Adivinha quem voltou?

ImagemO Arunca, em todo o seu esplendor das lamas, reapareceu hoje em Pombal e por aí fora, como sempre acontece em tempo de grandes chuvadas. É uma espécie de benção para aqueles que farejam as águas a galgarem e as margens, a alagarem estradas,a ensoparem terrenos de cultivo. Que melhor espectáculo para um domingo de Páscoa que aquele, de ver o poder das águas côr-de-lama? Hum?

Desta vez o espectáculo aconteceu no Parque Verde do Açude, vulgo corredor ribeirinho, uma obra que demorou décadas a concretizar e que ainda não completou um ano de inauguração. Foi o primeiro grande teste. Dizem os entendidos (aprendizes de iluminados e pseudo-intelectuais) que não podemos impedir a força da natureza, mas devemos prevenir para não remediar. E há (havia) cuidados a ter em conta.  Ou então não. Ou então isto chama-se planeamento e visão estratégica, pois que o passeio ribeirinho se transformou em passeio marítimo. Venham as docas, antes das eleições, vá…

Aventar

Quatro anos, quatro milhões de visitas. Agora numa média de 4000 a 5000 diárias. Entretanto os jornais

Aventar nas Casas do Bragal

Almoço

O Aventar completou, ontem, quatro anos e resolveu comemorá-los à mesa, que é um dos hábitos mais saudáveis que pode haver, mesmo com o aumento do IVA e do colesterol. [Read more…]

Notícias sem a mínima importância

Aconteceu na passada segunda-feira na Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha.
Um leitor procurava junto do serviço de Leitura Domiciliária requisitar dois livros. A funcionária negou-lhe o pedido, ressalvando que o leitor ainda tinha um livro emprestado em casa. A verdade é que o regulamento da Biblioteca impedia a requisição de novas obras sem a entrega das anteriores.
Enfurecido, o leitor começou a berrar com a funcionária, chamou-lhe de tudo e ameaçou-a. Quando a encontrasse lá fora, ia mandar-lhe uma cabeçada. Antes de sair, passou por um escaparate e deitou abaixo todos os livros que lá estavam.
Mal o leitor saiu, a funcinária chamou a sua superior e narrou-lhe o sucedido.

Rezar deve ser mais apertado

A Pr. do Comércio tem 36000 m2. A deS. Pedro 22000 m2 23499m2. É só fazer as contas.

Cinema pascal: Monty Pyton, A vida de Brian

É Páscoa, um dia as televisões também repetirão todos os anos este clássico do humor britânico, em tudo superior às chachadas do costume. Always Look on the Bright Side of Life.

Ficha IMDB. Legendado em português.

Merkel nua?

mononude0479
Circula há uns dias nas redes, afirmando-se a semelhança entre uma das então jovens e a actual Angela Merkel.

Não me parece: a foto original foi publicada na net em 2009 e um camping nudista dos anos 70 dificilmente faria parte das experiências de vida de uma jovem da RDA. De resto o nudismo, ou naturismo, uma guerra da minha geração contra a tolice religiosa e a hipocrisia da moral burguesa, foi uma boa causa.

Mas lá que é parecida, é.

Adenda: afinal na RDA o nudismo era corrente, ler nos comentários.

Gente realmente importante

IMG_0460
Não percebo tanta obsessão à volta do regresso de Sócrates à vida política. São tantos os problemas do país e é com isso que se preocupam? Com um rodapé? Com uma espécie de vírgula que nem chegou a sê-lo?
Nos últimos dias estive junto ao Aquartelamento das Caldas da Rainha, de onde partiu a revolta de 16 de Março de 1974. Estive em Óbidos, junto ao edifício onde a 1 de Dezembro de 1973 se realizou uma das mais importantes reuniões do MFA. Atravessei a Ponte Salgueiro Maia. Querem falar de gente realmente importante?

Postalinho de Barcelos (6)

barcelos3

José Gomes Ferreira e Sócrates… um manipulador de números a comentar um manipulador de números

de Eduardo Maltez Silva

não sendo isento o video, tentarei mostrar um pouco o outro lado dos números. (basta googlar para saber esses dados)

1. NÂO TINHAMOS DINHEIRO PARA SALÁRIOS
nenhum país do mundo cuja oposição impeça o pedido de empréstimos terá dinheiro para pagar os seus salários…NENHUM, nem Alemanha, nem china, nem estados unidos.
o senhor comentador “esquece-se” de dizer em que momento o ministro das finanças disse isso. Foi depois do PSD impedir o PEC4 e quando os juros para empréstimos já ia em 7% .esse “esquecimento” não é isenção…é manipulação de massas. O PSD queria subir ao poder, e tudo valia a pena, colocando o FMI e destruindo Portugal

2. O AUMENTO DA DIVIDA DESTE GOVERNO É HERANÇA DE SOCRATES
O comentador “esquece-se” de dizer qual a percentagem dessa herança de Sócrates no aumento da divida? Tbm se esquece de qual a percentagem de Santana, Cavaco, e os outros governos? Sabem quem foi o único governo a baixar os gastos do estado em relação ao PIB na historia da democracia? Sabem qd crescemos mais nos ultimos 20 anos? sabem quando ouve mais progressos na saude, no ensino, na reforma da seg social? [Read more…]

Aguenta, aguenta: cuidado com a dose

venenoLetal em pequenas e grandes quantidades.

