .

Agora, é confrontado,por causa da dívida soberana , com exigências  que vêm do exterior, BCE e FMI, e que as oposições aproveitam, em coligações negativas, com o fito quase exclusivo de aumentar o seu score eleitoral. [Read more…]

Whikileaks, droga, diplomacia.liberdade e morte?

O caso do  Wikileaks versus Assange-agora eleito o homem do ano  pela “Time” -levanta questionamentos  muito interessantes  para a nova sociedade global em que já vivemos, particularmente no domínio da net, jurídico, e das Liberdades.

Começou por ser um susto-escândalo quando, de repente, somos confrontados com um acervo de  250 mil documentos,  confidenciais ou secretos, a maior parte  descontextualizados ,enviados de vários organismos diplomáticos  americanos, para Washington .
Os primeiros a reagir, com muita virolência  foram os EUA e a Inglaterra,mas depois, veio a Rússia, Itália,Paquistão, Venezuela, e muitos outros, todos a braços com  pretensas revelações, que  verdadeiras ,ou não ,desequilibraram  o stablishment, e  deram vida a muitas oposições.
O Wikileaks  veio comprovar  um novo modelo de informação que deixou de ser de massas, controlada por empresas,para ser  em rede, e nessa rede cada um forma  do caso, a sua opinião individual. 
Abriu uma interessante batalha  pelo controlo da internet ,pela liberdade total na rede , sobre os conceitos de segredo e privacidade,obriga a  uma redefinição das diplomacias ,e abre a luta sem quartel, entre aquilo  a que se chama a transparência, como contrapeso democrático.
Estamos face à primeira infoguerra mundial,onde o campo de batalha é o Wikileaks,  os soldados  são os utilizadores da rede,e as bombas são lançadas pelo piratas,ou pelos governos, para liquidar  o inimigo.
Houve  no início duas instâncias  que vieram credibilizar  o Wikileaks.  [Read more…]

"HOMENS CONTRA A VIOLÊNCIA"- MANIFESTO

HOMENS CONTRA A VIOLÊNCIA

LANÇAM DIA INTERNACIONAL DE ELIMINAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES 25 DE NOVEMBRO

Mal vai uma sociedade quando 39 mulheres morrem até Novembro vítimas de violência domestica.

Mal vai uma sociedade quando uma organização constituída por homens tem que reagir firmemente, para demonstrar a todos que é possível relações íntimas construídas sem violência física ou psicológica. Sem agressões e “justificações” injustificáveis como “sempre foi assim”, “não há casa onde o sol não entre” ou mesmo “entre marido e mulher não metas a colher”.

Chega de “justificações” que, literalmente, matam. Porque minam a Justiça, porque tende a justificar em vez de punir. Porque minam as autoridades porque tendem a contemporizar e a “tentar” mais uma vez quando é preciso dizer basta. Porque minam a vizinhança, tornando-nos espectadores quando deveríamos ser todos interventores.

E não basta a retórica da importância das Mulheres como inspiradoras, como sensíveis, como musas … é apenas mais uma inconsistência com que temos que lutar. Essas musas, essas mulheres fundamentais na criação apenas corariam de vergonha se descobrissem que, em 2010 e em Portugal, morre quase uma mulher por semana, muitas ficam marcadas na carne e milhares se encontram agrilhoadas por um indescritível pânico.

HOMENS CONTRA A VIOLENCIA declara que todo este padrão não é “natural” e muito menos de “homem” e manifesta a sua indignação. HOMENS CONTRA A VIOLENCA é uma organização humanista, i.e., claramente contra todas as formas de discriminação baseadas no sexo, na raça, na orientação sexual, na aparência, e na diferença, e acima de tudo, naturalmente feminista, na defesa intransigente da igualdade que deveria ser tão natural como indiscutível.

Este 25 de Novembro, DIA INTERNACIONAL DE ELIMINAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES, vamos mostrar a nossa indignação COBRINDO AS ESTATUAS FEMININAS NO CENTRO DE SETÚBAL. A grande Luisa Todi, a musa de Bocage, as estátuas da Fonte do Mercado, se lhe pudéssemos dar vida, protestariam contra a HIPOCRISIA.

No dia 25, entre as 12 e as 14 horas HOMENS CONTRA  A VIOLENCIA, juntamente com a Prima Folia, Departamento Federativo das Mulheres Socialistas de Setúbal, a UMAR e a SEIES, vai realizar uma acção onde, PARA ALÉM DE ANIMAÇÃO DE RUA VÃO COBRIR AS ESTATUAS FEMININAS NUMA ACÇÃO DE PROTESTO CONTRA A VIOLENCIA (PRAÇA DO BOCAGE /AVENIDA LUISA TODI)

SUCESSOS DE LISBOA, E DE ROMA

Foi um sucesso a cimeira da Nato em Lisboa , sobretudo, porque conseguiu lograr uma desejável parceria com a Russia, encerrando assim definitivamente, a porta da guerra fria,que na verdade terminou com a implosão da União Soviética e a queda do muro de Berlim.A partir daí a globalização neoliberal que já vinha a caminho , acelarou-se, de forma celerada,como a estamos agora a conhecer,com um mundo unipolar.

Também foi um sucesso de Lisboa a melhor coordenação que, finalmente, parece ter sido conseguida entre a União Europeia e os EUA, com resultados imediatos visíveis, ao decidir se preparar, em pouco tempo, a saída, de forma faseada das tropas da Nato do Afeganistão, e um díalogo mais intenso entre estas duas regiões fulcrais para o mundo.
Sucesso também a nível internacional para o governo de Sócrates, por ter conseguido organizar com êxito, um evento global tão importante, que colocou Portugal por uns dias, nos os écrans de todo o mundo, promovendo a nossa imagem de forma positiva. Sócrates saiu -se bem e mostrou-se um líder com capacidades internacionais, malgrado o desastre social que se passa, agora, a nível interno em Portugal. [Read more…]

Acha que o país está preparado para a mudança?

Mais uma polémica barata, em plena crise económico-financeira cara.

O Governo resolveu criar uma nova  figura no instituto jurídico das Adopções: o Apadrinhamento Civil. Até aqui muito bem, não fora o facto de  se ter escrito que a “candidatura de casais homossexuais de crianças institucionalizadas não é factor de exclusão, mas de ponderação”. Todas as adoções ou apadrinhamentos devem merecer ponderação, mas não em função da Orientação Sexual, senão a Lei corre o risco de ser inconstitucional.
Foi o fim do mundo para os zelosos seguidores das diversas ortodoxias. A Isilda Pegado, conhecida protagonista da Plataforma contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, pegou logo na cruz e na espada e recomeçou a sua cruzada eucarística para salvar o mundo da mudança e pôr “Portugal nos eixos” de há 50 anos.
Luís Villas Boas, major de tropa, director de um conhecido asilo de crianças, correu  aflito, aos gritos, desde o  Algarve, porque assim começam-se  a mudar paulatinamente as coisas e lá vai ele perder poder e clientela . É que deste modo os meninos, em vez de  irem para instituições onde não têm família, mas com subsídios vários, muitos estatais, vão parar a casas de padrinhos homossexuais que os podem amar e acarinhar , onde não custam nada ao Estado, o que é, para ele, nitidamente uma “perversão”.   [Read more…]

Uma viagem complicada

http://static2.video.corriereobjects.it/widget/swf/CorrierePolymediaShow.swf

Sindicalistas, laicos, ateus, livres pensadores, colectivos de homossexuais, feministas e católicos críticos do papa fizeram-lhe em Espanha e sobretudo na Catalunha, Barcelona, diversas contra manifestações  que se realizaram durante os días prévios à visita de Bento XVI.

