Artur e o Ludíbrio, o Estrago e o Estrilho

Cartaz 05A prestação televisiva de Artur Baptista da Silva, alegado especialista da ONU, foi um sucesso. Eu vi e gostei. Fiquei todo baralhado por causa das certezas do Artur, inauditas até ao momento em que lhas ouvi. Ludibriar com a Mentira ou Ludibriar com Verdades Cortantes e até Urgentes mas impraticáveis, é ludibriar! Ponto. Agora que o Artur foi denunciado como impostor por vários órgãos de comunicação social, faz o que todos os impostores portugueses têm feito, especialmente o Animal que se acoitou em Paris: queixa-se de ser vítima de um «julgamento sumário», com pena aplicada de «linchamento de carácter». Na sua orfandade, as putas de Sócrates, nos blogues e nalguma Opinião-Câncio, têm passado meses a falar do asco geral e unânime que aquela figura gerou na Opinião Pública precisamente como «assassinato de carácter». Portanto, a cassete é quase a mesma. Não há País que sobreviva a jornalistas e a jornais à cata de especialistas convenientes às suas teses contra-poder porque sim: desta vez foi Artur Baptista e Silva, pago para debitar com o megafone do Expresso e da SIC Notícias, a enganar-nos. Mas não o fez igualmente com estilo, estrago e estrilho essa magnífica geração Vara-Sócrates?! Não os ajudaram e credibilizaram igualmente esses media?!

Comments

  1. Amadeu says:

    Já cá faltava o Sócrates. Não te cures, não..

    • António Fundo says:

      Primeiro defende-se a actuação vergonhosa e lastimável do Artur Baptista da Silva, e depois ataca-se pessoalmente aqueles que apontam o dedo a outros Artur Baptista da Silva deste mundo, como José Sócrates. Não sei se o problema é cegueira ou falta de inteligência.


  2. Pelo título deste teu post pensava que estavas a fazer referência à mensagem de Natal do 1º de ontem.


  3. O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, garantiu nesta terça-feira que “todos foram e continuarão a ser chamados a participar” no “esforço nacional” para a saída da crise.

    Ao apresentar a sua mensagem de Natal, Passos Coelho acrescentou uma segunda garantia igualitária, a de que “todos beneficiarão das novas oportunidades” que serão criadas “nos próximos anos”.

    E justificou a decisão de tratar todos por igual, afirmando que “foi um imperativo de justiça que aqueles que vivem com mais recursos económicos tenham sido chamados a dar um contributo maior para que – por exemplo – nove em cada dez reformados não tenham sido atingidos por cortes ou reduções nas suas pensões.”

    Salientando a tentativa de não penalizar quem menos tem com os cortes da segurança social, o primeiro-ministro frisou que o Governo conseguiu “mesmo actualizar as pensões mínimas acima da inflação”.

    Passos Coelho comprometeu-se também com a garantia de que “ninguém sairá desta crise sem a capacidade plena de aproveitar essas oportunidades”. E insistiu na promessa: “Ninguém que esteve presente nos piores momentos da crise, com a sua coragem e o seu esforço, será deixado para trás nos anos de oportunidade que temos pela frente.”

    etc….


  4. O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, garantiu nesta terça-feira que “todos foram e continuarão a ser chamados a participar” no “esforço nacional” para a saída da crise.

    Ao apresentar a sua mensagem de Natal, Passos Coelho acrescentou uma segunda garantia igualitária, a de que “todos beneficiarão das novas oportunidades” que serão criadas “nos próximos anos”.

    E justificou a decisão de tratar todos por igual, afirmando que “foi um imperativo de justiça que aqueles que vivem com mais recursos económicos tenham sido chamados a dar um contributo maior para que – por exemplo – nove em cada dez reformados não tenham sido atingidos por cortes ou reduções nas suas pensões.”

    Salientando a tentativa de não penalizar quem menos tem com os cortes da segurança social, o primeiro-ministro frisou que o Governo conseguiu “mesmo actualizar as pensões mínimas acima da inflação”.

    Passos Coelho comprometeu-se também com a garantia de que “ninguém sairá desta crise sem a capacidade plena de aproveitar essas oportunidades”. E insistiu na promessa: “Ninguém que esteve presente nos piores momentos da crise, com a sua coragem e o seu esforço, será deixado para trás nos anos de oportunidade que temos pela frente.”

    …….

  5. António Fundo says:

    Verdades inconvenientes. Não há pior tolo do que aquele que quer ser enganado, e o que o caso do fraude Artur Baptista da Silva demonstra é o facto de que temos uma grande quantidade de tolos por cá que desesperam por ouvir aquilo que querem, mesmo se for algo completamente irreal, desprovido de sentido e ficcional. É essa laia que agora se põe com o cúmulo do disparate de defender um burlão que lhes mentiu descaradamente, a acusar aqueles que ousam pôr em causa a burla de serem mal intencionados, defensores do governo e até fascistas. Quando temos gente que insiste que lhe digam mentiras e que sejam enganados, não podemos queixar-nos que os governos sucessivos mintam e enganem a população.


  6. .”..Na mensagem de Natal de 2011, Passos Coelho tinha prometido um ano de “grandes mudanças e transformações, que incidirão com profundidade nas nossas estruturas económicas”. Na altura, Passos Coelho estava no cargo há seis meses e disse que “a orientação geral de todas essas reformas” num “ano determinante” seria “a democratização da nossa economia”.

    Engrolados
    Engrupidos
    Encornados

    Por todos os lados
    Cantando e rindo
    Levados, levados, sim

    (Monotonous, isn’t it?)

  7. José António says:

    Caro António, você não vai nada ao fundo da questão, quando resume o valor das afirmações de ABS a “algo completamente irreal, desprovido de sentido e ficcional”.
    Uma coisa é a imagem ficcionada com que se apresentou, outra aquilo que disse.
    O que o homem afirmou, muito resumidamente está aqui: http://aventar.eu/2012/12/24/para-alem-dos-numeros-que-nao-batem-certo-e-da-imposturice-e-do-cadastro-criminal-que-preocupam-tantos-o-que-artur-baptista-da-silva-disse/#more-1180190
    Porque não contra-argumentar ponto a ponto para se ver quem anda fora da realidade?
    Quem anda contra a mão na auto-estrada é esta segunda edição do pinóquio e seus acompanhantes (alguns de categoria muito inferior a ABS), que seguramente lhe ganhará no capítulo da aldrabice identitária – pois temos um PPCoelho antes e um PPCoelho depois das eleições – e que por via disso terá até menos credibilidade que este e muito menos legitimidade para tornar Portugal num país exaurido, onde não faltará muito para os mais desesperados começarem a matar para sobreviver.


  8. Até tu, Joaquim, que tratas tão mal a política como bem tratas a nossa língua? mereces um re-acordo vocabular em cima.

  9. Amadeu says:

    Sócrates, o Purple Haze do Palavroso

    http://youtu.be/4913gaj0_4w

  10. blimpe says:

    Mas porque é que ainda deixam esta besta escrever neste blog?
    Será que o gajo não arranja um blog só para ele e os amigos lá do asilo e deixa de vir sujar lugares que antes estavam limpos?
    Irra.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.