O estranho caso de Élsio Menau

Forca

No país onde o Presidente da República hasteou alegremente a bandeira de pernas para o ar, um artista de street art algarvio, Élsio Menau, vai responder em tribunal por um trabalho de fim de curso que, apesar de ter recebido a classificação de 17 valores, foi considerado pelas autoridades como crime de ultraje à bandeira.

A imagem que podem ver em cima é talvez a que melhor ilustra este caso: procurando representar um país com a corda no pescoço, algo que corresponde, mais do que nunca, à realidade da esmagadora maioria da população portuguesa, Menau deu esta forma à sua ideia. Será que alguém realmente acredita que o objectivo seria o enxovalho deste símbolo da nação? Só por má fé ou pura estupidez.

A composição foi inicialmente instalada num terreno baldio, às portas de Faro, tendo sido removida 2 dias depois pelas autoridades. Estávamos em Junho de 2012. Apesar do sucedido, a obra esteve em exposição na Galeria de Arte do Convento de Santo António, em Loulé, entre Setembro e Outubro do mesmo ano. Curiosamente (ou não), Menau foi chamado a apresentar-se nas instalações da Polícia Judiciária da Quarteira apenas depois do insólito episódio do 5 de Outubro em que o senhor Aníbal hasteou  a bandeira ao contrário.

Como é natural, o artista acha toda esta situação ridícula. E não é para menos. Nas palavras do próprio, trata-se de “um trabalho que procurava mostrar a indignação pelo estado em que está o país” e que nunca foi sua intenção ofender a bandeira. Fernando Cabrita, advogado e escritor que se ofereceu para defender o jovem artista, salientou tratar-se de uma forma de expressão artística e relembrou que existem bandeiras em avançado estado de decomposição, um pouco por todo o país, desde que o mister Scolari apelou a que fossem colocadas nas janelas de todos os portugueses, por altura do Euro 2004. Refere ainda as milhares de bandeiras adulteradas que se vendem um pouco por todo o país, com especial destaque para as lojas chinesas, e que parecem não preocupar as autoridades.

É mais um episódio do estado patético a que este país chegou. Um país onde todos os dias assistimos a vandalização de uma nação às mãos de canalhas corruptos, de banqueiros cujos crimes prescrevem impunemente e de  políticos que colocam interesses partidários acima dos superiores interesses da nação. Um país onde um qualquer idiota irrevogável elabora uma manobra, bem sucedida, para reforçar o seu poder e faz os juros disparar. Um país onde um primeiro-ministro mente com quantos dentes tem na boca para ser eleito. No meio de todo este lodo, de toda esta escumalha anti-patriótica, é a expressão artística de Élsio Menau que ultraja os símbolos nacionais.

Gostava de estar em Faro, na próxima Segunda-feira, dia em que este bravo artista se apresentará em tribunal. Infelizmente, a distância e o trabalho não me permitem. Estarei lá em espírito. Que a justiça e o bom senso prevaleçam e que continue a brindar-nos com o excelente trabalho interventivo e visual a que nos habituou. Portugal precisa de artistas criativos, não te conservadorismos retrógrados e idiotas.

Força Élsio Menau!

Menau

Comments


  1. E faz-nos impressão que haja países onde a Blasfémia seja considerada crime. Onde é que uma acusação destas é diferente?

  2. Marquês Barão says:

    É errado incomodar Élsio Menau por causa disto. E na mesma onda que não se incomode também o articulista por não saber fazer mais nada que não seja denegrir a imagem do PR.

  3. diogo cruz says:

    força menau.ilustraste bem o estado em que puseram o nosso país(bandeira):dependurado

  4. Ricardo Ferreira Pinto says:

    Já há uns anos, em 1986, o actor João Grosso teve problemas com a Justiça por cantar o Hino Nacional na televisão em versão rock. Quem era primeiro-ministro? Adivinhaste!
    Palhaçada de país!

  5. Isabel Matos says:

    E condenar um povo à miséria e ao desespero não é crime? E roubar, manipular e vender a alma a interesses estrangeiros? E governar por interesse próprio e não por amor ao país? Por favor sentem os políticos no banco dos réus.

  6. José Honório says:

    Em Peniche a Polícia Marítima também não tem mais nada que fazer. As praias estão uma balbúrdia com cães à solta, assaltos e automóveis estacionados nas dunas mas eles preocupam-se é com isto: http://terrademaresol.blogspot.pt/2014/06/de-novo-bandeira-nacional.html


  7. Um grande artista, o porco:
    http://flickrhivemind.net/Tags/menau/Interesting

    A bandeira nem é dele.


  8. Já tu dás o cu e tens subido bem com isso.

    “:OP
    Cada caralho à solta que mete nojo.