O Movimento Laico e Progressista convocou uma manifestación no passado dia 4 de nov, três días antes da visita do santo padre a Barcelona, para reivindicar “el estado laico” y protestar por las “muchas prebendas que todavía disfruta la Iglesia Católica”, segundo declarou à Efe o secretario geral da associacão, Jofre Villanueva.

Entretanto, no próprio dia, e na hora em que o Papa chegava à Igreja da Sagrada Família que ia benzer, foram preparados outros eventos mais fortes. Nas janelas apareceram panos a lembrar-lhe que não era bem vindo, nas paredes das ruas, pintadas escritas a dizer,”Vem aí o Papa,guardem as criancinhas!”, e enfim, a cereja no bolo , uma “flash mob ” de dois minutos, frente à catedral,no momento em que ia chegar (ver o video), e junto ao papamobile, foram dados de centenas de beijos na boca, protagonizados por gays, lésbicas, e heteros. [Read more…]

AS ÉLITES DEMITIDAS, OU A CIDADANIA DEMISSIONÁRIA ?

Há  hoje por trás de muitas críticas a que assistimos,feitas a eito, contra Sócrates, o Governo , e o sistema,

inúmeras  confusões, e alguns até  confundem o sistema, com Sócrates, Guterres, Durão Barroso,Santana Lopes,Cavavo.
Mas todas elas vivem de  um substracto cultural  reaccionário, que  têm  um pé  em Berlusconni , machismo  e xenofobia, e outro em Sarkozy  , populismo e  oportunismo .
E eu pergunto, tal como vejo perguntar na imprensa estrangeira ?
Como é que os (nossos ) políticos, eleitos democraticamente por todos nós,   são em tão  pouco tempo   sujeitos a campanhas de desprestigio  tão terríveis ,por parte dos seus adversários,   com a conivência  passiva de todos aqueles que são seus supostos  apoiantes?
Isto denota  uma falta de confiança entre  os políticos e os cidadãos.
Mas isso justifica   insultar sistematicamente,  quem   ocupa cargos de poder, desde as Câmaras, aos Governos ? Insultar  para destruir,fulminar,  fazer assassínios de caracter, com tanta sanha, e tanto ódio?
Há dias, o Presidente da República  deitou  mais uma acha  na fogueira que ele próprio acendeu, há  vinte anos, ao referir, publica e prosaicamente  no facebook , que existe uma “desconfiança das pessoas nos políticos”.
Este estado de alma,  agora tornado  publico, é grave,pois estamos a atravessar um momento crucial,  em que precisamos de lideranças, e de credibilidade, até internacional ,que essa expressão  queixosa não  facilita .
Não andamos muitos de nós à procura  de bodes expiatórios ,para cobrir a nossa indiferença,as nossas faltas  e egoísmo sobre o serviço  público , e só sabermos ser  retro -activos, em vez de ser pro -activos? [Read more…]

Vamos à Luta! inicia-se na rua em Lx, dia 16, no Largo de S.Domingos

Vamos!

Acabar com a pobreza, +Justiça na redistribuição da riqueza

Na 5a feira, dia 16, pelas 17h30, no Largo de S. Domingos em Lisboa (junto ao Rossio) arrancará a iniciativa “Vamos!”. Existirão intervenções curtas dos subscritores para lançar o protesto e o debate que se quer aberto. Depois, terão lugar todas as intervenções e ideias de quem por lá passar e decidir participar sobre os temas propostos. A conversa dará lugar ao protesto, às ideias, à alternativa, tudo, no espaço da rua, porque é também aí que as nossas vidas passam e se decidem.
Haverá animação de rua e faremos do espaço público o local do debate e das ideias que se juntam para uma alternativa, porque como afirmamos no manifesto (aqui) “Não fomos nós quem fez esta crise.”

Vamos quebrar o silêncio sobre as injustiças e as mentiras da crise.

Vindos de muitas ideias e de muitas experiências, juntamo-nos pela igualdade e contra as injustiças da crise. Conhecemos as dificuldades verdadeiras de quem está a pagar a factura de uma economia desgovernada.  Uma sociedade civilizada não protege a ganância acima do cuidado humano, o cuidado de um por todos e de todos por um.

O apelo está lançado para todos se juntem.
Vamos à luta!
:: Dia 16 de Setembro :: 17h30 ::
:: Largo de S. Domingos (Ginginha) no Rossio ::
Acabar com a Pobreza
+ Justiça na redistribuição da riqueza
Com curtas intervenções de Ulisses Garrido (Comissão Executiva da CGTP), José Rodrigues  e Rui Maia (Membro dos Precários Inflexíveis), seguidas das quais o espaço será aberto a todas e a todos os que por lá passam.

http://vamos2010.blogspot.com

A Lei da Identidade de Género proposta pela Opus Gay em 2007

 

Carta enviada por mim hoje ao Parlamento:_

Exmos senhores deputados,
a nossa proposta, que aqui avançamos, e tem caído no esquecimento, foi uma assimilação da Lei espanhola adoptada à realidade portuguesa, que fizemos passar pelo crivo de dois especialistas: Dr. Décio Ferreira, cirurgião, que faz as intervenções de mudança de sexo no Hospital de Santa Maria, e o  psicólogo, que faz as avaliações clínicas dos candidatos à transsexualidade no mesmo hospital.
Por pensarmos que é bom haver, nesta área, várias posições para além das duas conhecidas, levamos ao vosso conhecimento esta nossa, entregue oficialmente à Comissão da Igualdade do Género no ano de 2007, na pessoa da Exma Senhora Dra. Elza Pais, actual Secretária de Estado para a Igualdade.
Este re envio veio a propósito  de  se ter falado,muito  recentemente, em alguns  blogues da nova Lei da Identidade de Genero que vai ser discutida no Parlamento, sem que os autores tivesssem  referido  a proposta  da Opus Gay, provavelmente, a mais  antiga  de todas elas .Entao, para refrescarmos a memória dos interessados  ,enviamos o texto a todos os  grupos parlamentares,  sem excepções ,e dois deles ja nos responderam:Os Verdes e o BE.

