Para onde vão os seus impostos, A Tale of Two Narratives

impostos

Há tempos, a long, long time ago, houve um governo que nos fez um desenho sobre o destino dos nossos impostos, mais concretamente, do IRS (como se IVA, taxas, ISP, cortes, contribuições extraordinárias, licenças, IMI, IMT, contribuições, etc., etc. não fossem igualmente impostos).

Nesse mundo fantástico de Alice, o Sr. Coelho, primeiro-ministro, ou alguém da sua equipa, assegurou-nos que a machadada nos nossos rendimentos ia para os Serviços Gerais da administração pública (15.36%), para a Defesa (2.78%), Segurança e ordem pública (3.93%), para os Assuntos económicos (10.26%), para a Protecção do ambiente (1.38%), para os Serviços de habitação e desenvolvimento colectivo (1.24%), para a Saúde (14.18%), para os Serviços recreativos, culturais e religiosos (2.35%), para a Educação (13.55%) e para a Protecção social (34.97%). Fantástico, não é?

A realidade mostra, no entanto, outras fontes de despesa e, portanto, de destino para os nossos queridos e saudosos tostões:

  • BPN: 8.3 mil milhões de euros
  • Brincadeira dos administradores das empresas públicas com o nosso dinheiro: potencialmente, mais de 3 mil milhões
  • PPP e submarinos: não se sabe (isto é, nós não sabemos) mas conte com a ordem dos milhares de milhões (what else?)
  • Madeira: 6.3 mil milhões de euros
  • Juros com o empréstimo da tríade (34.4 mil milhões de euros), mais comissões do BCE e banca nacional (2.3 mil milhões de euros)

Agora somemos só esta pequena amostra,  deixando de fora os juros do empréstimo e o não quantificado PPP e submarinos. Em causa estão 19.9 mil milhões de euros torrados em negócios que, literalmente, arruinaram o estado. Olhemos para esse fantástico mundo de Alice e para este enredo dos Suspeitos do Costume para concluirmos o óbvio. Não são os professores que estão a arruinar o país. Não é a saúde que está a matar a economia. Não é a Segurança e Protecção Social que estão a tornar este canto num lugar inseguro para se viver. Não é o Ambiente nem a Cultura onde crescem os problemas.

Não, o problema está na elite política que, directamente ou por nomeação, tem governado o país. A crise existe porque uns poucos usurparam o poder que o soberano, nós, lhes emprestou para brincarem com o dinheiro que não é deles. A ruína económica do país está a ser paga por todos, de forma desigual, sem que haja gente presa e sem que se mexa uma palha para recuperar esse dinheiro perdido.

Finalmente, uma dica para o Sr. “Narrativa” / Sr. ex-“Isto é um Momento Histórico”: V.exa nacionalizou o BPN, é do tempos dos brincalhões das EP, esbanjou nas PPP, deu rédeas largas à Madeira e negociou os termos do acordo com a tríade, no que se inclui a parte de dar lucro ao BCE e à banca nacional. Pronto, era só isto, para não nos esquecermos das cenas do vira o disco e toca o mesmo.

[actualização]
A dívida da Madeira rondará os 6.3 mil milhões de euros, em vez dos 1.1 mil milhões que estava inicialmente

Comments


  1. O corrupto e o depravado do Socartes devia estar preso , bem como toda a sua camarilha
    e a do Cavaco , foram e são uns gozões a arruinar o País e o Povo , mas nada lhe aconte-
    ce . Encheram-se e continuam a encher-se de dinheiros , enquanto nós empobrecemos ,
    inventando sempre mais contribuições , ou melhor impostos que dizem não ser .
    Querem fazer nós estúpidos , néscios e imbecis .
    Só souberam batotas que ainda continuam a fazer . Esta gente inventa tudo , até diz que
    uma contribuição não é um imposto .
    Os culpados são os que votaram neles . Façam como eu , que não voto em ninguém , há.
    mais de 20 anos , porque deixei de acreditar nos Políticos , mas continuo a bater o pé a
    todos .

  2. Carlos Fonseca says:

    Jorge, há os impostos e os custos dos impostores: Da soma, resulta um elevado valor.

Trackbacks


  1. […] BPN: 8.3;  buraco da Madeira: 6.3;  comissões para BCE e banca nacional (empréstimo da tríade):  2.3; escândalo dos Swaps : até 3; PPP e submarinos: nós não sabemos! Mais de 19.9 mil milhões de euros. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.