Uma tempestade por uma garrafa de água, sff

Acabam de contar-me uma daquelas histórias que a gente vê a léguas que só podem ser mentira. Contaram-me, imaginem, que este ano os alunos não vão poder beber água durante os exames nacionais. Não pode ser, dizem vocês. Pois, foi o que eu respondi.

Se tivessem acrescentado que isto irá passar-se- num desses países em que o Estado se borrifa para a saúde dos seus catraios, eu era capaz de acreditar. Mas, em Portugal, onde fumar está a um passo de ser criminalizado (tá bem, é exagero mas não será por muito tempo), e onde a Direcção Geral de Saúde até quer ir inspeccionar as casas para saber se há garrafas de lixívia à mão de semear dos pequenos, vê-se logo que é peta.

Ora se há exames (parece que são dois) que chegam a durar 3 horas, e a maioria dos outros 2h30, e se há escolas que não têm ar condicionado, porque o Parque Escolar não chegou para todas, e a muitas a que chegou nem há verba para ligá-lo, proibir os alunos de beber água não andaria longe da tortura, não é?

Também é verdade que isso de as garrafas de águas estarem proibidas não está escrito em lado nenhum, e parece que apenas foi dito pelo presidente do Júri Nacional de Exames, prescrição suficiente para algumas escolas cumprirem.

Mas não, claro, isto é o país dos boatos, inventa-se cada história. Deixar os miúdos fechados numa sala, a fazer um exame de 2h30, sem ar condicionado, em Junho, e sem água? No mínimo, era caso para a Comissão de Protecção de Menores.

Comments

  1. Dora says:

    O nosso país tem uma grande polaridade (faz lembrar a nova terminologia linguística).

    Anda-se no 8 ou no 80!

    Talvez muitos leitores também não saibam, mas a lista das informações que têm de ser lidas aos alunos mesmo antes dos exames, quando já estão quase todos sentados (e outros ainda a entrar) é tão extensa e tão redundante, que fosse eu examinanda e atrever-me-ia a perguntar se afinal era mesmo permitido eu fazer mesmo o exame ou não.

    faz lembrar um pouco a cena dos filmes de acção americanos em que a polícia desata a falar sobre os deveres dos suspeitos apanhados enquanto o dito, apanhado de calças na mão, ainda está a tentar perceber o que está a acontecer.

    Outro caso “paradigmático” é, por exemplo, o de existirem 2 professores vigilantes (e mais dois suplentes na escola) na sala de exame. Isto, mesmo que só haja 1 examinando na sala. Junte-se a isto o facto de os professores durante esse tempo todo não se poderem sentar, sequer ousarem emitir um som, qualquer coisa importante que tenha de dizer ao seu/sua colega, assomar à porta, etc, etc….o que faz com que nem sequer troquem 1 olhar entre si.

    Enfim, no meio de tudo isto, que para mim revela algo parecido com esta extrema polaridade e desconfiança lusa, não sei se ainda é possível os examinandos apresentarem-se na sala destinada ao seu exame trajando outfits de praia, calças a descairem para os joelhos, shorts e decotes ousados.

    Enfim….

  2. Dora says:

    Enfim…

    esqueci-me de muito, mas disto também: os professores vigilantes devem circular constantemente por entre as filas de carteiras, demorando-se o tempo que achem necessário.

    Eu, que fiz todos os exames escolares que tinha de fazer no meu tempo, ficaria completamente aborrecida se sentisse um bafo atrás de mim e um olhar rotativo a fixar-se no que estava a fazer.

    Não sei se os examinandos de hoje se preocupam com isto. Eu ficaria muito nervosa e visivelmente chateada!


  3. No meu tempo, e não vai muito, é do século passado, um século bárbaro… Também não podia levar água… Fui torturado e não sabia! Onde posso apresentar queixa?!
    Acho que tal como nos comboios e aviões devem por a circular um carrinho com água, chá, café… e umas barras daquelas que dão energia extra… É que duas horas e meia a fazer um teste é tortura pura e dura… Aproveitem os professores vigilantes, afinal já servem para tanta coisa que mais esta não fará grande mossa!
    Pensando melhor, acho é que deviam acabar com exames deste tipo… E ensino deste tipo! Para formatações básicas destas não é necessário tanto esforço…
    Bem… realmente é verdade! Até eu estou a desidratar, e só escrevi esta meia-dúzia de letras… Vou beber água! 😎

  4. Patrícia says:

    Sim, existem escolas que não deixam os alunos levar água para beber no dia dos exames e sim são 2h30 a 3h se água.
    Não há lei nenhuma que obrigue mas a resposta é que é “proibido consumo de alimentos nos dias de exame” enfim é o país de gente completamente ignorante e desumana que temos…
    Infelizmente…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.