O ” resguardo ” de Joana Amaral Dias.

No mês passado a candidata a deputada do movimento político AGIR, Joana Amaral Dias, anunciou que estava grávida, sendo que até seria uma gravidez de risco, o que iria implicar um maior afastamento e resguardo na campanha eleitoral.

FB_IMG_1441314965946

Quem diria depois de ver a capa desta revista cor de rosa!

“É preciso carro para dar aulas de Inglês.”

O Inglês passa a ser obrigatório a partir do terceiro ano do Primeiro Ciclo (terceira classe, para os mais desactualizados). Os professores de Inglês do Primeiro Ciclo, na maior parte dos casos, terão de dar aulas em várias escolas pertencentes ao mesmo agrupamento (essa entidade que Nuno Crato criticava antes de ser ministro).

Uma vez que essas escolas podem estar a quilómetros de distância umas das outras, é fácil imaginar que muitos destes professores de Inglês serão também motoristas de si próprios, sendo que terão de pagar do seu bolso todas as despesas decorrentes dessas deslocações, ao contrário de qualquer ministro ao serviço do governo ou de qualquer futebolista a caminho de um jogo.

Os professores, como muitos oficiais de outros ofícios públicos, são, na realidade, os grandes financiadores do próprio patrão. Aos dados que, preguiçosamente, reuni num texto de 2010, podemos, ainda, juntar pormenores como o congelamento das carreiras, os cortes salariais, os despedimentos ou a supressão de pagamento na classificação de exames.  Há quem lhe chame poupança, o que me leva a imaginar que, doravante, um ladrão, ao analisar o que roubou, possa dizer “Olha o que eu poupei hoje!”

Assim, pelas estradas de Portugal, a partir deste ano lectivo, andará mais um grupo de profissionais que, para benefício dos alunos, pagará para trabalhar.

Fundamentalismo Cristão

No video em cima podemos ver uma troglodita que, sendo chefe da secretaria de um tribunal do Kentucky, se recusa a passar uma licença matrimonial a um casal homossexual, algo recorrente por aqueles lados apesar da união entre homossexuais ser legal naquele estado norte-americano. O Supremo Tribunal de Justiça já se pronunciou contra a decisão de Kim Davis, a troglodita, mas esta optou por ignorar o aviso e continua sem emitir qualquer licença.

Questionada sobre quem lhe dá autoridade para ignorar a lei e recusar-se a emitir a dita licença, a troglodita afirma estar investida da autoridade de Deus, que com certeza lhe terá falado durante a sua última alucinação. Mesmo assim, esta coisa chefia uma repartição pública apesar das legítimas dúvidas sobre se dispõe ou não de um cérebro. A diferença este isto e um troglodita que se enche de explosivos e rebenta com um mercado em Bagdad é que a troglodita em questão não tem acesso/não sabe fabricar bombas. Ela que arranje C-4 e vocês logo vêm o que ela faz com a próxima parada gay que apanhar pela frente.

 

A Grande Marcha do Yuan

FOsun

O proletário na foto é Guo Guangchang, um homem remediado que, tal como tantos outros remediados dessa grande nação comunista que é a China, cresceu à custa de muito esforço e dedicação à luta anti-capitalista no seio do Partido Comunista Chinês. Com investimentos aqui e acolá, Guo trouxe a Grande Marcha do Yuan até ao extremo-ocidente da Eurásia e, depois da Espírito Santo Saúde e da Fidelidade, este camarada poderá muito bem ser o próximo dono do Novo Banco. [Read more…]

Pontos sobre os refugiados

1- A verdadeira ameaça à Europa não são os refugiados. Não foram refugiados que há 70 anos mataram seis milhões de pessoas. A verdadeira ameaça são pessoas como o Viktor Orbán que debitam disparates sobre os valores Europeus sem saber nada de história ou de valores Europeus. Como dizia o editor judeu – húngaro – de Thomas Mann, a propósito de alguém que ambos conheciam:

Kein Europäer, sagte er kopfschüttelnd
Kein Europäer, Herr Fischer, wieso denn nichts?
Von grossen humanen Ideen versteht er nichts.

Ele não é um Europeu, disse ele abanando a cabeça.

