Um conto de crianças versão hardcore

Este é José Carlos Saldanha, um doente de Hepatite C que poderá em breve morrer porque o governo entende que a vida dele e de outros na sua situação não vale o elevado valor que a farmacêutica Gilead exige pela venda do medicamento. A menos que, como notou o Fernando Moreira de Sá, se trate de um caso de pura incompetência, e a notícia que dá conta da intenção da Gilead em oferecer 100 unidades do medicamento gratuitamente para doentes de risco, algo que aparentemente não aconteceu porque a farmacêutica não recebeu qualquer encomenda, seja verdade.

Espero que tenham gostado de mais um episódio da apaixonante conto de crianças “A vida quotidiana das pessoas não está melhor, mas não tenho dúvidas que a vida do país está muito melhor do que em 2011”. Depois do sucesso do episódio rodado em vários serviços de urgências de hospitais públicos portugueses, o governo que “salvou o SNS” continua igual a si próprio. Inútil e incompetente. O escarro metafórico do António Fernando Nabais. Ou será que é o monte de merda? Descubram mais nos próximos episódios.

Comments

  1. AntónioF says:

    Todos os contos hardcore não são para crianças e, sabendo isso, o deputado do PSD nesta comissão, propôs, pensando nas crianças – obviamente -, que o resto da audição fosse à porta fechada!


  2. Reblogged this on O Retiro do Sossego.

Trackbacks


  1. […] o homem apontar-lhe o dedo e dizer que o ia encontrar. O medicamento já está a caminho. Shame, shame, everybody knows your […]


  2. […] a verdade é que casos recentes colocaram a sua gestão debaixo de fogo. Mortes nas urgências, o triste episódio da escassez de medicamentos para tratar a Hepatite C, episódio esse que nos permitiu perceber que […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.