Os Euros e a austeridade assinalados

Manuel Ferrão

Os Euros e a austeridade assinalados,
Que da ocidental dívida Lusitana,
Por mares de défices nunca de antes navegados,
Passaram além de Viana,
Em desempregos e precariedades esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente próxima edificaram
Nova Pobreza que tanto sublimaram;
E também as memórias chorosas
Daqueles governantes que foram dilatanto
As privatizações, as taxas [n]as terras viciosas
De Grécia e Portugal andaram devastando;
E aqueles que por vendas desastrosas
Se vão da lei da morte libertando;
Cantando espalharei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.
Cessem do sábio Grego e Americano
Os livros grandes que fizeram;
Cale-se do Nortenho e do Alentejano
As famas das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Troikiano,
A quem Coelho e Portas obedeceram.
Cesse tudo o que a sabedoria antiga canta,
Que outra austeridade mais alta se alevanta”

Efectivamente: mais do mesmo

Hoje de manhã, fiquei a saber que o Parlamento iria fazer “maratona antes das férias” e que, nessa maratona, seriam votados quer o “Projeto de Resolução n.º 1021/XII/3.ª (PCP) – Sobre o sector da Assistência em Escala (Handling) no transporte aéreo”, quer o “Texto Final apresentado pela Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública relativo à Proposta de Lei n.º 326/XII/4.ª (GOV)” que aprova, por exemplo, “os regimes processuais aplicáveis aos crimes especiais do sector segurador”, quer ainda o “Projeto de Resolução n.º 1522/XII/4.ª (PS) – Recomenda ao Governo um conjunto de melhorias que promovam uma maior equidade e eficiência no acesso aos fundos comunitários pelo setor agro-rural”.

Isto é, ‘sector’, ‘sector’ e ‘setor’. Ou seja, sector e setor. Portanto, é mesmo facultativo. No fim de contas, é tudo à vontade do freguês.

O jornalista da Lusa refere-se a “mais do mesmo”, relativamente aos trabalhos desta tarde, na Assembleia da República. Foi exactamente isso que pensei, ao ler o Diário da República de ontem. Efectivamente, mais do mesmo.

Houve fato?

Sim, houve fato.

fato dre2172015

E fatos? Houve fatos? [Read more…]

Aguarde-se pela azia da direita

Varoufakis passa a escrever no DN.

Dito de outra forma

Paulo Portas garante que função pública vai continuar sem receber a totalidade do salário.

Taylor Swift ouviu as reclamações

taylor swift

Imagens dos fotojornalistas já não podem ser apagadas pelo seu staff. Foto: Kristina Bumphrey

Taxa de desemprego em JUN 2011 foi 12.1%

desemprego 2011

A imagem supra mostra duas coisas. À esquerda pode-se ler o tweet do Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, onde este reclama com o Wall Street Journal quanto aos números do desemprego. À direita está a nudez dos factos, copiados directamente das estatísticas oficiais publicadas pelo INE.

Em primeiro lugar, há a questão do Sec. Estado estar objectivamente a mijar fora do penico, já que, como se constata, a sequência de tweets nada ter a ver com assuntos europeus. Mais um caso em que a boiada usa o assento no estado para promover propaganda partidária.

[Read more…]