Eis o seu preâmbulo  que apareceu na revista Visão.O resto poderá ser consultado na pagina www.opusgay.org

do Registo Civil-3
Proposta de Lei de Identidade de Género apresentada (e que me foi prontamente enviada pelo Dr. Antonio Serzedelo por email) pela Opus Gay no Colóquio Internacional sobre Transsexualidade em Lisboa no CCB por ocasião do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para todos 2007
[Read more…]

António Costa surpreende-nos positivamente

ANTÓNIO COSTA SURPREENDE-NOS POSITIVAMENTE
 
O gabinete de António Costa, Presidente da CML, vai mudar, durante dois anos, dos Paços do Concelho para o Largo do do Intendente.
A proposta, inovatória e inesperada,  foi aprovada na sessão da  passada  quarta-feira, embora o PCP,  um vereador eleito nas listas do PS e o vereador Sá Fernandes, tivessem votado contra esta proposta inclusiva. A notícia não mereceu relevo nos media, é natural, provoca pouca controvérsia e é positiva.
O objectivo desta medida  é a requalificação da zona , que vai passar, tal como a Almirante Reis, a estar sob video-vigilância, tema sobre o qual Costa avança algumas reservas, pois pode estar a estigmatizar-se  o Largo do Intendente.
Recorde-se que o largo deve o seu nome  ao facto de ali ter tido palácio e vivido o intendente Diogo Inácio de Pina Manique,1733-1803, que foi no tempo de D.Maria I, um antecessor de António Costa, na governação de Lisboa.
Pina Manique foi intendente geral da polícia, 1780, e nesse papel  perseguiu as ideias jacobinas, em voga na época, por causa da “perigosa” Revolução Francesa, mas foi também o promotor da iluminação pública da cidade, então às escuras, da célebre Casa Pia, para a protecção de menores, da construção do Teatro de S.Carlos e do que viria a ser a Direcçao Geral das Alfândegas, para cobrar impostos.
Um espirito  criativo e empreendedor  como convém à cidade.
O Largo do Intendente, de local sério, de prestígio  e seguro, devido ao seu ilustre morador, foi, com o tempo, degradando-se e tornando-se, paulatinamente, num local de prostituição barata, de consumo e tráfico de drogas, de ladroagem e outras vilanias. De exclusões e excluídos.
Os tempos de hoje já não são de perseguições, como no tempo de D.Maria. Pelo contrário, os poderes públicos actuais  estão atentos  ás inclusões sociais e é, nesse sentido, que navega este Presidente da Câmara, numa política de pequenos, mas decisivos passos.
 
Há dias, foi  a abertura dos edifícios camarários para oficiar casamentos civis. Hoje, é ele que muda os seus paços para integrar um zona central, desprestigiada, da sua cidade, nos passos da Cidadania.
Esperemos que não se fique por aqui, porque em Lisboa há ainda muito para fazer,no resto do seu mandato, pela inclusão das minorias! Mas vai no bom caminho. Siga em frente!
Tem luz verde!
 
António Serzedelo
 
 

Laicidade avança em Lisboa

Nao posso senão dar as minhas mais vivas congratulações pela decisão tomada pela vereação  da CML no  sentido de abrir os Paços  do Concelho da Câmara e outras instalações de prestigio da cidade de Lisboa, para a realização de casamentos civis.
Quando  foi  aberta a possibilidade dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo  recordo ter avançado,entre Maio e Junho, com a ideia de que a CML devia ceder os seus espaços para a realização das cerimónias de casamentos civis a todos os cidadãos, por altura do 5 de Outubro, ou outras datas laicas, porque havia quem quisesse abrir polémica com os casamentos religiosos de Santo António,e eu pretendia evitá-la.
A CML foi agora  mais longe e fez bem!
Muito há ainda a fazer neste percurso, díficil, pela Igualdade e Laicidade, mas este passo foi na direcção certa.
Fico na expectativa de que outros passos também venham a ser dados durante o mandato desta equipa politica, tal como foram sufragados  e foi prometido nos documentos da campanha eleitoral que tive o gosto e o dever cívico de então apoiar a título pessoal.
Aproveito para sugerir, por ora publicamente, que nos cemitérios municipais se criem espaços neutros, utilizados por pessoas sem religião ou de outras que não a católica, os tanatórios, embora eu próprio seja católico.
Evidentemente, ainda há muitos outros passos a dar em termos de igualdade e diversidade na cidade de Lisboa, que neste caso serve de motor e modelo para o resto do país, e alguns são só simbólicos,sem custos para o erário. Mas até esses, por vezes justamente pelo seu valor simbólico, são mais custosos de arrancar.

Vamos à luta, é o convite que vos fazemos

Convidamos-vos a estarem presentes a partir das 15h30, hoje, 4a feira, na Casa do Alentejo em Lisboa para o lançamento de uma iniciativa promovida por várias figuras reconhecidas da sociedade portuguesa e com intervenção em áreas sociais diversas.
Esta iniciativa tem como ponto de partida a tomada da rua como espaço de debate político de ideias de alternativa a uma proposta política/social que remete a maioria das pessoas para as dificuldades, enquanto outras fazem da crise um negócio rentável. Porque sabemos que existem alternativas e elas estão nas ideias e capacidade transformadora dos cidadãos e cidadãs nos juntámos.

Primeiros Subscritores

Ulisses Garrido – Membro da Comissão Executiva da CGTP
António Avelãs – Presidente do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (SPGL)
José Rodrigues – Presidente da Liga Operária Católica (LOC)
Timóteo Macedo – Dirigente da associação Solidariedade Imigrante (SOLIM)
Mamadou Ba – Dirigente do SOS Racismo
Cristina Andrade – Activista do Fartos D’estes Recibos Verdes (FERVE)
António Serzedelo – Dirigente da Associação Opus Gay
Eduardo Pinto Pereira – Membro do Centro de Informação e Documentação Amílcar Cabral (CIDAC)
Tiago Gillot – Activista dos Precários Inflexíveis (PI)
Viriato Jordão – Presidente de Associação de Pais e Sindicalista Reformado
Francisco Alves – Sindicato dos Metalúrgicos
Salomé Coelho – Investigadora, activista feminista e LGBT
Carla Bolito – Actriz e membro da Plataforma dos Intermitentes do Espectáculo e Audiovisual
João Pacheco – Jornalista e Activista dos Precários Inflexíveis

Manifesto

Não nos calaremos!
Não fomos nós quem fez esta crise.
Há outras soluções.
Vamos quebrar o silêncio sobre as injustiças e as mentiras da crise.

