Diácono C. Silva

image

Ó meuszzz amigoszzz. Eu já vos dixezzz para terem juíxinho ou levam tau-tau. Depoiszzz não venham dizer que não os avixeizzz.

Alguém, por caridade, pode avisar o inquilino do Palácio de Belém do quanto patético está ser? E que semi-presidencialismo não equivale a meio presidente?

Já agora, que se está numa onda de recados, que digam a Esse Que Não É Nada Panhonha (atenção à regra n° 1 da política: dizer o contrário do que se pensa), dizia, digam-lhe que o Sr. C. Silva só tem um partido, ele mesmo, como de resto se percebe de um discurso onde dá uma no cravo e outra na ferradura, isto nos intervalos em que deixa umas larachas para mais tarde se justificar com o habitual “já vos tinha avisado”.

Tristes.

Ribeirense é o campeão nacional de Voleibol

As meninas dos Açores mostraram nas quadras que são a melhor equipa nacional e ganharam, com inteira justiça, mais umribeirense título – o Ribeirense é novamente campeão nacional de Voleibol.

Das quatro equipas apuradas para a fase final – Ribeirense, Leixões, Gueifães e Castêlo – o agora tri-campeão Ribeirense e o Leixões chegaram à final, tendo a equipa do Açores conseguido vencer os dois jogos da final (3-0 a semana passada e 3-1 hoje).

Hoje, domingo, a nave, em Matosinhos, encheu para apoiar as Sereias que lutaram com tudo o que tinham (e até o que não tinham). O esforço do Leixões  acabou por dar ainda mais brilho à vitória do Ribeirense: aquele segundo set com um 31-29 para a equipa da casa foi fantástico.

Agora é tempo de levar a bola para a areia!

 

 

Já descobri onde é que o Gaspar esconde o nosso dinheiro

image

Encontrado o local do pote do Passos.

Um PS dos mais frágeis de sempre, desenhado à vontade de Soares

De Seguro a Passos Coelho, há alguma distância ideológica. Todavia, é insuficiente para garantir alternativa séria, corporizada em modelo e objectivos de governação de que o País carece – de resto, em acto de uma espécie de mimetismo dos masoquistas islandeses, o povo português, tudo indica, permanecerá, por teimosia e culpa, enredado no círculo dos partidos do ‘arco do poder’.

Há dias, vi a reportagem do almoço do 40.º aniversário do PS, na sede do Rato, apenas entre Soares e Seguro. O tom laudatório do patriarca socialista a louvar Seguro foi elucidativo do empenho proteccional ao reeleito secretário-geral do PS. Há afirmações pueris, apenas no aspecto: No fundo, trata-se de juízos intencionais e de uma modalidade de autoritarismo suave na aparência, mas plasmado na determinação do objectivo, semelhante à finalidade do ataque do pérfido felino a dominar a presa. E Seguro é, de facto, presa fácil.

Soares, desde sempre, nunca abdicou da prerrogativa de comandar o Partido Socialista, mesmo quando deslocado para funções incompatíveis com a militância – Presidência da República é um dos casos. Os vergonhosos afastamentos de Vasco da Gama Fernandes e Salgado Zenha são dois actos de ‘vendetta’ soarista que jamais a História deixará esquecer.

Seguro, ‘jota’, pardo ministro de Guterres e sem qualificações para chefiar a governação do País na complexa encruzilhada em que vivemos, é a réplica de um Passos Coelho para quem Mário Soares se chamou Ângelo Correia. [Read more…]

A democracia é uma chatice…

Confesso a minha quase total ignorância sobre a Islândia. À excepção da música de  Bjork e Sigur Rós ou Eiður Guðjohnsen, um jogador de futebol que andou por grandes clubes do futebol europeu, raramente ouvia falar deste país. Até à crise da Banca e posteriormente ao para mim impronunciável, vulcão Eyjafjallajökull. Após a crise da Banca e mudança política que se seguiu quando a população forçou a demissão do governo, muitos comentadores lusos que suspeito serem tão profundos conhecedores como eu da realidade islandesa, não perderam tempo a tecer loas ao governo social-democrata que assumiu o poder, procurando justificar em Portugal a defesa da tese do “não pagamos”. Com argumentação intelectualmente desonesta, foram omitindo propositadamente a presença do FMI e implementação de políticas de austeridade. Desenganem-se os portugueses que imaginarem que voltarão ao tempo das vacas gordas quando o PS for novamente governo. Procurando mais informação sobre a ingratidão do povo islandês, passei pelo Arrastão, 5 dias ou Jugular mas nem uma explicação, até tropecei na azia de quem se julga moralmente superior. Mesmo os especialistas cá da casa permanecem em silêncio. Não falta em Portugal quem considere apenas legítima a defesa dos seus pontos de vista, uma espécie de superioridade moral. Esquecem que é sempre do eleitor a última palavra…