    E são profs. Dão um lindo retrato da corporação.


    • Ó Filipa, desculpa, Zazie, e vamos agora meditar no que tu tens dado? fazer um balanço? questionar as dificuldades que atravessa o SNS psiquiátrico quando te deixa sem tratamento?

    • José Peralta says:

      Ó zazie, porque não voltas lá para os catrafundalhos da esterqueira do vitor cunha ?

      E para teres a benção protectora de tão infame gajo, diz lá à gente :

      O que é que lhe “dás”…filipa !!!!

      E se queres falar de “coisas à solta”, que metem nojo, porque não falas da tua cloaca…ó porca ?


  9. Olha aqui ó conas retardado mental .costumas chamar “cobardes anónimos” a todas as pessoas que passam na rua ou estão à conversa no café?

    É assim que fazes nas apresentações? dizes: ó cobarde anónimo, o meu nome é Jão Mendes e dou a cara e o que for preciso por este nome”.

    Alguém nos apresentou? que eu saiba, não e nem estou interessada em conhecer um mentecapto com um nome igual a milhares de pessoas.

    • és vaca says:

      Se alguém passasse na rua e me dissesse cara a cara que sou um conas atrasado mental e que dou o cu, ia-lhe ao focinho, ou ia-lhe ao cu ali mesmo. Fazes bem em esconder-te, ó bosta virtual.


    • Não clone, costumo chamar clone a quem é efectivamente um clone. Eu tenho nome e não escondo a minha identidade para fazer o serviço sujo de terceiros.

      Mas se o clone não está interessado em conhecer-me, algo que muito me entristece, então porque raio veio para aqui espingardar? Acaso lhe fui bater à porta? Afinal quem é o retardado (e incoerente) mental?

      “Já tu dás o cu e tens subido bem com isso.” – quer desenvolver? Ou foi só mais uma demonstração do seu nível rasca, típico de quem não tem argumentos?

      Finalmmente, dizer-lhe o seguinte: só porque alguns dos meus colegas do blog são professores, será que isso faz de todos nós professores? Os seus patrões também são todos avençados da RTP ou de um qualquer instituto público? Eu não sou nem professor, nem sanguessuga moralista estatal e muito menos parasita blogosférico. Só que o grau de limitação do clone Zazie é tal que se é incapaz de fugir à generalização. Tanta convivência com a elite intelectual e são esses os seus argumentos? Ou esqueceu-se de tomar os comprimidos? Fiquei desiludido, esperava mais elevação. Pobre idiota…


  10. Com o espectaculozinho público que aqui dás, devias era dar aulas com uma saca de batatas enfiada pela cornadura abaixo.

    • Nascimento says:

      Um rapazinho como tu, lavadinho, todo nu,….hum,não sei não…ai Zazie….ai “jão mendes”?!!A sério? “Jão”???Ui….

      • Nascimento says:

        Zazinha,filha,olha,não te enerves.Vá lá, mete o dedinho no teu…. e escreve a silaba que falta…ahahhah…e já agora ,cada vez que apareceres por estes lados,levas sempre com que contar.Ou pensas. que isto é o blasfémias?Vai vender sabão para a tua aurora dourada,meu escarro.


      • que visão do inferno Nascimento. mas convenhamos que ela não pode andar com coisas no cu. Deus nosso senhor pode castigá-la 😀

  11. Rui Moringa says:

    Não concordo que se use a Bandeira Portuguesa, ou outro símbolo nacional para “incursões artísticas”. A Bandeira somos TODOS NÓS.Haverá muitas formas de mostrar desagrado, indignação, desobediência civil.
    Acho curioso que o Sr. Professor das “Artes” da Universidade não alertasse o aluno para a imprudência de tal manifestação artistica.
    Claro, acho exagerado este assunto chegar a tribunal. Uma “chamada de atenção” das autoridades-GNR, deveria chegar para sensibilizar para o facto dos símbolos nacionais terem de ser respeitados.


    • mas o Rui acha que foi intuito do artista “profanar” a bandeira? entende que exista ali desrespeito?

      • Rui Moringa says:

        João Mendes,
        Sinceramente acho que não foi intenção profanar.
        E, nesta linha, não acho desrespeitoso o acto.
        Por isso, acho que uma atitude pedagógica das autoridades, se assim posso classificar o que quero dizer, teria sido mais sensato do que levar a tribunal.
        O “excesso de zelo” leva ao rídiculo.
        Creio que o Professor, poderia, sem qualquer juízo precipitado, antever que a situação do uso do símbolo nacional poderia dar origem a este tipo de situação.


        • Concordo. Ainda por cima num país onde os tribunais estão cheios de trabalho e incapazes de dar resposta rápida e consistente.

          Quanto ao professor, ora bem, é um ser humano como qualquer outro e se calhar nem equacionou a possibilidade….

    • José Peralta says:

      Rui Moringa

      “Os símbolos nacionais terem de ser respeitados”.

      E o que você acha , por exemplo, da bandeira inglesa impressa em t-shirts, chapéus e nos mais variados objectos ?

      E o Hino brasileiro, tocado por uma roda de choro ou um grupo de sambistas ?

      Eu acho que é uma manifestação popular de exacerbado e saudável patriotismo.

      Quando os nossos “símbolos nacionais”, como por exemplo a Constituição da República, é ultrajada constantemente por um grupo de pulhas sóciopatas degenerados, aí é que eu acho que é uma das afrontas mais revoltantes !

  12. Rui Moringa says:

    “No país onde o Presidente da República hasteou alegremente a bandeira de pernas para o ar.”
    Mereceu a reprovação generalizada.
    Esse acto é também um (MAU) sinal dos comportamentos e dos tempos políticos que vivemos, sem dúvida.

  13. Fabio Neves says:

    E esta a democracia na Europa? Ha pessoas a queimar as nossas bandeiras e ninguém diz nada…. Vergonha aos invejosos que se lembraram de prejudicar este rapaz…..
    Deixem de descarregar a frustraçao na pessoas que nada de mal fazem enquanto andam por ai bandidos à solta a roubar o povo.


  14. ahaahha

    A escardalhada é toda igual. Estúpidos todos os dias e ordinários e machistas mal estala o verniz.

    Mas são estes caralhos que passam a vida com o “dia da mulher” na boca e mailo combate ao machismo.

    Puta que os pariu. A vantagem é que não tropeço com bestas destas ao vivo. Basta mandar-lhes umas caralhadas virtuais para eles espernearem e cagarem o blogue todo


    • Zazie, você é uma anedota. Por favor continue, afinal tenho muito gosto em tê-la cá. Já pensou num dueto com o Fernando Rocha? Ele teria alguma dificuldade em aturá-la mas olhe que o registo está lá.

      • José Peralta says:

        Ela, a porca cobarde, já “faz duetos” ao cunha do blasfémias…

        Estão ambos apostados em ver quem mais caga lá no blogue !

        Até agora…estão empatados !!!!!

        Vá lá zaziezinha ! Movimenta mais o peristaltismo do esfincter, para ganhares a aposta ao cunha !

        Foooooorça, zazie !!!!!


  15. ò palerma, se não fosses histérico, tinhas percebido que a única coisa que eu fiz foi mostrar que o tipo a que chamaram artista não passa de um porcalhão-suja-paredes.

    Mais nada. nem me pronunciei acerca da treta da bandeira porque essa bandeira também é outra porcaria jacobina imposta depois de retirarem a da nossa nacionalidade.

    E isto apenas serve para os jacobinos entenderem que a imbecilidade do “laicismo” e dos mitos da “cidadania” também está cheia de santinhos e adorações a trapos.


    • Ei-la, em todo o seu esplendor: um portento. Sem uma miguelista a blogocoisa seria o mesmo? de forma alguma, a mulher (cof. cof) que inventou os blogs antes de serem blogs é indispensável.


    • oh idiota, se não fosses uma idiota formatada, saberias que o Menau para além de ter montado o seu próprio negócio, estudar (com notas de exceléncia) é PAGO para pintar paredes porque está entre os melhores. Se calhar, quando era mais novo, até pode ter feito uns sarrabiscos aqui e acolá mas dai até estereotipar uma realidade que não se conhece (ou na Idade Média já havia grafitti???) demonstra bem o seu grau de idiota.

      O resto é blá blá blá wiskas saquetas. Mas isso é para o gato. Para ratos compre 605 Forte e faça um bolo para comer enquanto vê a novela das 22h.

      P.S. Histérico? Foda-se, você para além de idiota deve ser sofrer de graves perturbações mentais. Releia lá os seus e os meus comentários e pense lá outra vez quem sofrerá de histeria…


      • Olha, se é pago para cagar paredes, então, quem devia ir de cana eram os caralhos que promovem essa merda.

        Isso é vandalismo do mais rasca que só gente imbecil e aluada pode defender.

        Ainda no outro dia disse isso a um artista que também achava que o grande Basquiat tinha sido o precursor da merda das “tags” por tudo quanto é sítio.

        Lá lhe mostrei que o Basquiat usava spray e acrílico e esses desenhos espantosos foram feitos em tela.

        Porque os riscos que fazia na parede antes de ir para a tv ou fazer música com o Vincent Gallo, foram tretas menor em locais completamente degradados de Manthan.

