Custou mas foi

Há anos que designo os neoliberais que tomaram conta do PSD/CDS como extrema-direita. Tenho levado como reacção que é um exagero, onde meto o (inexistente) PNR, etc, etc.

Há anos que coloco o PS na direita, vá lá, centro-direita, como o social-liberalismo à moda de Blair que representa. Insulto, queixam-se uns, é de centro-esquerda, és um exagerado, levei como resposta.

Até que um dia os insuspeitos Abrantes falam de erro de paralaxe: “O que já vinha a acontecer na década anterior, e se aprofundou nestes últimos quatro anos, foi uma transformação do PSD num partido da direita radical, abdicando até de se reclamar da «social-democracia».” E segue-se que, depois de lido o documento macro-neoliberal do PS (austeridade com vaselina, submissão ao euro e à ortodoxia europeia), a extrema-direita lá chega, basta ler o Pedro Romano:

Francisco Louçã tem um excelente texto no Público, que toca mais ou menos nos mesmos pontos, embora de forma detalhada. Lido do princípio ao fim, penso que só divergimos na forma como encaramos a essência do programa do PS: Louçã com repulsa, eu com alívio.

O texto de Louçã realmente desmonta como o PS se prepara para mais do mesmo, pasokismo que o há-de partir ao meio; deixemos o governo grego sair do euro e demonstrar como algum tempo de sacrifício prova  haver alternativa, e valer a pena. A dívida é impagável, o euro é uma moeda alemã, o resto é conversa de treta.

Finalmente, obrigado António Costa, por outras razões, é certo, também fiquei  aliviado.

Comments


  1. vaselina pacu, não .. OBRIGADO!

  2. Senhor Pires says:

    Só não estou molhadinho porque sou homem. Isto sim, uma intervenção com argúcia e exuberância, um domínio claro do português, e uma transcendência na economia. Se Manuel Vieira pode, João José Cardoso também! JJC a Presidente para acabar com estes fascistas neoliberais! JJC! JJC!


    • Um comentário tão profundo como a tua tripa. Vieste ao ósculo?

      • Senhor Pires says:

        Senhor João José Cardoso, vindo de um senhor que apostou na prosa despicienda como modo de vida virtual, e que faz do vocábulo “neoliberal” torpe centelha no seu foguetório indigente, eu se fosse a si estaria era calado, ou a recordar os grandes feitos desse grande homem que foi Estaline. Ainda assim, JJC a presidente!

      • maria celeste ramos says:

        Tripa só ?? E O CHEIRO da dita ?’ Chegou aqui

    • joão lopes says:

      se o Manuel João Vieira fosse presidente a sua primeira medida era mandar alcatroar Portugal,mas como os sucessivos governos psd/cds/ps foram/são mesmo idiotas,então não é que alcatroaram realmente Portugal? agora a malta que pague a divida…obrigado Manuel,tu bem tentas mas ninguem te dá ouvidos

    • Nascimento says:

      Homem?Ui….e isso quer dizer o quê?Escarro.

  3. Calvin says:

    “demonstrar como algum tempo de sacrifício prova haver alternativa, e valer a pena”. Que frase linda!! bem podia ser retirada de um qualquer discurso do Passos Coelho. escreves rápido demais para o teu raciocínio.

  4. Fernanda says:

    E agora até temos um António Barreto a afirmar, com aquele ar intelectual blasé, que a constituição deve ser alterada porque cada geração deveria rever-se nela.

    E prontes.

    • maria celeste ramos says:

      Este gajo BARRETEIRO sempre foi um grande Barrete – como os sociólogos em geral – Idênticos aos advogados que sabem tudo e por isso na AR não há nem um lugarzinho para outra matéria nem sequer na senhora que lá do “alto” os manda calar – a mulher está muito masculinizada ??

Trackbacks


  1. […] do post  “Custou mas foi” e dos últimos acontecimentos, decidi uma conceber uma imagem que ilustre o espectro […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.