No Centenário: o fim das ilusões operárias


Interessante texto para ler A Q U I

“O Governo, já só quase exclusivamente interessado na distribuição de “poleiros” (Bernardino Machado ganha o apelido de “São Bernardino”, nas ruas de Lisboa), deixa progressivamente o País entregue aos vários interesses económicos que povoam o território.Em Janeiro de 1912 dá-se o inevitável, o divórcio entre as massas operárias e a República consuma-se .O Cálvario da I Republica tem assim o seu ínicio e fim no 1º e único Governo de esquerda que existiu até à III República, o Governo de Domingues dos Santos (1924-1925), o último suspiro eleitoral da I República e o principio do fim da aspiração a um Estado Democrático.”

Por Ricardo Gomes da Silva, in Centenário da República

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.