O medo

Então escolha lá, prefere guilhotina ou forca?

As pessoas andam inquietas. Pior do que isso andam com medo. Medo do que lhes poderá suceder com António Costa ou com Passos Coelho. Costa pede por aí “confiança”, ou seja, que não tenham medo dele. E Passos finge que as coisas voltaram, ou estão a voltar, a uma normalidade que as pessoas não reconhecem e não sentem. [VPV]

vota
Vasco Pulido Valente meteu o dedo na ferida. Saindo-se do circuito fechado onde circula a política, ou melhor dizendo, onde circulam os que acompanham a política e que estão a par do que nela se passa, há um país que não vai além do soundbites – quando a eles chega. Vejo-o nos colegas com quem trabalho, nos amigos, nos conhecidos. Ouvem e lêem os ecos da propaganda nos intervalos do xanax de zapping televisivo mas não acompanham os temas com uma profundidade que lhes permita sobre eles reflectirem e formarem opinião própria.

Estes eleitores escolherão a forca ou a guilhotina, conforme qual dos carrascos tiver os dentes mais branqueados pelo spin. Os perigos que decorrem desta situação são ciclópicos e serão potenciados pelos resultados que a próxima eleição trouxer. Por um lado, se a coligação PAF ganhar, os portugueses não terão mostrado a bandeira vermelha que seria devida aos maus tratos a que foram sujeitos durante quatro anos. Significa que sucessivas leis que se demonstraram serem ilegais, cortes nos rendimentos, mais impostos e negócios escuros não terão impedido a reeleição desse governo. A acontecer, será um sinal extremamente perigoso e dará um impulso para que o governo entre em roda livre, sentindo-se incólume perante o mal feito.

Por outro lado, uma vitória do PS significará que os portugueses se esqueceram do que foram os dois mandatos de Sócrates. As obras públicas pelas obras públicas, tal como as sumptuosas obras da Parque Escolar, as auto-estradas vazias e os megalómanos TGV e novo aeroporto terão ficado arrumadas no esquecimento, ao lado das PPP que continuamos a pagar. A perseguição a diversas classes profissionais, destacando-se a classe docente, terá sido branqueada. E os casos do envolvimento dos socialistas nos negócios só não terá ficado completamente no esquecimento porque o PSD e o CDS não largarão o osso durante a campanha eleitoral.

O medo é a arma do PSD/CDS e do PS. Usam-no para convencer que o outro é o pior mas, não nos esqueçamos, foram estes os únicos três partidos que conduziram os destinos do país desde 1974. A haver medo será de todos eles. Restam as outras alternativas, mas estas são uma miragem. A verdadeira alternativa é a que resultaria de um eleitorado diferente, constituído por cidadãos que não perdessem a memória política e que conseguissem ver para lá da propaganda. Não haja ilusões, com uma comunicação social que se limita a reproduzir os comunicados de imprensa e as “notícias” preparadas pelas agências de comunicação, não haverá uma população com pensamento crítico exigente perante os políticos que elege. Resta o spin.

Comments

  1. Ana A. says:

    “A verdadeira alternativa é a que resultaria de um eleitorado diferente, constituído por cidadãos que não perdessem a memória política e que conseguissem ver para lá da propaganda.”
    Subscrevo totalmente! Além disso, qualquer novo partido que surja luta com a falta de voz e visibilidade que é absorvida pelos que já têm assento no parlamento. E, como a maioria do eleitorado é civicamente “preguiçoso”, não se interessa, deixa andar, e, ou não vota ou vota sempre naqueles que “pensa” conhecer. E depois, temos os profissionais da política que de tenra idade se inscrevem nas jotas e o circo continua, ad eternum…


  2. O que eu vejo, é o Costa a fazer a sua propaganda como é habitual nestas ocasiões (ou não?) e o PPC anda escondido e manda dizer que:

    – As exportações estão a aumentar
    – A recuperação está aí.
    – O desemprego está a diminuir.
    – Uma % do IRS vai ser devolvida…
    – A solução para o BES é uma vergonha
    – Tudo o que o programa do PSD diz, não é para fazer.
    Conclusão:
    O “homem” resguardasse e não é confrontado, por isso, é só miséria… moral, ética e outras coisas que convém não dizer.

