As notícias falsas

O Dr. Pinto Balsemão, grande proprietário da área da comunicação, designadamente a social, terá criticado a “lixeira gigantesca” que existe “nas redes sociais e nos motores de busca”. Afirmou também, segundo dá nota o Diário de Notícias, que “há organizações montadas para difundir rapidamente notícias falsas”.

Entretanto, a Sic Notícias, propriedade do Dr. Pinto Balsemão, informou que “um avião russo se despenhou em São Tomé”. Mas o que se despenhou em São Tomé foi um avião ucraniano.

 

Julio Magalhães VS Marques Mendes: quem está a mentir?

No seu habitual espaço de revelações bombásticas na SIC Notícias, Marques Mendes informou o país, com o rigor a que já nos habituou, que Júlio Magalhães teria recebido um convite do “Partido Socialista a nível nacional” para liderar a candidatura do PS à CM do Porto, tendo a questão sido discutida com a administração do Porto Canal. Tratou-se, segundo Marques Mendes, de “um convite ao mais alto nível do Partido Socialista ao nível nacional”.

Já no decorrer desta semana, questionado pela mesma SIC Notícias, Júlio Magalhães apresentou a sua versão dos factos, incompatível com a de Marques Mendes. Segundo o director do Porto Canal, “foi apenas uma mensagem“, à qual respondeu “imediatamente que não“, tendo o assunto morrido logo ali. [Read more…]

SIC Notícias facilita acesso à pós-verdade

pvsic

Estes estalinistas não se dão nada bem com a verdade. Bloqueiam-na. Reconstroem uma sociedade cada vez sinistra, de informação manipulada, com o auxílio da imprensa em bloco. Com a excepção, claro está, da SIC, da RTP, da TVI, do Sol, do I, do Correio da Manhã, do Público Dinis, do Expresso, do JN e dos blogues disfarçados de jornais como o Observador, o ECO e o Jornal Económico. Tirando estes, está tudo ao serviço da maldita Geringonça. Conseguirá a resistência repor a verdade?

Imagem via Os truques da imprensa portuguesa

Para o arquivo do rigor jornalístico

sicn

A SIC Notícias transformou os aumentos de 0,49 cêntimos no gasóleo e de 0,34 cêntimos na gasolina, previstos para o início desta semana, em aumentos de 49 e 34 cêntimos, respectivamente. Seria de esperar que ninguém no seu perfeito juízo acreditasse numa treta destas. Porém, quando o título da notícia foi alterado, poucos minutos após a publicação original, já as redes sociais tinham tratado de explodir em indignação e disseminado mais este lapso da nossa imprensa atenta. Onde estaria o Hugo quando se publicou este aborto jornalístico? Será que deu OK?

via Os truques da imprensa portuguesa

Aquele momento em que o ridículo atinge proporções descomunais

e o humorista faz o seu trabalho.

Nuno Carvalho da Padaria Portuguesa não convive bem com a verdade dos factos

nuno-carvalho

Ontem, interroguei aqui, confesso que a título exploratório, o porquê do vídeo publicado aqui  neste post, e de outras versões dos mesmos conteúdos republicados no Youtube terem sido misteriosamente retirados ou terem misteriosamente desaparecido da vista humana no referido site de partilhas de vídeos.

A resposta está dada: as republicações no Youtube foram retirados graças a vários reports à administração do site, declarando que o vídeo em causa violava os direitos de propriedade intelectual? Propriedade intelectual? As declarações de Nuno Carvalho devem ser entendidas como propriedade intelectual? Os pais do liberalismo moderno ou neoliberalismo como Hayek, Milton Friedman ou Von Mises devem estar às voltas na tumba porque no fundo ninguém gosta de andar à roda anos e anos a estudar os fenómenos da vida social e económica para depois ser surripiado intelectualmente à má-fé por um simples padeiro, fazendo jus à profissão por si declarada publicamente aqui na entrevista que saiu hoje no Caderno do Expresso.

[Read more…]

Ensaio sobre os centrais

rodolfo-reis

O Luisão escorrega, não é? No golo. Toda a gente pode escorregar. Escorregou. Escorregou. Quer-se dizer, estes centrais já estão um bocado ó tio, ó tio!

— Rodolfo Reis, 4/12/2016

Le fait que l’acte de porter une lettre à la poste est un comportement différent de celui de se promener dans la rue est dû à l’objet-but de l’acte.

Joseph Nuttin

 

***

Efectivamente, Fevereiro, mas direto. Sim, estamos em Dezembro de 2016 e já terá havido tempo para a consolidação dos conhecimentos obtidos durante as acções de formação anunciadas, onde provavelmente até terão sido proferidas barbaridades como «se disser Egito escreve sem ‘p’, mas se disser Egipto escreve com ‘p’». Aliás, recordemos que a grande divisão da doutrina era entre «não mais que 15 minutos» e «basta uma meia hora».

dre9122016a

O desastre prossegue, imparável. Imparável? Nem por isso. Temos sempre [Read more…]