E agora sr. Primeiro-Ministro? – II

-Já não existem dúvidas que v. exa recebeu o subsídio de reintegração por ter desempenhado funções de deputado na A.R. entre 1995 e 1999. A única pergunta que Portugal quer ver respondida é, auferiu ou não vencimentos ao serviço da Tecnoforma ou qualquer outra empresa durante o período? Admito que durante os primeiros dias, apanhado de surpresa até possa não se ter lembrado das datas exactas, mas não lhe será seguramente difícil passados alguns dias após breve consulta às suas contas bancárias ou recibos de vencimento, responder de forma cabal e dissipar qualquer dúvida. Permitir que paire no ar uma nebulosa onde se vai resguardando à espera que o episódio fique esquecido é um péssimo serviço ao país, ao seu partido e um desrespeito a todos, incluindo vários militantes do partido a que v. exa preside, alguns até exercem hoje funções como deputados ou assessores, que em legislaturas anteriores exigiram transparência e explicações ao seu antecessor, que era useiro e vezeiro neste tipo de manobras evazivas ao estilo do pior chico-espertismo nacional. De si não espero menos que um discurso à nação refutando todas as suspeitas que neste momento existam, ou em alternativa, caso não o possa fazer, que se inspire neste vídeo. Não custa nada. É a vida. Ao líder do partido seu parceiro de coligação, lembro que sempre clamou por transparência política e certamente estará atento aos factos, pelo que não deixará caso seja coerente de retirar consequências políticas da explicação ou falta dela que o senhor Primeiro-Ministra irá dar ao país.

Comments

  1. Américo Montez says:

    Agora ???
    Obviamente, demita-se.

  2. Orvalho says:

    Julgar um governante apenas por isso, por uma notícia longa e permanentemente manipulada, é, a exemplo do já aconteceu com governantes anteriores, uma forma refinada de branqueamento.
    Casos piores que este pululam por aí. Uns piores do que outros. Alguns abafados ou à espera da primeira oportunidade para render juros políticos. Por um acaso, lembrei-me deste:
    http://www.publico.pt/local-porto/jornal/os-segredos-do-colegio-moderno-142848
    Quanto à notícia propriamente dita, considerando até que ela seja uma novidade, então não é muito mais importante averiguar o porquê da existência de empresas dessas do que a “exclusividade” não respeitada? Falem-me da exclusividade do Frasquilho, sff !!

    • Nightwish says:

      Quem tanto fala de sair da zona de conforto e de profissionais da pobreza só tem que agir em conformidade.

    • José Peralta says:

      “Julgar um governante apenas por isso” ? Acha pouco ?

      É que, “por acaso”, o (des)governante, é “apenas” o primeiro- ministro…

      E as suas (dele) mentiras, são recorrentes e ao nível do compulsivo e patológico, do paranóico, e vêm de há três longos e hecatômbicos anos, a começar pelas promessas pré- eleitorais !

      A sua (dele) emblemática é esta :

      Ele “não se lembra” dos 150.000 €, “não se lembra” da Tecnoforma, “não se lembra” das cumplicidades duvidosas com o relvas, na boémia juvenil no Bairro Alto ( e quem sabe se não foi para lhe pagar o “silêncio”, que ele teve o supino descaramento de o “reabilitar” no partido, depois da estrondosa derrocada…perante a complacência do “rebanho”…e, no PSD, que só se ofenda quem ao “rebanho” pertencer !).

      Ele “não se lembra” da escabrosa colecção de mentirosas promessas pré-eleitorais, compiladas num vídeo que se tornou viral, da autoria, honra lhe seja feita, de um dos autores do Aventar.

      https://www.youtube.com/watch?v=gNu5BBAdQec

      E como “não se lembra”, é vê-lo, agora, ufano, ridículamente ufano, como fantoche invertebrado que é, e portanto, isento de estatura moral, cívica e política (qualidades que são exigíveis a um POLÍTICO, mas não a um fantoche…), ridículamente “ministro iraquiano da propaganda”, risonho como as hienas, dizendo que as “suas políticas” mais troikistas que a troika, os mastodônticos fracassos na Saúde, na Educação, na Justiça, nas Finanças, na Economia, na Segurança Social, no Emprego, etc.,foram a “salvação” da bancarrota herdada dos “outros”, dos maus da fita, e que o País, vive agora em risonha e perene Primavera, mercê da caterva de “ministros, ministrozinhos, secretários, secretáriozinhos, assessores, assessorzinhos, enfim a imensa legião de boys e boyzinhos”, que infestam um sinistro (des)governo, no qual, o difícil não é tentarmos “descobrir” o elemento menos bom… mas o menos mau !

      E agora, Orvalho, ainda acha que há casos piores que este ?

    • coelhopereira says:

      Compreendemos agora os pretéritos sermões do Sr. Primeiro Ministro: ele sabe muitíssimo bem o que é uma “zona de conforto” – ele já se aconchegou longa e bastamente no úbere e maternal colo dessa boa… zona.
      Processo criminal? Demissão? Um humilíssimo “mea culpa”? Naaaaa… Eu proponho para o Sr. Passos Coelho um prémio: o Prémio Jovem Empreendedorista Gazúa do Ano. Afinal de contas, o jovem executivo da TecNoforma era o Houdini das fechaduras: não havia porta que não conseguisse abrir. E há que reconhecer os méritos de quem sempre honradamente viveu do seu árduo trabalho…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.