Visto de fora

O “resgate” errado, que apenas
salvou os investidores estrangeiros,
principalmente alemães, de
perderem nos maus investimentos
que fizeram, mina a confiança nas
instituições democráticas dos países
afectados. Os Governos e os
Parlamentos desses países parecem
ser apenas marionetas nas mãos de
desconhecidos, e não eleitos,
burocratas estrangeiros. E, ou, de
investidores.

o verdadeiro objectivo dos
“planos de resgate” foi salvar os
bancos – alemães, franceses,
ingleses – e os seus clientes ricos
que fizeram investimentos
estúpidos em bancos
sobredimensionados, alimentados
pelas bolhas imobiliárias, na
Irlanda, na Espanha e em Portugal.
Por esta razão, as dívidas dos
bancos a credores privados foi
reciclada em dívida dos Estados a
credores oficiais. Em vez dos
investidores, quem assumiu o risco
foram os contribuintes de todos os
Estados da Europa [P]

Comments

  1. joao lopes says:

    ja li essa entrevista,e nao sei porquê,nao me sinto surpreendido,pelo que diz harald schumann.quando o dr.passos diz:emigrem,nao ha dinheiro,nao ha alternativa a austeridade e mais umas quantas parvoices,sente-se que ele nao esta a servir portugal,mas sim os tais “mercados”.mas pior do que isso,é o facto de quem quer que discorde do pensamento “unico” do governo psd/cds/troika ,seja logo apelidado de “perigoso comuna” e outras que tais.a actual ditadura é talvez ainda pior que a do dr.salazar( que era um assalariado da familia espirito santo)


  2. Nós, o povo português, somos completamente “instrumentalizados” por quem detém o PODER político!…quais “presas”, sarcástica e ignorantemente combalidas a um deplorável ESTADO da Nação!!!
    Estamos no “joguinho” do “quem é que começou”? E…vamos divagando em suposições. Bolas!…Só queremos a verdade!
    E, sabe Deus o que ainda está para vir!…Ah pois é!…Esta “fotonovela” do GES que ainda agora começou, e cujo enredo ainda não se conseguiu perceber de todo, induz-nos a suspeitar que estamos à entrada, ou quiçá (?) já entrámos noutro “buraco negro” do género do caso BPN! (???)
    Começem mas é a “lavar a roupa suja”!…mas na praça pública!

Trackbacks


  1. […] e da Europa. Na Grécia privatizam-se praias, edifícios, tudo o que possa render uns tostões que paguem o dízimo à banca. Antecâmara da nossa realidade, lá chegaremos em breve. Pelo caminho, suspira-se para a […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.