        A merda dos graffiti é crime e devia haver prioridade em a combater, como existe em Inglaterra.

        Se esse é pago para cagar paredes, então estamos entendidos quanto ao “ensino” artístico algarvio (há-de ser coisa para inglês ver).


        • Could you be more stupid?

          Oh primitiva, já ouviste falar no Banksy por exemplo? Vai lá ver onde é que ele está a expôr actualmente e talvez percebas a diferença entre os putos que te cagaram a parede e um artista de street art. Ou talvez sejas muito limitada para o perceber casmurra!

          (e estou eu a perder tempo com este paralelo fêmea num raro dia de férias, enfim…)

        • EdBielas says:

          Claro que a prioridade deve ser o combate aos grafitis ,deixem lá os bancarios em paz .

    • José Peralta says:

      Esta gaja, a zazie, não para de ter volvos em catadupa !

      Agora, a porca, engole o último volvo, e desdiz tudo o que vomitou, afirmando, afinal, que a “bandeira é uma porcaria jacobina” !

      A maluca, “rebela-se” primeiro contra “os ultrajes à bandeira”, ultrajando-a ela própria de seguida…

      O teu cérebro, zaziezinha, precisa de urgente trepanação….

      Só para abrir um canal de purga, ligado à sarjeta mais próxima !!!!


  16. Já cá tinha vindo há uns anos, mas fui logo censurada.

    De resto, os vossos argumentos também são bacocos porque a lei é nacional, nada tem a ver com este ou outro governo.

    E o tipo nem é português. Se fosse na terra dele, na volta até apedrejava o desgraçado.


  17. E não tentes ensianar-me a tradição dos riscos e marcas nas paredes porque nem é medieval- já no Egipto se fazia (até o Basquiat sabia isso e nem era “doutor” como tu).

    Simplesmente, riscos nas margens são isso mesmo- coisa menor nas margens. O que sucede agora é que margens passaram a ser os prédios, os muros, os edifícios históricos, as igrejas, porque a merda dos riscos se tornou dominante.

    Aliás, isso é até uma boa metáfora do que aconteceu à “contra-cultura”. Deixou de haver underground por 2 motivos:

    1- Porque o politicamente correcto não permite.
    2- Porque tudo aspira a ser mainstream e vir nos jornais.

    São os 15 minutos de fama, como dizia o outro, e que este cagoto mija-paredes também já teve.


  18. Quanto à cena da bandeira, acho perfeitamente inofensiva.

    Como disse, essa bandeira também foi imposta depois de retirarem a original e é apenas um trapo usado como símbolo.

    Quem tem pavor a respeito a símbolos são os jacobinos, portanto, embrulhem que este é mais sagrado que o Papa.


    • “trapo usado como símbolo”

      que grande ultraje à bandeira oh parede!!

      “Estou sim? É da PJ? olhe, faça o favor de intimar a Zazie que ela está a ultrajar a bandeira!”

  19. fantunes says:

    o rapaz se fosse amigo do cavaco ainda se safava ,com algum tacho no governo ,assim coitado vais de cana .


  20. Mais curioso é estes profs nem saberem que o Dia da Bandeira foi criado pelos republicanos e até era feriado- o 1º de Outubro.

    E ainda mais interessante é garantirem que há uma escola no Algarve que paga a artistas para pintarem paredes e muros públicos.

    Maravilha- foi preciso a esquerda republicana e laica para ilustrar a inexistência de “coisa pública” ou bem comum, porque tudo é privado, ao sabor do capricho de cada um, como juram os neotontos.


    • Não sabem? Mas alguém puxou esse assunto? Curiosa é uma parede medieval como a Zazie que vê profs em todo o lado e que critica coisas que ninguém disse.

      Quem é que garantiu que existe “há uma escola no Algarve que paga a artistas para pintarem paredes e muros públicos”? foi o seu cerebrozinho perturbado que a fez ler o que não está escrito em lado nenhum? O médico não lhe deu uns comprimidos para essa merda? Ou já não tem cura?

      Que pessoa avariada… já não sei se me rio ou se tenho pena de si!


  21. Não era a 1 mas a 15 de Outubro e no Brasil ainda há esse feriado santo.

  22. eizaz says:

    zazie, que boca tão porca que tu tens.
    por favor continua: sempre tive um fraquinho pelas mais badalhocas..

  23. Pedro says:

    Artolas, no caso do PM, foi um erro..essa e a diferenca….

Trackbacks


  1. […] 5 anos de existência, o Aventar tem a honra de ter a Zazie entre os seus comentadores. Custou, mas […]


  2. […] Élsio Menau foi absolvido. Que bem empregues que estes recursos públicos foram. Haja […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.