O ataque da matilha:

leite
Francisco Almeida leite foi nomeado Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros. O Francisco esteve, durante cerca de um ano, no Instituto Camões. A seu cargo teve, entre outras responsabilidades, a cooperação bilateral com Angola e Moçambique, a cooperação delegada da gestão dos fundos comunitários para a cooperação (incluindo Timor-Leste) e o diálogo com a sociedade civil nomeadamente, o acompanhamento das ONGV). Ou seja, leva com ele todo este vasto conhecimento da máquina da cooperação para o ministério dos Negócios Estrangeiros. Além disso, foi durante muitos anos jornalista, com uma carreira sólida, em diversos órgãos de comunicação social e, nalguns, com cargos de responsabilidade editorial. Em suma, não estamos perante um qualquer estagiário ou mesmo um daqueles licenciados ainda verdinhos. Não. É alguém com uma vasta experiência.

Contudo, vários jornalistas e um ou outro “comentador”, sem esquecer alguns bloggers, andam entretidos a bater na escolha de FAL para Secretário de Estado. Na verdade, qual o motivo para tanta raiva? No caso dos jornalistas, é sempre assim. O corporativismo no seio dos jornalistas, sempre que toca a alguém que não seja do BE, da CDU (ou do PS ou aparentado) funciona ao contrário. Se o jornalista decide mudar de vida e iniciar uma carreira na política (o último foi Paulo Portas) ou na assessoria, é o fim do mundo em cuecas. Como se estivesse a cometer um pecado mortal. No caso dos comentadores e dos bloggers faz parte da tradição da espécie (na qual, enquanto blogger, me incluo).

Em vez de se esperar para ver o resultado da escolha, aguardar para perceber o que vai fazer o novo secretário de estado, faz-se um ataque furioso como se não houvesse amanhã. Uma tristeza. Um ataque pessoal rasteiro, com ares de encomenda e todo o aspecto de estar a ser feito em matilha. E sem qualquer pudor: até antigos jornalistas que já estiveram em cargos de nomeação política e que, olhando para o teor das críticas, certamente se esqueceram do seu passado. Enfim…

Desta vez é em Marte

Seguro quer Portugal a dar outra vez novos mundos ao mundo.

Congressos

Eu ainda sou do tempo em que um congresso, sobretudo do PSD, garantia um fim-de-semana animado. Nesse tempo, dos lados do CDS, PSD e PS choviam piadas por altura dos congressos do PCP, onde imperavam as unanimidades e poucas alterações eram feitas aos textos em debate, aprovados por quase unanimidade.

Levavam como resposta que no PCP havia debate interno prévio, o que é verdade e faz parte do funcionamento de qualquer organização por assim dizer marxista e da forma como a militância ali se assume. Quem não a tem, à militância, naturalmente trazia o debate mais para a praça pública.

Entretanto iam tecendo a malha da legislação: a lei dos partidos é hoje um espartilho idiota que permite ao Tribunal Constitucional barbaridades com a da recente  não legalização do MAS. Os partidos devem organizar-se internamente como muito bem entendem, se elegem de braço no ar ou muito simplesmente instauram uma monarquia interna, problema seu: os eleitores que os julguem. [Read more…]

Na Alemanha Usavam Gás

Em Espanha usam a falta de gás.

Lucas, Cap.V, vs. 5/8

 E O Diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do Mundo. E disse-lhe o Diabo: – Dar-te-ei todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue e dou-o a quem quero; portanto, se me adorares, tudo será teu.

Ele pensou um pouco. Fez contas e, ao contrário de outros ,aceitou. Foi assim que, a partir desse dia, se tornou executivo do GOLDMAN SACHS.

Seguro aplaude Cavaco

É verdade, não me levantei mas bati palmas – afirma António José Seguro referindo-se ao final do discurso em que, num aniversário do 25 de Abril, Cavaco Silva cilindrou o PS.

Seguro acaba de obter o apoio de 99% do seu partido.

Trinta e muitos anos depois de ter metido o socialismo na gaveta o PS é dirigido por um masoquista institucional: fustigam-no, lambe o látex e agradece. É o que merece.

Trofa: Os buracos

298286_649250801757530_633391649_n

 

 

374579_649250715090872_644763386_n

 

 

310855_649250998424177_108045085_n

Cavaco e o outro FMI

Como começou o político Cavaco a sua ascensão ao poder, ou o conspirador de Mariani quando ainda não sonhava com a Coelha.