Momento Zandinga

Governo atribui quebra de passageiros nos transportes públicos ao aumento da fraude

Comments

  1. Carlos Pinheiro says:

    Quem é que explica a este senhor que 1.200.000 desempregados ficam em casa? Será que lhe custa a ver a realidade e prefere antes estar a fazer versos à lua?

  2. Amadeu says:

    Um exemplo perfeito da falta de senso comum deste governo.
    E os desempregados, e os reformados cpm pensões reduzidas ?
    É mais que falta de senso, é mesmo estupidez natural.

  3. Jorge says:

    Tenho 55 anos. Ainda apanhei o Américo Thomaz mas nao lembro de ter aparecido gente como esta. Tão ruim, tão má no sentido dedique nao prestam, que sao nocivos , que sao reles.

  4. Eduardo Dias says:

    Dêem uma volta no metro de Almada para ver quantas pessoas pagam bilhete. Não é coincidência que fiscais e guarda-freios costumam ir parar ao hospital com uma frequência tristemente elevada.

    • Maquiavel says:

      Aí näo houve quebra de passageiros por “aumento de fraude”. A fraude esteve sempre presente. Por isso mesmo basta ver a evoluçäo do n.o de passageiros pagantes no “metro” de Almada para provar que a diminuiçäo näo tem a ver com a fraude.

      Este desGoverno é assim: quando a realidade contraria os seus dogmas, reinventa-se a realidade para que os deixe de contrariar!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.