Não é um Europeu, Herr Fischer? O que quer dizer?

Ele não percebe nada sobre os grandes ideais humanistas.

2- Do ponto de vista das infra-estrutras é evidente que a Europa não tem condições, especialmente se as coisas continuarem assim, para acolher tantos refugiados. A Alemanha diz que vai receber 800 mil pessoas, mas estará mesmo preparada para receber um influxo de quase um milhão de pessoas, especialmente num espaço de tempo tão curto? Mas a questão que se põe agora é como resolver a crise. A resolução passa por atacar a fonte ou seja, a instabilidade que começou nos países de origem. Para isso a Europa tem de admitir, juntamente com os Estados Unidos, a sua responsibilidade na criação desses mesmos problemas. O que teria acontecido se o Iraque não tivesse sido invadido, ou até, indo mais para trás, se a Europa e os Estados Unidos não tivessem interferido sistematicamente na região do médio oriente como andam a fazer desde há 40 anos?

3- Admitindo que haja radicais islâmicos nos milhares de pessoas que chegam à Europa, a experiência diz-nos que os terroristas vêm de avião e têm dinheiro ou nascem na periferia de Paris. Custa-me a acreditar que a malta que arrisca a vida em barcos de borracha porque a alternativa – ficarem em casa – é tão má, venham para matar gente na Europa.

4  – Historicamente, na Europa, o racismo, a xenofobia, as perseguições e os preconceitos religiosos protagonizados por cristãos mataram mais gente que o radicalismo islâmico. Lembrem-se disso quando falarem de História.

O aviso chinês:

temos mísseis que destroem porta-aviões e gostamos muito de Vladimir Putin.

Como se sabe, ter um banco público é um problema.

Isto é o que se depreende das palavras de sua excelência,   a ministra das finanças, Maria de sua graça, quando justificou a bronca que fizeram quanto à falência do BES, dizendo que os portugueses serão chamados a pagarem o buraco por terem um banco público.

Por isso, o governo PSD/CDS vai criar um novo banco público, o Banco de Fomento.

Agora, escolham. Ou a justificação da ministra é absurda, ou estão errados ao criarem um novo banco público. Ou então, como é o caso, aplicam-se ambas as explicações.

Paulo Portas, o maior ” artista ” português.

Este é um pequeno vídeo biográfico sobre, Paulo Portas, o maior ” artista de variedades ” da política portuguesa.

Estamos a falar de um multifacetado ” artista ” que conquistou, ao longo de 18 anos de carreira, os mais diversos públicos, desde o estilo romântico, passando pelo rock, o pop, o gospel, o psytrance, o techno, sem esquecer claro o nosso fado. Haja uma eleição que o ” artista ” toca o ritmo que está na moda.

Os seus fãs pensavam ser tudo cantado ” ao vivo “, até que agora perceberam que tudo não passaram de muitos e muitos ” playbacks “.

Esta supresa abalou o país. A desilusão está instalada nos seus fãs que parece ser ” irrevogável “. E agora a pergunta que todos colocam é só uma: como vai Paulo Portas conseguir sair desta?

É para mim inconcebível que o PSD tenha feito uma coligação pré-eleitoral com este ” artista de variedades “. Entendo que estamos perante uma coligação PSD / Paulo Portas e não uma coligação entre dois partidos políticos.

fonte: vídeo de Luis Vargas

Isto é demasiado grave para ser ignorado

O governo, por iniciativa do Sec. Estado da Cultura Jorge Barreto Xavier, está a promover um mecanismo de censura de sites (onde se incluem os blogs), completamente fora do poder judicial.

É um processo extremamente perigoso. Não há um juiz, não há uma acusação, nem um processo em tribunal. O que significa que se o leitor tem um site ou um blog onde escreve regularmente e as SGC e a IGAC não gostarem da sua opinião, nada os impede de enviar o link do blog do leitor para os ISPs bloquearem no prazo máximo de 15 dias.

Ler tudo no blog de Paula Simões (enquanto este não for bloqueado). E, tal como ela sublinha, é de recordar:

Por último, no dia 4 de Outubro lembrem-se que este memorando [de bloqueio de sites] foi promovido pelo Governo de PSD/CDS.