Desemprego acima de 10%, precarização generalizada, cortes em todos os apoios sociais e nos serviços públicos, ataque ao subsídio de desemprego, aumento da pobreza…Pode-se viver assim? Como aceitar sempre mais sacrifícios para vivermos sempre pior? Como chegámos aqui? Os banqueiros e os especuladores jogaram com o nosso dinheiro: crédito fácil, especulação imobiliária, fraudes de gestão. Quando ficaram a descoberto, em 2008, não gastaram nada de seu. Chamaram os Estados e, dos nossos impostos, receberam tudo quanto exigiram. Então deram o golpe: com o dinheiro recebido a juros baixos, compraram títulos da dívida pública, a dívida do mesmo Estado que os salvou. Agora, o Estado, para pagar os altíssimos juros dos títulos da sua dívida, vai buscar dinheiro aos bolsos de quem trabalha: mais impostos, menos salário, cortes de todo o tipo, privatizações…
Estamos perante uma gigantesca transferência de riqueza dos mais pobres para os mais ricos. Dentro de cada país. E dos países mais pobres da Europa para os países mais ricos – numa Europa submissa e agachada defronte dos mercados especuladores. Duas palavras enchem os nossos dias: “dificuldades” e “sacrifícios”. São palavras para nos silenciar. Pois não nos calaremos. Não fomos nós, trabalhadores de toda a Europa, quem fez esta crise. Quem a fez foi quem nunca passa por “dificuldades” e recusa sempre quaisquer “sacrifícios”. Foram os especuladores que nada produzem, os bancos que não pagam os impostos que devem, as fortunas imensas que não contribuem. Para eles, a crise é um novo e imenso negócio.
Agora que a desesperança se espalha, que a pobreza alastra e que o futuro se fecha, trazemos à rua o combate de uma solidariedade comprometida com os desfavorecidos. Há alternativas ao empobrecimento brutal da maioria da população. O projecto de um Portugal e de uma Europa num mundo que cresça com justiça social e prioridade aos mais pobres. Que defendam o emprego digno, os serviços públicos e os apoios essenciais para garantir o respeito por cada pessoa. Essa é a verdadeira dívida que está por pagar.

Vindos de muitas ideias e de muitas experiências, juntamo-nos pela igualdade e contra as injustiças da crise. Conhecemos as dificuldades verdadeiras de quem está a pagar a factura de uma economia desgovernada.

Não aceitamos a cumplicidade financeira da Comissão Europeia e do BCE no sofrimento e na miséria de milhões, não nos conformamos com um país que se abandona à pobreza, com uma sociedade que aceita deixar os mais fracos para trás.
Uma sociedade civilizada não protege a ganância acima do cuidado humano, o cuidado de um por todos e de todos por um.

Vamos quebrar o silêncio sobre as injustiças e as mentiras da crise.
Vamos à luta.
Vamos!

Contactos:
Ulisses Garrido   – 919317594

Nova Lei das Uniões de Facto já cá fazia falta!

A Opus Gay e eu própio congratulamo-nos com a promulgação da nova lei das Uniões de Facto, fórmula pela qual nos vinhamos batendo quase isoladamente, há muitos anos, desde que a discussão foi aberta, e que defendemos perante partidos, deputados – e alguns hipócritas aparecem agora a defender o que antes diziam não ser possivel – e publicamente.
Cheguei a ouvir da voz de uma distinta defensora do casamento dizer que eu não podia defender isso, senão ninguém queria mais casar!! Tal o moralismo e a ética destes próceres de algumas mudanças sociais…

Hoje as minhas posições encontram-se ainda mais justificadas, pois sabe-se que mais de 30% dos casais do país encontra nesta fórmula o modo de constituir família. A promulgação desta lei é um acto republicano, pois legisla igualmente para todos os cidadãos, independentemente da orientação sexual.
Visões algo conservadoras pretendem defender a exclusividade do casamento civil, ou do matrimónio religioso, para legitimar a constituiçao da familia, pois para alguns deles de certo modo o casamento civil é uma especie de antecâmara da sacristia da Igreja para o casamento religioso, desconhecendo outras realidades sociais.
Hoje, uma visão alargada da sociedade deve prever as várias formulas que os cidadãos encontram de serem felizes e constituirem familia, dando-lhes a dignidade republicana da igualdade da lei para todos, tanto mais que o casamento se encontra em declínio, independentemente da sua dignidade e utilidade e pelo qual nos batemos aquando da aprovação da lei sobre o casamento civil  entre pessoas do mesmo sexo.
Não subscrevemos a teoria  da oposição de direita, sem preapostada em  travar mudanças, de que “o que é diferente deve ser tratado de modo diferente”, pois essa é uma fórmula que pretende criar novas formas de exclusão, salvo quando servir para criar modos de discriminação positiva, excepcionais.
 
Saúde-se, portanto, o Partido Socialista, que finalmente teve a coragem de avançar com a nova lei agora promulgada, e o PCP, BE e Os Verdes, que o coadjuvaram no Parlamento.

A esquerda impotente

O capitalismo liberal e financeiro nesta crise mostrou a sua face a todos-embora já muitos o tenha denunciado ,desde há muito-agora, ficou claro perante milhes de pessoas  desempregadas,exploradas com  trabalho precário,e exploradas nos seus direitos,que há uma ideologia que defende e pretende obter  o máximo do rendimento dos seus capitais, sem  se importar  com as consequencias socias, ambientais,e humanas que isso pode acarretar.
 
Por outro lado, também ficou claro que perante esta crise ,nem a esquerda ,nem os grupos progressistas,nem a cidadania, nem os movimentos sindicais  tiveram qualquer capacidade de resposta perante o  seu desenrolar .
 
Os Estados,  no  início, tiveram  de ajudar os bancos que ameaçavam falência,receando um efeito em cadeia,  com o destroço total da economia,e quanto maiores eles fossem maior era o perigo, mas fizeram- no sem lhes perguntar  porque é que  tinham chegado  áquela situação, e sem lhes exigir contrapartidas futuras,ou regras de funcionamento mais claras.
 
Depois, entraram em cena  novos capítulos do espírito neo liberal,  traduzidos para nós, nos  Pactos de Estabilidade,exigindo reduções  drásticas dos deficits públicos  dos Estados.
 
 
A liderar esta filosofia aparece a Alemanha  ,depois do esforço que fez para integrar  a sua zona Oriental,e quem encabeça esta luta e´o partido Democrata Cristão da Senhora Merkel ,virando-se  desta feita  para os  três estados do Sul da Europa,onde há ainda governos sociais democratas, Espanha,Grécia e Portugal,depois da derrota trabalhista em Inglaterra.

Estes Estados perante a correlaçao de forças internacionais e europeias,não  tiveram alternativas senão submeter-se aos ditames da política  europeia , personalisada no Banco Central Europeu, encarnação bancária da ideologia  neo liberal.
 
Entretanto,nem os sindicatos,nem os intelectuais  de esquerda,nem os partidos progressitas, conseguiram até ao momento,  encontrar  um manifesto conjunto ,uma plataforma de acção que expressasse o seu protesto, e o seu desespero,perante medidas tão violentas  impostas aos que menos responsabilidade têm na crise,mas são, os que mais a vão pagar,todos os trabalhadores em diferentes escalões da sociedade.
 
