Novo modelito

Comments

  1. amsj33@hotmail.com says:

    Estou cheia de peninha dos srs. professores. Se não estão bem, mudem-se! Eu sou licenciada (com 18 valores) , tenhos dois mestrados (com 19 valores) (tudo numa excelente universidade pública), tenho 38 anos e estou disposta a ser professora por metade do salário da vossa tabela e com avaliações semestrais, se preciso for.
    Há muitas vagas em call centers para professores descontentes…


    • Oh amsj33,

      Se lhe parece razoável querer nivelar o mundo laboral por baixo… então força!… virá alguém a querer descer ainda mais.
      Depois não se queixe.

  2. sara oliveira says:

    Tão letrada e tão ressabiada ….!!!??? A cultura adoça o espírito …!

  3. Ana Costa says:

    amsj33, força nisso! Se, apesar de tanto curso, não tirou ainda a via ensino (o que é estranho, dado o seu amor à educação), tem sempre a hipótese das ofertas de escola que começam já em setembro. Há com certeza um meio horário onde ganha a módica quantia de 500€ (mas pode escrever ao Nuno Crato a disponibilizar-se para ganhar só 250€…) com a duração de um mês à sua espera. E sim, peça avaliação, porque é um investimento com enorme peso no futuro profissional de qualquer professor e feita sempre de forma muito clara justa, como constatará com facilidade. Boa sorte!


  4. Cara amsj33, com médias tão altas, tantos mestrados e com 38 anos de idade, é estranho que trabalhe num call center (?). Há algo de errado, e não me parece que seja só da crise. Analisando a essência do seu discurso, só posso dizer duas coisas: primeiro, não tenho peninha nenhuma de si. Segundo, mesmo por metade do preço, seria um mau negócio para o Ensino.

  5. fmlm says:

    Só para satisfazer a minha curiosidade. Licenciatura e mestrados em algo que não interessa a ninguém ?

    Com tanto tempo e dinheiro está disposta a trabalhar quase de graça?

  6. Francisco Duarte says:

    A união dos interesses das classes profissionais origina nichos de pressão, onde uns exigem mais que outros, o recebimento de excessos, também chamados de direitos. Resta a classe dos mais desfavorecidos, a marginalização em guetos sociais.
    Posto isto, que dirá o povo?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.