Portugal forte candidato ao Nobel da Física

Depois da descoberta do átomo, do neutrão, do protão e do electrão, acabou de ser descoberto o pelintrão.

E como se caracteriza o pelintrão? O pelintrão é um tuga sem massa e sem energia mas que suporta qualquer carga.

(a partir da versão original, publicada por Einstino) Afinal informam-me que a descoberta já tem barbas, numa versão dedicada a Sócrates. Mantêm-se actual, o que não tem piada nenhuma.

Cavaco vai ouvir-se num Conselho de Estado

Cavaco Silva vai discutir “a situação política, económica e financeira em Portugal” com Alberto João Jardim. Eu sei que é por inerência, como outros,  mas olhando para esta lista:

  • Prof. Doutor João Lobo Antunes
  • Prof. Doutor Marcelo Nuno Duarte Rebelo de Sousa
  • Dra. Maria Leonor Couceiro Pizarro Beleza de Mendonça Tavares
  • Dr. Vítor Augusto Brinquete Bento
  • Dr. António José de Castro Bagão Félix
  • Dr. António de Almeida Santos
  • Dr. Francisco José Pereira Pinto Balsemão
  • Dr. António D’Orey Capucho

de onde retirei uma pessoa de bem e outra assim-assim, não me parece que haja grande coisa para discutir num Conselho de Estado. Ainda mais austeridade, sempre a caminho do abismo?

Isaltino é o Maior, iô

O senhor Presidente da Câmara de Oeiras já foi jantar com amigos e familiares. Consta que, por causa destas quase 24horas de detenção, se sente muito fragilizado e com uma enorme vontade de comer umas alheiras de caça regadas com um tinto velho e também um arroz de perdiz de cabidela.

Quem ficou a perder foi o cozinheiro já entretanto contratado, que habita o apartamento 245 da ala 3, que até já tinha começado a fazer encomendas de ingredientes de primeira qualidade.

O Tribunal de Oeiras decretou a libertação imediata de Isaltino Morais com base no princípio “in dubio pro reo” (em caso de dúvida, decide-se a favor do réu).

A decisão de libertar o senhor Isaltino foi tomada pela juíza Carla Cardador depois de uma reunião com o procurador do Ministério Público Fernando Gamboa.

Consta ainda que ninguém sabe o que se anda a fazer. Por um lado os que o mandaram prender, por outro os que o mandaram libertar.

Isto vai de mal a pior, ninguém se entende e nós, o povo aparvalhado deste país, não entende ninguém. Para além disso, a imagem da Justiça sai daqui ainda mais beliscada.

O comentador ignorante, uma espécie em vias de desenvolvimento

Mas afinal o que vem a ser isto?
Se a maior parte dos Portugueses que ficou sem trabalho, pode ser encaminhada para outras profissões ou emigrar, porque é que o pessoal que dá aulas, que enveredou, ou como se costumava dizer, seguiu a via de ensino, por não ter habilidade, habilitações ou pedalada para fazer outra coisa, não pode fazer o mesmo que os outros? Vá lá, se não os “colocam”, não estejam sempre à espera de ser “colocados”, atirem-se à vidinha, cá dentro ou lá fora.

Aqui

Diante de comentários como o que acima transcrevi, confesso que me sinto uma espécie de David Attenborough a observar o comportamento de elementos da fauna.

Assim, do mesmo modo que os leões cheiram sangue à distância, há, em Portugal, uma espécie a que podemos chamar commentator insipiens (qualquer coisa como ‘comentador ignorante’), que fica com as narinas frementes mal ouve um ruído conhecido por “queixas dos professores”. Não chegam, ainda, ao ponto de rugir como os leões, mas adoptam comportamentos tão previsíveis como estranhos. Ao contrário dos leões, no entanto, metem-se em assuntos que não dominam.