 
Enquanto as forças  neo liberais tratam os seus problemas a nível global,vidé europeu,a esquerda e as forças progressistas ainda não sabem trabalhar  sequer, a nível Ibérico,quando mais europeu! 
Era necessária uma resposta conjunta , articulada do movimento sindical,uma resistência legítima ,com os partidos  de esquerda e progressitas ,sem populismos,mas apresentando respostas possiveis para a conjuntura .
 
A crise está para durar , logo, é tempo dos sindicactos em díalogo com todas as forças políticas progressistas e   descontentes com a situação, sem esquecer  a Cidadania ,fazerem propostas  conjuntas a nível da solidariedade  europeia  para estancar  o ataque sem freio, das multinacionais e da ideologia neo liberal ,mas não esqueçamos que o problema é político, e não exclusivamente sindical
 
Se a esquerda europeia ,se quer opôr a isto tudo,   tem de saber articular -se, e a lutar e trabalhar. Desde já, nós aqui ,ao nivel ibérico, logo depois, à escala europeia. E toda a esquerda ao nível europeu.
António Serzedelo

Vidas Alternativas desde a economia às prisões, passando por algumas poucas vergonhas

O post que  queria  colocar  desta vez, são os conteudos do programa de radio VA  desta quinzena, que em alguns aspectos vai à revelia de coisas que aqui se escrevem, quanto a mim, por vezes, bastante injustas e até por outras demasiado populistas, para um blogue sério como este é.
 De facto, os nossos populistas, para além de um ambição, têm uma virtude e um defeito.
A virtude é que põem as perguntas certas.
O defeito é que dão as respostas erradas.
Postas estas considerações bravias, passo então ao que vos queria anunciar:
Refiro-me, portanto, ao programa 219 ,em www.vidasalternativas.eu. [Read more…]

Dicas para uma acção à esquerda

Quando a realidade muda, a esquerda também tem de mudar.

É o que está a acontecer em Portugal, e no Mundo,portanto, é o que deve acontecer também entre nós.
São vários os níveis de intervenção que deveremos tentar alterar.
Tratam-se de novos parâmetros de vida.
Mas antes ,quero dizer,a propósito do que vou desenvolver, que    na Europa foram os partidos progressistas,que com algumas democracias cristãs,  criaram o Estado Social tal como o temos hoje , a partir de 1945,até como forma de pacificação social. Desde  essa data ,até 2006, 21% dos governos europeus foram de esquerda,e foram os que o  ajudaram a construir.
Por outro lado,as políticas do PAC,que hoje se discutem , também são diferentes quando são levadas a cabo  por governos  de direita,que pretendem destruir o Estado social ,  ou por governos progressistas .
Nestes  está sempre em jogo o Estado Providencia,naqueles é o  contrário.
Passo a enunciar os níveis de intervenção que me parecem urgentes mudar . [Read more…]

Da morte de Saramago à nova transparência na governança europeia

Esta quinzena acabou de forma triste: com a morte  do escritor  José Saramago,grande figura da  nossa cultura, único prémio Nobel  da literatura  na nossa língua.O seu corpo por sua decisão  própria , voltou para Portugal,depois de ter vivido muitos anos em Espanha, designadamente, nas Canárias.
Do seu enterro que mereceu honras de Estado alguns factos foram significativos.
Por um lado, o reconhecimento nacional  que mereceu do Governo com a presença de Sócrates no dia do enterro,e o internacional marcado pela  presença da vice Presidente do Governo Espanhol,  e igualmente, a da futura candidata à Presidência do Brasil, como sucessora de Lula. Estas presenças são simbólicas  do valor do da escrita de Saramago para a cultura lusófona, Ibérica, e do mesmo modo Ocidental.
Porém ,como disse Oscar Wilde,”Os Portugueses perdoam  tudo, menos ser um génio”,não admira por isso, que  o Presidente Cavaco e Silva em férias nos Açores se tivesse esquivado a vir ao enterro. Mas igualmente grave foi a postura da  Igreja Católica que nem  na hora da morte  lhe perdoou  o seu livre pensamento.
O “Observatório Romano”, orgão oficial da Igreja,pela mão de Claudio Toscani, não deixou de o zurzir, na sua ideologia anti religiosa ,definindo-o como “um intelectual sem nenhuma capacidade metafísica e que viveu agarrado até ao fim da sua vida à sua fé do materalismo histórico”.
 Outro facto importante desta quinzena  foi a realização do  Conselho Europeu ,em Bruxelas no passado dia 19 de Junho, onde os 27 países, finalmente, lançaram uma operação transparência sobre o estado dos bancos europeus.
São os chamados “testes de resistência”,”stress tests”, que vao ser  praticados sobre todos os grandes bancos europeus para dar garantias aos mercados ,e cujos resultados serão publicados  até ao fim de Julho. Assim “acabam-se os psicodramas” disse Sarkozy, Presidente francês.
Os EUA fizeram-nos já  ha um ano  e o FMI também os vinha pedindo,contrariando a vontade da Alemanha.
Segundo Zapatero , o 1º Ministro Espanhol ,socialista,que já os vinha exigindo há muito, “a transparência é essencial e nós queremos ganhar a confiança dos investidores, dos cidadãos e das empresas.”
Tecnicamente os “stress tests” são simulações  de resistência  dos bancos aos grandes choques-recessão, falência  de grandes empresas, bancarrotas num Estado,afundamento da bolsa.
Enfim,cada vez mais assitimos a nível europeu a uma regulação económica  central,a partir de Bruxelas,que sendo em alguns casos algo dolorosa, é necessária para evitar derrapagens nacionais muito  piores.
Temos portanto,  de nos começar a habituar  a um Governança Europeia que vai enfrentar  decerto dificuldades nos nacionalismos dos Estados,mas  nós  temos de deixar de pensar  Portugal na sua dimensão geográfica , e passar a pensa-lo na sua nova dimensão  ,Ibérica, Europeia, e global.
O 3º facto importante deste período foi o esperado resultado  da Comissão de Inquérito parlamentar  ao negócio da eventual compra  “PT-TVI”
No fim, depois de tanto tempo gasto,e tanto dinheiro acabou por se concluir,que não se podia concluir nada,ou seja se Sócrates tinha,ou não, mentido ao Parlamento   quando disse nada saber do negócio. Foi algo desprestigiante para o nosso Parlamento este inquérito.
E agora vou referir o programa de rádio  Vidas Alternativas 218, emwww.vidasalternativas.eu  .
Tem  três entrevistas.
Uma com Luís Mateus que nos fala da importância da assumpção da Cidadania no contexto actual  da crise que passamos,e da necessidade de alargamos os nossos pontos de vista.
Depois voltamos à segunda parte da entrevista  à escritora  luso-caboverdeana  Rose Nery de Sttau Monteiro. Desta vez fala- nos mais de si  do que da sua obra.
Fechamos com  chave de outro. É a vez do crítico musical Raul Mesquita nos introduzir na vida  e na ópera “Testoride argonauta ” do compositor português do sec XVIII,João de Sousa Carvalho.
Com este programa enviamos de novo a newsletter habitual.
 António Serzedelo -Editor

