Excepção à mediocridade…

AM

A tragédia humanitária que assola a U.E. por via do fluxo migratório descontrolado, importa pouco neste momento discutir causas, estatuto de refugiado ou imigração ilegal, tráfico de seres humanos ou qualquer outro factor, veio revelar uma vez mais que não existe qualquer sentimento ou noção de identidade europeia e por consequência política comum. De novo se erguem desconfianças, receios, rivalidades e até ódios enquanto se colocam obstáculos ou constroem barreiras, alicerçados na mesquinhez e falta de escrúpulos de politiqueiros que apenas servem para consumo interno dos diversos países que compõem a (des)união. Goste-se ou não, com maior ou menor concordância quanto às suas ideias políticas, por mais que custe a muito boa gente, a excepção é mesmo Angela Merkel, única chefe de Estado ou governo a merecer a designação de estadista, tudo o resto é mediocridade sem escrúpulos ou qualquer réstea de dignidade humana…

Comments

  1. Carvalho says:

    Totalmente de acordo.
    O que vem provar que, hoje em dia, mais do que esquerdas ou direitas, tem de se olhar para as pessoas.
    Há pessoas e há coisas que nem de rato merecem ser chamados, como os que nos desgovernam.

  2. Alfredo Castanheira says:

    A “estadista” que demorou semanas a tomar posição, à espreita das sondagens como sempre fez, e durante esse tempo deixou que fizessem mais de uma dúzia de ataques de fogo-posto a centros de acolhimento na Alemanha sem esboçar a mínima reacção…

    Mais fizeram os Sérvios, que se mobilizaram aos milhares para ajudar, e não se vieram gabar disso.


    • A Sérvia sabe o que são refugiados, a memória da tragédia dos Balcãs ainda é forte naquelas paragens…

      • Alfredo Castanheira says:

        Mas o António Almeida preferiu escrever um elogio a uma líder que hesitou semanas a fazer uma declaração pública sobre o tema, durante as quais houve mais de uma dúzia de ataques de fogo-posto a centros de refugiados na Alemanha, enquanto esperava para ver para que lado pendia a opinião pública (tal como sempre fez até aqui em muitos outros temas).

        Podia ter feito um elogio ao povo Sérvio, ou aos alemães e austríacos que também se mobilizaram para ajudar os refugiados, mas preferiu elogiar a pessoa que mais demorou a dizer qualquer coisa sobre o assunto.

        É membro da CDU, ou só fã da Frau Merkel?
        Isto não são clubes de futebol, sabia?


        • Nem concordo com Angela Merkel em materia de economia, para mim democracia-cristã é uma variante de socialismo. No entanto disponibilidade de acolher 800 mil refugiados são um cartão de visita que por si só, justifica o post. Fosse outro qualquer e teria feito um elogia, sem que isso me torne fã, amanhã posso criticar por um outro qualquer assunto…

  3. Nightwish says:

    A sociopata lá viu que lhe dava votos. Se fosse coerente, tratava dos europeus invés de os obrigar a empobrecer ad eternum.


  4. “….importa pouco neste momento discutir causas”
    O autor é um pândego. Como se a urgência em socorrer as pessoas que fogem da fome e da guerra fosse impeditivo de nomear os responsáveis de tamanho desastre humanitário. Ficou na memória as armas de destruição massiva que os quatro estarolas na Base das Lages nos disseram saber existir no Iraque; de seguida foram consertar a Líbia e a Síria. Há mais, mas fiquemos por estes.


    • Quando se tem pela frente uma colossal tragédia humanitária, sim, as causas não importam. Mas não podem nem devem ser branqueadas. Excepção feita à Alemanha, os países europeus vão-se entretendo com questões menores, quando a prioridade teria de ser atender às pessoas. O resto, incluindo o que aponta, vem depois… Percebe a diferença?

      • Alfredo Castanheira says:

        “Excepção feita à Alemanha” ?!?

        Claramente é apenas fã da Angela Merkel e desconhece por completo o que se passa aqui na Alemanha.
        A Itália e a Grécia andam há muitos meses a lidar com o problema dos refugiados.
        Você não faz mesmo ideia do que está a falar.
        Se só acordou agora que a líder disse meia dúzia de palavras devia ter continuado a sonhar com ela enquanto os outros países faziam o serviço.

        Que raio de fixação com a Merkel.
        O Aventar só tem a perder com os seus posts medíocres, mal informados e mal intencionados.

        • Rui Silva says:

          Caro Alfredo Castanheira,
          Essa é a sua opinião.
          Quanto a mim o autor é dos poucos (do Aventar) com os pés bem assentes no chão. Aquele que apresenta pontos de vista mais equilibrados e que não está “cego” pela ideologia.

          cumps

          Rui Silva

          • Nightwish says:

            claro que não, por isso é que quando lhe apresento números e factos nunca me responde e volta a repetir o mesmo passado pouco tempo. Isso é equilibrismo, não é equilíbrio.
            Mas nem outra coisa se espera de fanáticos.