O commentator insipiens, como ser primário que é, começa, normalmente, por afirmar a sua indignação, chamando a atenção para o facto de que os professores não se devem queixar porque há outros que ainda estão pior (onde é que eu já escrevi isto? Ou terá sido aqui?). Ao espécime em causa não lhe passa pela cabeça que é de toda a conveniência que cada classe profissional se queixe do que a afecta ou do que afecta a sua área de actuação. Talvez o commentator fique mais descansado no dia em que os professores queiram explicar à humanidade os problemas que afectam os funcionários das Finanças. No fundo, é a transferência do comportamento típico das velhinhas que estão no centro de saúde a comparar as doenças: “A senhora partiu um braço? Olhe, teve sorte, que eu parti os dois e ainda tenho bicos-de-papagaio! A senhora devia era dar graças a Deus por ter partido um braço. O que eu não dava para ter agora um braço partido! Esteja mas é calada! Só porque tem o osso à mostra acha que pode estar para aí aos gritos!” [Read more…]

Festival de Observação de Aves em Sagres

birdwatching

Quem gosta de observação de aves tem, este fim de semana, oportunidade de localizar, identificar e conhecer muitas das aves que atravessam os céus europeus nas suas migrações anuais. Nesta época do ano, Sagres é o ultimo ponto de descanso antes das aves migratórias da Europa voarem para sul. Durante a migração outonal pode-se observar  mais de 190 espécies nesta zona.

E claro que, entre estas, contam-se muitas preciosidades, como a Águia-imperial, o Abutre-preto, a Cegonha-preta, o Falcão-da-rainha, a Águia de Bonelli, a Pardela-de-barrete, o Falaropo-de-bico-fino, a tarambola-carambola, etc.

Para além de andar de olhos postos no ar, terá ainda

saídas de campo para iniciantes, passeios de barco, acções de monitorização com especialistas, palestras temáticas, cursos, jogos, tertúlias, actividades de educação ambiental

entre outras iniciativas. Leve uns binóculos, uma boa máquina fotográfica e dedique-se à caça sem fazer vítimas. Eu, pessoalmente, já lá testemunhei reuniões enormes de aves preparando-se para rumar a sul e, em grandes bandos, desaparecendo no horizonte. Inesquecível!

Com os Sindicatos não vamos a lado nenhum! Quem somos? Professores contratados. Quantos somos? Somos muitos !!!

“De todos os pontos de Portugal, 7 de setembro de 2011
Quem somos? Professores contratados.
Quantos somos? Somos muitos!!!
Este documento surge no âmbito da situação em que nos encontramos, graças aos sindicatos e ao Sr. Ministro da Educação Nuno Crato. Para a realização do mesmo utilizámos a informação recolhida no sítio da DGRHE (que nem sempre se encontra disponível) e este surge nesta fase por considerarmos que já não é possível espezinhar nem humilhar mais os professores contratados.
Quem diz que a tradição já não é o que era, com certeza não se referia ao Concurso de Docentes. Todos os anos a história se repete: dia 31 de Agosto é sinónimo de incerteza, stress, mudanças e, para os mais sortudos, de alívio (com o prazo de validade de um ano).
Ansiamos pela publicação das listas pela DGRHE e até apostas fazemos acerca da hora em que teremos acesso às mesmas. Este ano, tal como apareceram, desapareceram, dando lugar a um “engenheiro” de capacete amarelo, que apelidámos de “Bob” e que nos impedia de aceder, estando o portal “Em manutenção” durante várias horas.
Considerando a tradição, era previsível o aparece/desaparece das listas, mas e o “desaparecimento” de 3 mil e tal horários? Nem Houdini seria capaz de tal proeza! [Read more…]

George Wright: soltem o prisioneiro

A prisão de George Wright é mais uma demonstração do carácter homicida do sistema de justiça norte-americano: por aqueles lados os crimes não prescrevem. Extraditar um homem com mais de 70 anos significa condená-lo a prisão perpétua e impedir os seus filhos, cidadãos portugueses, de o voltarem a ver.

Este tipo de atitude tem paralelo na perseguição a nazis de terceira categoria, por vezes julgados num estado de saúde em que nem têm consciência do que se passa à sua volta. Não se combate a barbárie com a barbárie.

Admito uma excepção a estes casos: se por hipótese absurda Hitler ou Estaline aparecessem por aí vivos deveriam ser julgados, tal como Pinochet, porque aí falamos de responsáveis políticos por massacres, existindo um valor simbólico e dissuasor: os ditadores têm de perceber que crimes contra a humanidade não prescrevem.

A perseguição do FBI a George Wright não é justiça, é pura vingança.