Guitarra a 4 mãos

Os irmãos Moipolai, Ronnie e Kebabonye, mostram como no Botswana se toca guitarra a 4 mãos.

Postalinho de Barcelos (5)

barcelos3

Idiotice obscena

Uma foda já não pode ser uma foda.

O Zé é a pitança do momento

Sempre manifestei reprovação em relação à maioria das políticas de Sócrates. Contudo, recuso liminarmente colocar no regressado emigrante de luxo  as integrais responsabilidades pela situação a que o País chegou.

A nível interno, existem outros co-autores do desastre. Cavaco, fundador do ciclo das PPP, e Guterres foram dos mais responsáveis. Dispuseram de abundantes fundos comunitários, a maior parte desperdiçada em obras de fachada (CCB, Expo 98, Mercados Abastecedores, pontes, viadutos e autoestradas); fundos de tal monta que, diga-se, qualquer PM jamais desfrutou posteriormente. Barroso, outro PM refractário, da aquisição dos submarinos alemães, aos contratos das ‘Pandur’  (Paulo Portas sabe disso muito, muito mais do que eu) deixou o Estado com défice de 3% em 2004; mas, logo de seguida, em 2005, o governo do generoso Santana Lopes permitiu que o défice disparasse para 6%. [Read more…]

Diabólica Santeirice

Enquanto o coelhíssimo Jorge Coelho vem falar da brilhância da entrevista, há quem não vá por aí, pelas lambidelas gratas coelhónicas que, bons tempos!, uniram Salgado, o mesmo Jorge Coelho ex-MotaEngil e Sua Exma. Obscenidade José Sócrates para blindar as últimas PPP.

Os professores explicados aos não professores (II)

Escrevi há dias sobre o facto de Nuno Crato estar a despedir professores à custa de menos escola – é verdade que a Escola Pública tem hoje menos, muito menos, Professores, mas isso foi conseguido, fundamentalmente, à custa de menos horas com os alunos.

Por outro lado, Nuno Crato não conseguiu mexer na pérola que Maria de Lurdes Rodrigues deixou na escola pública – a burocracia.

O comentador falou em acabar com o MEC, deixar para os professores a tarefa de “ensinar”, seja lá o que isso for, mas a verdade é que tudo continua na mesma, para não dizer pior.

E, na Escola, a Burocracia manifesta-se de muitas formas, mas tem como principal argumento a necessidade da cadeia de comando se defender do chefe, isto é, quem está abaixo justifica-se ao de cima e de papel em papel fica para trás o mais importante – educar. [Read more…]

Narrativa: beber com moderação

Narrativa

Alívio imediato para laranjas. Efeitos secundários em rosas.
clique para virar a coisa

Ó Correio da Manhã, agora quero saber quanto custou a máquina de lavar e o frigorífico de Sócrates

A vingança é uma coisa tramada. Às vezes leva as pessoas a cometer atitudes infantis. Daquelas capazes de transformar homens de barba feita, e alguns até carecas, em meros adolescentes imberbes e espinhosos.  Quem não se lembra de, na nossa meninice, termos exercido actos de retaliação a quem não nos deixava jogar à bola “à frente”, como os avançados?

Foi inevitável lembrar-me desses tempos ao olhar hoje para a primeira página do Correio da Manhã.

cm

[Read more…]

Sobre narrativas, é de lembrar que a realidade às vezes é coisa que não lhes assiste


Fonte dos dados: Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, Relatório PPP, Julho 2010

Parte de um post publicado a 2011/05/16 onde se percebe que a narrativa sobre o tipo que deixou menos encargos com as PPP do que aqueles que encontrou à chegada é mesmo pinóquice.

El País e os ‘paraísos fiscais’: um texto pedagógico

FABER-Fiscal-paradiseVamos destruir os paraísos fiscais!

Sob este título, o ‘site’ Presseurop divulga um artigo, publicado no ‘El País’, por Xavier Vidal-Foch, cujo preâmbulo é o seguinte:

A crise cipriota pôs a nu o estatuto fiscal especial da ilha no interior da zona euro. Mas esse estatuto não é muito diferente do de outros países europeus, como o Luxemburgo ou das ilhas do Canal da Mancha: aberrações a que seria preciso pura e simplesmente pôr termo.

Recomendo a leitura do artigo. Sempre ficamos a saber que Chipre não é modelo recomendável, mas também ganhamos a consciência de que não está só nesse oceano imenso, onde outros territórios – alguns muito prestigiados – florescem na imoralidade de fortunas espúrias, seguindo, a rigor, as regras dos perversos ‘paraísos fiscais’ dominadores do mundo sujo e podre que habitamos.

