O jornalista alemão Harald Schumann

veio a Portugal filmar a nossa miséria pós-troika e entrevistar pessoas para o seu novo documentário. O governo não aceitou falar com ele. Em Outubro passado o Aventar legendou o seu «Quando a Europa salva os bancos quem é que paga?».

harald_schumann

Olhó título!

Portugal deve ser o único país europeu onde predomina o culto de se tratar a outra pessoa pelo alegado título académico.

Sim, digo alegado porque há muitos que sabe Deus… ou nem Ele.

Um dia, espero ser tratado por Senhor Teixeira com mais respeito do que tantas vezes sou por Senhor Doutor.

Boa, Torre de Moncorvo!

Ganhando milhões, queimando outros tantos

Burn

Pelo que li no artigo de ontem do Pedro Santos Guerreiro no Expresso, o “investimento” da PT na Whatever Espírito Santo (ou Espírito Santo Whatever, depende dos dias) não está a correr lá muito bem. Para além das perspectivas pessimistas dos gurus do mundo financeiro, e da expectativa de que o prazo para o reembolso do investimento não seja cumprido, existe a possibilidade de que as perdas provocadas pelo investimento possam comprometer os objectivos da empresa no processo de fusão com a Oi. Oi?

Após avaliação decorrente do processo de fusão com a Oi, os activos da PT foram estimados em qualquer coisa como 1900 milhões de euros, o que corresponderia a uma participação da PT na nova empresa de cerca de 37%. Ora como sabemos, a PT queimou recentemente cerca de 900 milhões de euros em “papel” – qual papel? – de uma Espírito Santo Whatever qualquer, quase metade do valor da avaliação. Por causa deste tiro voluntário nos dois pés, os tais 37% podem cair para algo entre 20% e 30%. Queima dinheiro, compromete a sua posição num negócio fundamental para as ambições da empresa e ainda vê as suas acções caírem perto de 20% em bolsa, uma das mais acentuadas quedas da história da PT.

Perante tudo isto, alguém por favor me explique isto porque eu aparentemente sou ignorante demais para perceber: quem são os idiotas que remuneram principescamente este tipo de incompetentes? É isto a gestão de topo em Portugal?

Desde já o meu muito obrigado.

P.S. O camarada Maduro envia cumprimentos.

Visto de fora

O “resgate” errado, que apenas
salvou os investidores estrangeiros,
principalmente alemães, de
perderem nos maus investimentos
que fizeram, mina a confiança nas
instituições democráticas dos países
afectados. Os Governos e os
Parlamentos desses países parecem
ser apenas marionetas nas mãos de
desconhecidos, e não eleitos,
burocratas estrangeiros. E, ou, de
investidores.

o verdadeiro objectivo dos
“planos de resgate” foi salvar os
bancos – alemães, franceses,
ingleses – e os seus clientes ricos
que fizeram investimentos
estúpidos em bancos
sobredimensionados, alimentados
pelas bolhas imobiliárias, na
Irlanda, na Espanha e em Portugal.
Por esta razão, as dívidas dos
bancos a credores privados foi
reciclada em dívida dos Estados a
credores oficiais. Em vez dos
investidores, quem assumiu o risco
foram os contribuintes de todos os
Estados da Europa [P]

%d bloggers like this: