Telemissão

Nestes dias, os vários canais de televisão fazem uma espécie de sprint de contra-informação que, prevê-se, se irá ainda acentuando até à próxima semana. Todos os caminhos argumentativos servem, mesmo aqueles que ofendem a inteligência de qualquer pessoa de bom senso. É que eles não procuram o bom senso nem a reflexão séria. Procuram a confusão, o melodrama reles. Atiram como pedras todas as calúnias e fantasmas que mobilizem imbecis. Qual discussão democrática, qual ponderação de ideias, qual quê. São jogadores que apostam a cave e esperam ganhar com batota. Custe o que custar, custe a quem custar. A direita mais golpista acantona-se nas televisões e prepara-se para fazer delas a sua trincheira de vigarice política. Sente-se em missão.
Hoje, quem ainda tinha alguma consideração – em muitos casos residual, eu sei – por gente como Luís Amado, Luís Delgado, Gomes Ferreira, Nicolau Santos – para citar só os que vi nesta hora e sem referir protagonistas partidários, porque não é sobretudo por estes que passa a jogada – espero que tenha ficado esclarecido. 
Em minoria nas urnas, no parlamento e na rua, resta à direita – e à extrema direita, já agora – a mentira – usando os meios que domina e os seus donos lhe compram – o golpe baixo, o alarme demagógico, tentando a criação, por essa via, da angústia social que já não vai conseguir gerar no governo. O que se perfila é feio e duro e, para esta gente, vale tudo. Esperemos que um futuro governo de esquerda não corra o risco de minimizar esta realidade e não se dê ao luxo da menor ingenuidade em relação aos perigos que ela encerra. O caminho é cheio de escolhos mas, como cantava o poeta “A bucha é dura/ Mais dura é a razão que a sustem”.

Comments

  1. luis says:

    Luís Amado (o da Guiné Equatorial)?
    Nicolau Santos (o socialista da tendência “área de negócios”)??
    José Gomes Ferreira (coerente como uma Clara Ferreira Alves)???
    Luís Delgado (o amigo íntimo do Santana que lhe deu um tacho na Lusa)????
    Consideração por estes tipos, que não passam de comerciantes de “opinião”?????
    O José Gabriel deve ser muito ingénuo ou então ouve-os só agora!


    • “Há quem ainda tenha…”, escrevi eu, luis. Não é o meu caso. Esta pandilha há muito não me merece senão desprezo, para dizer o menos.

  2. Maria João says:

    São aquilo que são e que uma pessoa atenta já descortinava, mas que nunca é demais relembrar ou alertar, porque como diz o José Gabriel, são perigosos por travarem um combate desleal, subreptício e que vai minando por baixo do chão, sobretudo num país maioritariamente pouco esclarecido e desligado de muitas das questões essenciais, que é solo fértil para este tipo de estratégias.
    E sim, gostava que o perigo que representam não fosse minimizado por quem esperamos que venha a governar.