Ocorre-me citar uma frase de Fernando Pessoa:

 Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura…

Para desgraça da humanidade, aqui e no resto do universo, o domínio das grandes fortunas, das obscenas indiferenças de milionários e políticos perante a miséria, a fome e a  sofrida morte de milhões de crianças assumem, de facto, o tamanho do que vejo e ainda do que não logro fitar, sem que escapem, porém, ao sofrimento do que penso e sinto à minha volta. Daqui até aos antípodas deste local.

 

Resumo do dia

O meu mentiroso é melhor que o teu.

Coelho pressiona Tribunal Constitucional

Nas décadas vividas de democracia, não me lembro de ter havido um  primeiro-ministro a  pressionar, aberta ou dissimuladamente, o Tribunal Constitucional, no sentido de obter a rejeição das inconstitucionalidades no Orçamento Geral do Estado (2013, no caso) em favor do seu governo – três tópicos: eliminação de subsídios, contribuição extraordinária de solidariedade e sobretaxa de 3,5% em matéria de IRS foram remetidos ao TC pelo aliado de Belém, em decisão “pérfida” de Cavaco que Coelho perdoa, por devota e confessada amizade.

Não esqueço a submissão do País ao ‘memorando de entendimento’ da ‘troika’, assim como estou consciente de que a retirada dos subsídios não constava do programa e o limite mínimo para aplicação da CES era de 1.500,00 euros (ponto 1.11, página 3, do memorando); para cúmulo o lançamento da sobretaxa de 3,5% de IRS constitui uma medida do lado da receita, em vez da opção por corte de despesas preconizado pela ‘troika’. [Read more…]

Lavadeiras do Mondego

lavadeiras mondego
Sem data, autor desconhecido

Humor de desempregado

Uma estória que é um luxo.

Megafone Para um Serial Killer

Não tive pachorra para assistir totalmente à encenação de ontem. Todo aquele arrazoado histérico, de tão previsível e robótico, mói qualquer paciência bem intencionada acabadinha de chegar à Terra. Sócrates desejou ardentemente o palco estéril da TV para pomposa defesa de si mesmo e da sua indefensável corrupção de processos, de tom, de modo, com que contaminou a Governação, enquanto a exerceu. Desejou defender o pequeno quadrado do seu desejo de exclusividade e fechamento do Poder: Portugal e os Portugueses existem, aliás, apenas para servir de cenário à magnífica pessoa do sr. Sócrates e assim preencher a cova de um dente do sr. Sócrates, enquanto gemem e gerem sofredoramente os problemas que ele causou.

O que me opõe desde o princípio a Sócrates é o que me opõe à devastação gratuita da vida de milhões de portugueses como eu. É o que me opõe à traição pelos políticos de todas as nossas aspirações legítimas de paz, prosperidade e confiança, coisas a que um sueco, hoje, tem direito e eu e milhões de portugueses não. O que me opõe a Sócrates é o que me opõe a todos os políticos, e ele foi e é o pior deles, que se deitaram sem rebuço, na cama dos banqueiros e me condenaram, e a milhões, à vergonha de ver o meu País intervencionado. [Read more…]

Balcanização? Não, obrigado! Sim à ruptura.

Imagem

O movimento olímpico português não cedeu à tentação de se deixar balcanizar, espectro que pairou, durante algum tempo, com o discurso de intenções de pré-candidatura de dirigentes que não passaram disso: putativos pré-candidatos.

Ao não se deixar enredar nessa tentação, o olimpismo distribuiu os apoios e as intenções de sufrágio por dois candidatos: Marques da Silva, um homem do aparelho (era o secretário-geral) e delfim de Vicente de Moura, ambos ligados à marinha, e José Manuel Constantino, antigo Presidente da Confederação do Desporto (CDP) e do Instituto do Desporto (IDP) e actual Presidente do Conselho de Administração da empresa municipal Oeiras Viva EEM, responsável pela gestão do imenso e complexo parque cultural, desportivo e de lazer daquele município. [Read more…]

As ratas humedecidas da blogosfera portuguesa

Parece que foi da narrativa de ontem à noite…

Sente a retórica inflamada?

Tome Cavaco, o novo anti-inflamatório.

E o Óscar vai para…

a Imprensa Falsa, melhor comentário narrativo à entrevista do regressado:

Sócrates ter-se-á apaixonado pela narrativa em Paris

José Sócrates não conseguiu esconder, esta noite, em entrevista à RTP, o seu amor pela “narrativa”. O ex-primeiro-ministro só falava na narrativa. Narrativa para aqui, narrativa para ali. Os jornalistas ainda tentaram puxar alguns assuntos, mas Sócrates só queria falar da narrativa.

 Segundo o Imprensa Falsa conseguiu apurar, o amor entre Sócrates e a narrativa aconteceu em Paris, cidade conhecida pelo seu imenso romantismo. Dizem os mais próximos que foi amor à primeira palavra.

«Sim, ele conheceu a narrativa em Paris, ligou-me um dia muito feliz e só disse “estou apaixonado”», afirma um amigo próximo, que já conheceu a narrativa e que ficou com a melhor impressão dela: «Foi muito simpática comigo e penso que está a fazer bem ao Zé.»