Da nova governança europeia, crise do euro e da Europa, ao Vidas Alternativas

A  última quinzena que vivemos foi um período dramático  para Portugal, e para a Europa.
Houve graves riscos de rupturas económico-financeiras, por via dos ataques  que centrais de especuladores lançaram contra as dívidas soberanas de alguns Estados do Sul, designadamente Portugal, Espanha,e e até  Itália.
O Banco Central Europeu  teve de intervir, injectar dinheiro no sistema, e assim, evitar algumas possíveis bancarrotas.
Ficou agora claro  que a agenda europeia,em nome da solidariedade e do Euro- que a Alemanha tem evitado – é que comanda as agendas nacionais,e os diferentes e dolorosos PEC´s que estao a ser aplicados , para os trabalhadores dos diferentes países pagarem, como se os erros fossem deles. Há  um ataque ao Estado Social, ao Estado Previdência, tal como o concebemos na Europa desde o pós guerra.
Já é nitido que vai ser necessária uma governança europeia,centralizada,   que coordene sobretudo as políticas fiscais dos diferentes países, evite os nacionalismos e os gastos excessivos que os políticos gostam de fazer ,para deixar nome, ou obra, sem cuidar do futuro.
Sócrates ou os seus ministros andam  num vai e vem,para nos trazer os recados ou ordens de Bruxelas, e o que ontem nos anunciavam como  verdade, hoje já não é face à nova conjuntura  económico -financeira, global.
 
Temos de poupar, temos de produzir mais,  temos de criar mais riqueza, moderar os hábitos de consumo justamente num momento em que tudo isto parece muito difícil e as pessoas  desmobilizadas, não acreditam no futuro.
È possível  que venham outros impostos, outros cortes,   ou haja inflação, mas o que nos fica como  amargo na boca, desde  já ,  é que nem nos EUA, nem na Europa, nem em Portugal, até ao momento,  foram encontrados culpados.
 
Desde a falência dos dois grandes bancos americanos , há cerca de dois anos que eram prevísiveis  algumas destas consequências.
Ninguem viu, ninguém se importou, ninguém avisou,ninguém tomou medidas… [Read more…]

"Homossexuais no Estado Novo" resgatar a memória dos tempos

Foi ontem publicado com muita visibilidade e presença do Ministro da Justiça e Secretaria de Estado da Igualdade,e dezenas de pessoas , um livro que resgata a memória,a luta e  o sofrimento  dos homossexuais durante
o Estado Novo,um pouco como se tem vindo a fazer em Espanha.

Da autoria da jornalista S.José Almeida , 230 paginas “Homossexuais no Estado Novo” ,Sextante Editora ,prefácio da professora universitária Teresa Pizarro Beleza
Muitos testemunhos de personalidades como Dacosta, Ruben de Carvalho, a propósito da prisão de Júlio Fogaça,secretario geral do PCP, homossexual ,afastado por Cunhal,referência à homossexualidade do  músico comunista , Lopes Graça  e duas senhoras membros do comité central do PCP ,presas muitos anos, e que tiveram uma relação amorosa na prisão ,e que durou até ao fim da vida delas , prof. Fernando Cascais, artista plástico e actor  Oscar Alves
psiquiatra Afonso de Albuquerque,a propósito dos electro choques dados nos hospitais aos homossexuais como tratamento , Eduardo Pitta ,Guilherme de Melo  etc. , historiadores e muitos outros testemunhos , e
até , meus , até a propósito do Manifesto “Pelas Minorias Sexuais” ,de 13 de Maio de 1974, o 1º manifesto  destas minorias  em Portugal,  de que fui um dos autores,e co -escrito na minha casa em Lisboa  .
Ficamos a saber  coisas interessantes:
Que a canção “Ave Maria” cantada no santuário mariano e repetida à exaustão por todo o Portugal em louvor de N Senhora de Fátima é da autoria de António Botto que a ofereceu ao cardeal
Cerejeira,do Brasil.
Por outro lado, a 1ª lei repressiva contra a homossexualidade em Portugal, foi de 1912 ,depois reforçada em tempos do fascismo. Enfim, um dos grandes perseguidos do fascismo por razões de orientação sexual foi Mário Cesariny de Vasconcellos.

Um livro a ler

António Serzedelo

Escola de Fitares continua a discriminar. Não inclui, não educa para a Diversidade

Na Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos de Fitares, a homofobia e  bullling prosseguem, mesmo depois da morte do professor de música Luis do Carmo.
Desta vez , é  um docente da área das Expressões a queixar-se-nos de ser vítima de assédio moral  e  de bullying, pelo que está de baixa psicologica e já pediu mudança de turmas ou de escola, pois deseja trabalhar. Já apresentou queixa ao Provedor do Cidadão.
O clima de hostilidade a que o professor vem sendo sujeito de forma crescente  por parte de alunos contará com a aparente cumplicidade de alguns  pares, mas sobretudo  da Direcção, sob a forma de silêncio e desinteresse  em tomar medidas correctas .
Os alunos agressores recorrem  ao recurso a insultos em crioulo nos corredores, a que se somam insinuações na própria aula e mesmo comentários anónimos, escritos.
Tudo isto decorre no rescaldo das denúncias que levaram à notícia do suicídio de Luís do Carmo, que desagradou à direcção.
A discriminação que atinge o professor  é sintoma revelador de preconceitos sociais que reinam ainda no meio escolar sem haver tentativa de os extirpar. A vítima tem sempre, nestes casos, dificuldade em provar objectivamente que a sua honra e dignidade foram violentadas.
O desgaste psicológico gera  um terreno assaz fértil para que se instale o próprio processo homofóbico.
O professor declarou-nos: “A escola  homofóbica é causa e consequência do fenómeno de desestruturação da sociedade. Resolveu, legitimamente, que não tem de falar de si como pretendem provocatoriamente os alunos.  Os professores não estão na escola para falar de si”, mas para formar cidadãos republicanos, laicos, respeitadores  da Diversidade  e do seu semelhante, por isso solidarizo-me  com este docente que se vê perseguido desta forma insidiosa no seu local de trabalho, como está a ser habito agora. Veja-se o caso da professora de Mirandela.