    • j. manuel cordeiro says:

      O PPC está a repetir a estratégia que levou Cavaco duas vezes a Presidente da República: estar calado na campanha eleitoral. A fuga dele ao debate colectivo e ao programa do Ricardo Araújo Pereira é a prova disso. Um cobardolas.

  3. Fernanda says:

    Ai, o VPV……


  4. a) “A perseguição a diversas classes profissionais, destacando-se a classe docente, terá sido branqueada. ” Quantos o Cratino não pôs a andar?
    b) “tal como as sumptuosas obras da Parque Escolar”, deve estar com saudades das velhas escolas desconfortáveis, essas sim, o tiritar de frio, dos dentes dos alunos, as frieiras, etc., não esquecendo a fome que grassava entre eles
    c) “se a coligação PAF ganhar, os portugueses não terão mostrado a bandeira vermelha que seria devida aos maus tratos a que foram sujeitos durante quatro anos. Significa que sucessivas leis que se demonstraram serem ilegais, cortes nos rendimentos, mais impostos e negócios escuros não terão impedido a reeleição desse governo. A acontecer, será um sinal extremamente perigoso e dará um impulso para que o governo entre em roda livre, sentindo-se incólume perante o mal feito.”, Passos o Africano e, todos os negreiros, suspirariam de alívio
    d) O TGV não foi proposta do PPD? Para agradar aos alemães do crustáceo, do que não são capazes!
    e) o novo aeroporto? Essa coisa já vem do início dos anos 70. As compensações para a disponibilização dos terrenos foram pagas? A quem?
    f) as PPP, não têm o copyright do cavacoide? Não foram executadas e peneiradas pela Milú & Cia.?
    g) para um eleitorado diferente, emigre, sff..

    • j. manuel cordeiro says:

      a) “A perseguição a diversas classes profissionais, destacando-se a classe docente, terá sido branqueada. ” Quantos o Cratino não pôs a andar?

      É de recordar como isto começou.

      b) “tal como as sumptuosas obras da Parque Escolar”, deve estar com saudades das velhas escolas desconfortáveis, essas sim, o tiritar de frio, dos dentes dos alunos, as frieiras, etc., não esquecendo a fome que grassava entre eles

      Era preciso aqueles edifícios sem ventilação natural (janelas que se abram) e que agora nem dinheiro para o A/C há? Para não falar dos malefícios do ar condicionado. E com todos aqueles materiais? Não foram restauros. Foi fazer obra, porque era preciso fazer obra.

      d) O TGV não foi proposta do PPD? Para agradar aos alemães do crustáceo, do que não são capazes!

      Não me recordo quem foi o pioneiro. Mas recordo-me dos sucessivos megalómanos, entre os governos PS e PSD, tendo Sócrates sido o último e o que quase levou a coisa para a frente.

      e) o novo aeroporto? Essa coisa já vem do início dos anos 70. As compensações para a disponibilização dos terrenos foram pagas? A quem?

      Idem. Vê-se como a Portela continua a servir perfeitamente. Nas previsões de há 10 anos já, por esta altura, a Portela estaria entupida.

      f) as PPP, não têm o copyright do cavacoide? Não foram executadas e peneiradas pela Milú & Cia.?

      Cavaco começou com 2. Mas foi o governo de Guterres quem as usou à grande (SCUT) para fazer a obra que os que viessem (nós pagássemos). Sócrates não lhe ficou a trás.

      https://aventadores.files.wordpress.com/2011/05/image17.png

      g) para um eleitorado diferente, emigre, sff..

      Se não se importa, prefiro o meu país.


  5. O PS só com os professores que form escorraçados pelo governo ,já ganha as eleições. Que seria dos pobres eleitores, se não tivessesmos estes esclarecidos ,que lhes mostram como se deve pensar e votar?

Trackbacks


  1. […] e porque, mais do que ninguém, é ele quem mais precisa do fantasma socialista para instigar o medo no eleitorado, num esforço final e desesperado pela manutenção […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.