        • O Aventar só tem a perder com os seus posts medíocres, mal informados e mal intencionados.

          O Aventar é um blogue plural. Não tem uma posição homogénea e na diversidade reside a sua força. Há quem não entenda e gostasse de censurar opiniões diferentes, lamento, mas aqui essa ideia na acolhe…


          • Mas nem outra coisa se espera de fanáticos.

            Presunção e água benta cada um toma a que entende. Costumo responder quando tenho acesso à net, levando a discussão ao ponto de divergência. Quando chegamos a questões de discussão, onde não me pode demonstrar que estou errado, mas eu também sou incapaz de mostrar que estou certo, cada um fica nas suas convicções. Mas não o considero fanático por divergir de si, apenas oponente e por isso o respeito.


  5. Apoiado. Já na gravíssima situação na Ucrania, com as posições de Ingleses e EUA, se não fosse a Sra Merkl. estaríamos agora com uma situação inadmissível.
    Notar que esta crise de refugiados, foi muito potenciada, pelas posições de Ingleses, Franceses e EUA; por coincidência a canzoada que menos quer ajudar!

    • Alfredo Castanheira says:

      Concordo é gravíssimo os Ingleses e os Americanos terem apoiado um governo neo-nazi.
      Mas espera lá, a Alemanha também apoiou!
      Se calhar interessa-lhes vender armas.

    • Nightwish says:

      Nem o fez por motivos políticos nem nada… De resto, também só palrou, mas não fez nada.

  6. Fernanda says:

    “as causas não importam.”

    Perigoso, este pensamento, mesmo compreendendo a intenção humanista.


    • Conhece a frase que nem sei se é verdadeira, atribuída a Marquês de Pombal?
      “enterrar os mortos e cuidar dos vivos…”
      Primeiro atende-se a tragédia e salvam-se o máximo de vidas possíveis. Depois discutimos tudo, sem tabus. Longe de mim censurar qualquer pensamento ou ideia…

      • Fernanda says:

        “Depois discutimos tudo, sem tabus.”

        Discutimos Bush? Aznar? Blair? Durão Barroso?

        Discutimos, depois, a que é que levou esta mania da exportação da “democracia ocidental”? Os negócios da guerra e do petróleo?

        Já passou tempo suficiente e ainda não se viu qq discussão “sem tabus”.

        E já era tempo.


        • Sem dúvida que esses são os culpados pela intervenção no Iraque, desnecessária à qual me opus. Mas existem outros, os erros não terminaram em 2003, longe disso, que devem ser responsabilizados pela desastrada intervenção na Primavera árabe. E nem vou entrar pela conversa que Saddam era melhor ou pior que Gaddafi. O problema é o Ocidente reclamar superioridade moral e política para impor os seus valores aos povos do mundo, excepção à Índia, Rússia, China e mais uns quantos, porque aí a coisa é mais problemática…

  7. adelinoferreira45 says:

    Essa frase foi dita num contexto de uma tragédia das “forças” da natureza. Percebe?
    Na situação que gerou a calamidade em curso a primeira coisa a fazer era prender os responsáveis e levá – los a responder no TPI. Claro que os responsáveis (leia – se EUA, não rectificaram o dito) assim podem continuar a matar, destruir e pilhar à vontade! Percebe?


  8. Claro que isso importa e deveria ser feito. Até poderia ser feito em simultâneo, mas sempre ajudando as vítimas. A vida de um sírio ou líbio não vale menos que a minha ou que a sua…

  9. Alfredo Castanheira says:

    Curiosa, mas não acredito que inocente, a escolha de Angela Merkel para elogiar acerca da crise dos refugiados.
    Claramente Angela Merkel foi quem menos fez pelos refugiados até agora:
    – o Líbano e a Jordânia fora assoberbados por milhões de refugiados;
    – na Turquia, as ruas de Instabul estão irreconhecíveis com refugiados;
    – a Itália e a Grécia andam há meses a lidar com dezenas de milhares de refugiados no Mediterrâneo;
    – nos Balcãs, o povo Sérvio voluntariou-se como nenhum outro para apoiar os muitos milhares de refugiados que chegavam;
    – na Alemanha, nas últimas semanas houve mais de uma dezena de ataques e fogo-posto a centros de refugiados e de Angela Merkel não se ouviu uma palavra. Quando os media começaram a criticar o silêncio incómodo de Merkel e ela percebeu para que lado pendia a opinião pública, sua excelência disse duas ou três banalidades sobre receber refugiados.

    Para si isto é “excepção à mediocridade”.

    Para mim, isto revela mais sobre a sua agenda aqui no Aventar do que sobre Angela Merkel.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.