Do tabu desaparecido ao aparecimento da História

O Presidente mais criador de tabus em Portugal desfez agora, o último que criou.
E desfê-lo da melhor maneira, justificando-se perante o seu eleitorado conservador, que esperava dele um não!, explicando que colocou acima das suas convicções  pessoais, as questões éticas  do superior interesse do Estado, e por isso assina o Sim! pelo casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Esteve  muito bem e  esta frase ficará para a sua  história, tal como  será mal  engolida pelos seus pares partidários, que não vêm Portugal para além do seu umbigo, ou quanto muito, do cinto das suas calças gordas, em que nos trazem apertados com as  suas frustrações e hipocrisias …
Neste contexto, Portugal deu hoje, Dia Internacional da Homofobia, como já o fez no passado com a abolição da  escravatura, da pena de morte , uma lição de modernidade, um passo planetário e civilizacional útil,  pelos Direitos Humanos, libertário para toda a Humanidade.
Na sua alocução o PR recordou que havia poucos países no mundo que tenham  o instituto do casamento civil, tal como foi arquitectado este, e tal como foi aprovado.
Nao referiu, entretanto, que em mais de 80  a homossexualidade ainda é criminalizada, e em alguns, com a pena de morte. E neste campo a Europa, agora ameaçada pela crise do euro, tem sido farol.Temos orgulho nisso, embora não baste …..
A vida dos homossexuais pelo mundo  fora é um inferno, e em Portugal,  de há uns anos para cá, vem-se desinfernizando, a descontento de alguns, que só vivem felizes com a infelicidade dos outros, à mingua de não serem  capazes de construir a sua própria felicidade..
Das palavras do Presidente também se percebeu que este é um problema secundário, ao contrário do que pretendeu fazer passar a Drº Isilda Pegado,como se o mundo fosse desabar com a aprovação deste  documento.Ele incentiva-nos, agora, a olhar em frente ,  para  enfrentar os problemas cruciais que o pais tem de vencer e que não começaram, nem acabam, com o PEC.
Mas não se pense que esta  luta acabou aqui! [Read more…]

Não te Prives: Marcha contra a Homofobia

Desde a visita "lava cerebros" pontifícia até aos glbt oficiais que discriminam sempre outros e mais no Vidas Alternativas

Neste dias a República Portuguesa está a passar, para uns, pelos seus dias mais felizes, mas para outros, pelos seus dias mais tristes em termos de laicidade do Estado.
Tudo isto por causa da visita do Papa Bento XVI a Portugal, um pontífice com pouco carisma, acossado pelos escândalos da pedofilia e que precisa de uma portentosa máquina publicitária, como não tiveram nenhum dos seus antecessores, só comparável à de um Estado com vocação estalinista, que pretende lavar o cérebro dos seus cidadãos, crentes ou não.
São certamente muitíssimo discutíveis os rios de dinheiro. Só em Ourém são 500 mil euros, que se gastam com esta visita numa altura em que se pedem sacrifícios aos mais pobres e até a quem sofre o desemprego.
Creio que a própria Igreja devia ter a grave noção disto, mas o tempo vai fazer as pessoas tomar consciência do facto.
Entretanto, em Lisboa e no Porto, 600 voluntários vão distribuir nos dias 11 e 14 de Maio 25 mil preservativos pela população, aproveitando os ajuntamentos por causa da visita do pontífice, numa operação iniciada no Facebook com milhares de aderentes, denominada “Preservativos ao Papa”.
Dia 17 de Maio é o Dia Internacional contra a Homofobia. Em Portugal, a Comissão pela Igualdade de Género vai celebrá-lo em sede própria. O deputado agora socialista Miguel Vale de Almeida, a Associação Ilga Portugal, a rede Ex aequo e a Associação de Pais ”Amplos”, todos se concertaram para excluir a Opus Gay das comemorações, o que é habitual e significativo da independência de que goza esta associação.
No Algarve, em Lagoa, nos dias 14 e 15 de Maio, vai desenrolar-se um interessante e inovatório festival hetero e gay friendly, Allove Festival, que a Opus tem patrocionado desde o inicio e onde vai estar presente.
Na escola Básica do 2º e 3º ciclos, de Fitares, Rio de Mouro, a homofobia campeia impune.
Foi a escola onde o professor de música Luís do Carmo se suicidou recentemente, atirando-se da ponte 25 de Abril por causa disso. Agora, é a vez de um professor da área das “Expressões” se queixar por não aguentar as provocações e bullying dos alunos nas aulas perante a indiferença total do Conselho Directivo. Meteu baixa e está psicologicamente afectado.

O Vidas Alternativas 215 começa com uma entrevista com Luís Mateus, militante laicista a propósito da visita do Papa. Depois passamos ao psicólogo clinico Pedro Frazão que nos fala do suicídio e das suas causas e razões.
Segue-se Margarida Faria da Associação “Amplos”, uma nova e interessante ONG que apoia pais quem tem filhos lgbt. Fazia falta entre nós.
Terminamos com Sandro Matos, jovem engenheiro químico e conhecido filatelista, que nos fala do seu hobby e da importância do selo na história de Portugal.
Estas semana temos nova newsletter.

PETIÇAO -sobre a visita do Papa

PETIÇÃO sobre visita do papa. Para quem quiser assinar e divulgar!

Partilhar

Terça-feira às 19:08
http://www.peticaopublica.com/?pi=CPL2010

Senhor Presidente da República Portuguesa,

Nós, cidadãs e cidadãos da República Portuguesa, motivados pelos valores da liberdade, da igualdade, da justiça e da laicidade, manifestamos, através da presente carta, o nosso veemente protesto contra as condições – oficialmente anunciadas – de que se revestirá a viagem a Portugal de Joseph Ratzinger, Papa da Igreja Católica.

Embora reconhecendo que o Estado português mantém relações diplomáticas com o Vaticano e que a religião católica é a mais expressiva entre a população nacional, não podemos deixar de sublinhar que ao receber Joseph Ratzinger com honras de chefe de Estado ao mesmo tempo que como dirigente religioso, o Presidente da República Portuguesa fomenta a confusão entre a legítima existência de uma comunidade religiosa organizada, e o discutível reconhecimento oficial a essa confissão religiosa de prerrogativas estatais, confusão que é por princípio contrária à laicidade.

