Para onde foi o dinheiro emprestado à Grécia?

Lê-se no The Guardian que menos de 10% foi usado para reformar a economia e apoio social.

Less than 10% of the money was used by the government for reforming its economy and safeguarding weaker members of society

Only a small fraction of the €240bn (£170bn) total bailout money Greecereceived in 2010 and 2012 found its way into the government’s coffers to soften the blow of the 2008 financial crash and fund reform programmes. Most of the money went to the banks that lent Greece funds before the crash.
(…)
This [o perdão da divida grega] eliminated about €100bn of debt, but €34bn was used to pay for various “sweeteners” to get the the deal accepted. That €34bn was added to the Greek debt. Greek pension funds, which were major private lenders, also suffered terrible losses.

Then €48.2bn was used to bail out Greek banks which had been forced to take losses, weakening their ability to protect themselves and depositors. Lastly, €140bn has been spent on paying the original debts and interest.

Less than 10% of the bailout money was left to be used by the government for reforming its economy and safeguarding weaker members of society.

Greek government debt is still about €320bn, 78% of it owed to the troika. As the Jubilee Debt Campaign says: “The bailouts have been for the European financial sector, while passing the debt from being owed to the private sector to the public sector”.

Resposta: banca. Como se pode ler acima, os resgates foram para o sector privado europeu, transferindo-se divida detida pelo sector privado para o sector público.

Confrontar isto com a treta que a direita vai dizendo sobre o assunto.

Comments

  1. Rui Silva says:

    Caro J.Manuel Cordeiro,
    Acredito que seja algo do género que diz. É sabido o desgoverno crónico da Grécia, já nada me admira lá para aqueles lados.
    Só queria que não tivéssemos de cortar mais na educação, saúde , cultura ou aumenter impostos para subsidiar este estado de coisas.
    Eles não se sabem governar ( são piores que nós).
    Mas a coisa continua.Tanta esperança neste atual governo grego e veja no que deu.:
    Tanto se está a negociar sem proposta concreta nenhuma, como se abandona a negociação, para depois anunciar um referendo para depois do prazo do assunto referendado. E no dia seguinte… faz-se um pedido de resgate, e pretende-se continuar a negociar. Quem tinha razão era a Lagarde , cresçam e apareçam. Que confusão.

    cumps

    Rui SIlva

    • j. manuel cordeiro says:

      Pode haver muito desgoverno lá, não sei e o que se ouve dizer não é bem a mesma coisa do que realmente se passe. Agora que o dinheiro foi para a banca, foi.
      Cá passou-se o mesmo. O resgate foi um instrumento de passagem dos créditos detidos pelos bancos alemães e franceses para o estado. Foi para isto que serviu a austeridade, nada mais.

    • Nightwish says:

      O Syriza já teve várias propostas, tal como a troika.

  2. Rui Silva says:

    Logo a posição dos 18 está correta cqd.

    cump

    Rui Silva

  3. j. manuel cordeiro says:

    Só para recordar:

    Ajudas a Portugal e Grécia foram resgates aos bancos alemães
    É incorrecta a narrativa que os alemães contaram a si próprios de que a crise do euro teve a ver com o Sul a querer levar o dinheiro deles, diz ex-conselheiro de Durão Barroso.

    http://www.publico.pt/economia/noticia/ajudas-a-portugal-e-grecia-foram-resgates-aos-bancos-alemaes-1635405


  4. Os gregos devem governar-se em independencia (possivel). Nos 5 meses do governo corajoso de SAtenas já conseguiram por os pensionistas a levantarem 120€ por semana e arruinaram o sistema bancario. Ma sclaro que não e resultado da excelente governação deles.. advinhem…bingo é da Merkl!!!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.