Importa ter presente que o Vaticano é um regime teocrático arcaico que visa a defesa, propaganda e extensão dos privilégios temporais de uma religião, e que não reúne, de resto, os requisitos habituais de população própria e território para ser reconhecido como um Estado, e que a Santa Sé, governo da Igreja Católica e do «Estado» do Vaticano, não ratificou a Declaração Universal dos Direitos do Homem – não podendo portanto ser um membro de pleno direito da ONU – e não aceita nem a jurisdição do Tribunal Penal Internacional nem do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, antes utilizando o seu estatuto de Observador Permanente na ONU para alinhar, frequentemente, ao lado de ditaduras e regimes fundamentalistas. [Read more…]

Para modernizar a imprensa regional

O jornal mensal e regional  O Sul,de Setubal,   que me convidou para o dirigir, é um projecto que ja vinha sendo discutido entre nós, ou seja, na cooperativa Prima Folia, a que não pertenço, mas  que é a detentora do titulo   .  Contudo, passar à pratica esse projecto   não é fácil,particularmente, em tempos de crise  geral, e da imprensa em particular.
Nos EUA grandes jornais estão a fechar ,ou a reduzir as suas edições, ou a transformar-se em jornais on line,  e, mesmo assim ,nem sempre com sucesso. Até o NYT…
Pois  é nessa  nessa linha  que desejo  desenvolver  algumas considerações .Naturalmente, vou referir-me ao comércio electrónico, o e-comerce, o “business  to business”  a mundialização, e também ao glocal , que nos interessa neste caso,por sermos  imprensa regional    .
Estou portanto, a  sugerir que aproveitemos as novas tecnologias  que dispomos hoje -que estão  para além do capitalismo de mercado,tal como este tambem já substituiu o mercantilismo-para os nossos projectos  locais .
[Read more…]

Vidas Alternativas desde os preservativos ao Papa, e à conjura ilícita contra o Governo

Hoje é dia 25 de Abril!

25 de Abril, Sempre! nos nossos corações!

A Liberdade custa muito a conquistar,mas tambem custa muito a manter.

Leiam o texto que publicamos  no VA  sob o titulo  “Liberdade”do portal Boas Noticias .pt.

Hoje foi dia de discursos e manifestações e boas intenções .

Entretanto,sente-se no ar  que continua em curso  uma operação , tentativa ilegitima, de derrube do Governo-seja ele  bom,ou mau- através de uma acção concertada de alguns magistrados,com outros tantos polícias, instalados em altos departamentos de investigação

Por outro lado em Espanha, alguns juízes de direita  também tentam derrubar o célebre juíz Baltasar Garzon, que luta contra a corrupção no seu país,em que está envolvido o PP, partido da oposição ao mais alto nível ,  e em tempos   quiz prender  o general chileno,Pinochet que derrubou o governo legitimo de Salvador Allende, e instalou uma ditadura feroz no seu país.

Milhares de pessoas têm  vindo a  a protestar em Espanha,França,  Argentina, e até em Portugal, a seu favor.

Começamos o programa de rádio  com Diogo Caldas  Figueira,  que nos fala do seu projecto de distribuição de preservativos nas ruas ,aproveitando a visita do Papa.Na rede dos seus aderentes do face book ,Preservativos ao Papa, em poucos dias ja tem mais de 10 mil aderentes, e muitas ONG´s ,mas sao precisos voluntários para o terreno.

Luís Mateus,militante republicano e laicista  fala sobre  a pedofilia.

Carmen Segarra, espanhola  que  veio para Portugal aprender a língua, compara a nossa situação com Espanha.

Dinka Amorim, são tomense , da rádio  Bué Fiche  constata -nos   o balanço  da sua actividade.

Enfim, Belmiro Pimentel ,polícia, do sindicato  independente dos polícias, fala- nos do departamento gay e lésbico que fundou  no seu sindicato independente.

Esta semana temos  a newsletter  onde se pode anunciar.

Venham ouvir-nos em www.vidasalternativas.eu

Antonio Serzedelo

Ps. Estive na manif em Lisboa de apoio ao juíz  Garzon,graças ao convite do Aventar.Nao vi   gente do blogue!… Havia  jornais portugueses  que  tiraram fotos. O El Pais refere a manif. O DN refere  as de Espanha, mas nada diz no que respeita a Portugal,e estava lá  em frente à embaixada de Espanha!!!!!

Do vulcão europeu ao 11 de Setembro nos EUA

O vulcão Islandês que provocou o caos aéreo durante alguns dias, sobretudo  na Europa, veio mostrar, tal como o 11 de Setembro nos EUA, as fragilidades da mundialização em que vivemos.
Há alguns pontos comuns nos dois eventos que vale a pena realçar.
Por um lado, ambos tiveram  baixos custos de produção, o vulcão nao custou nada, os atentados foram feitos com alguns milhares de dólares. Ambos puseram os espaços aéreos das respectivas zonas onde aconteceram, durante alguns dias, interditos, com enormes prejuizos para as economias, particularmente   das transportadoras aéreas e passageiros.
Ambos tiveram a capacidade de mostrar as fragilidades do mundo em que vivemos, desorganizando a deslocação de pessoas, bens e mercadorias, provocando grandes perdas às companhias transportadoras e enormes transtornos a cerca de 7 milhões de pessoas deslocadas.
No caso dos EUA, segundo a OCDE, os  prejuizos directos e indirectos para a economia americana foram da ordem dos 22,347 mil milhões de euros.
Um estudo recente do banco HSBC estima em 150 milhões de euros os custos para as 5 maiores companhais aéreas durante os primeiros dias de paragem. Falta analisar o resto.
O frete aéreo só representa 5 % dos fretes a nivel mundial, mas em contrapartida, representa 40% do tráfico mundial de mercadorias, segundo o Prof. Daniel Mirza, estudioso do Centro de Estudos Prospectivos e Informação Mundiais.
Entretanto, houve quem ganhasse com a desgraça “alheia”; as empresas de transportes, os comboios, os TGV´s, que tiveram a sua hora de glória pela rapidez que alcançam, as autoestradas, os túneis, como o da Mancha, que tiveram os seus maiores picos  de fluxos durante estes dias, com tudo a passar por eles. Por outro lado, algumas regiões ganharam turisticamente, porque, se não se pode ir para o Norte passar férias, vai-se para o Sul à última hora.
Porém, as questões já levantadas pelo 11 de Setembro e agora renovadas pelas cinzas do vulcão Islandês  têm sido abafadas por duas vontades convergentes, a dos paises emergentes e a volúpia do lucro a todo o custo. A esperança do lucro sobreleva sobre os perigos do terrorismo ou de uma catástrofe mundial e só uma nova consciência social poderá pôr termo à situação.
Há uma incógnita no meio disto.
Até que ponto os impactos psicológicos das e nas  pessoas podem alterar a situação,ou seja, até onde, em nome da mundialização e do lucro, elas estão dispostas a correr riscos pessoais?

O bife também pode discriminar

O” bife  que promove machismo”.

Ontem algures  no Minho um almoço gigante junta mais de 500 homens para comemorar fim da Quaresma.Ementa :1 bife cozinhado pelas mulheres que não podem partilhar o repasto com eles ,e ficam na cozinha.Belo exemplo de promoção dos estereotipos,com direito a TV estatal , cujo reporter só pergunta pelo preço, e se o bife era bom e em quantidade,sem questionar a discriminação gigante.A tradição tem 50 anos,nasceu portanto, durante o fascismo.Ah! parte do dinheiro  obtido, aqui, é para a “Liga Contra o Cancro” que o deve achar generoso.

O pecado fica asssim lavado,e machismo continua…..Ou, os fins justificam os meios, e ninguem questiona.