O antigo dono disto tudo?

Eu sei que o mundo não é a preto e branco, embora, por estes dias, tudo pareça flutuar entre o laranja e o vermelho. E, até por isso, vou entrar no desafio e questionar o Carlos Garcez Osório: Aqui entre nós, que ninguém nos ouve, entre a “nova dona disto tudo” e este tipo de pessoas que agora apresento em vídeo (ao minuto 7.50), será que a escolha a fazer, resulta em alguma divergência entre nós?

Obviamente, não estou a fazer trocadilhos foleiros. Estou a falar da substância do conteúdo do que vai na mente deste tipo.

Sublinho algumas palavras que até poderiam passar em branco, coisas deste género”as meninas do bloco de esquerda”, “esganiçadas…”

Mas, daquele orifício do sistema digestivo do senhor saiu algo verdadeiramente inacreditável: “não queria nenhuma daquelas mulheres, nem dada.”

Será que o personagem costuma pagar? É isso.

“Contra o marido, lá em casa (…) Com o tempo iriam colocar o personagem fora de casa e a coisa até poderia continuar…

E o aborto, e o casamento e a adopção…

Ainda há dúvidas sobre a evolução social que os acontecimentos de ontem reflectem?

Nunca como agora está clara a divisão em Portugal, entre o poder de alguns, suportado no passado e nas tradições e o poder, partilhado e construído por todos, suportado na evolução permanente da sociedade.

Pode e deve haver divergência económica, cultural e claro, social. Mas, não podemos querer voltar à idade média, ou podemos? Portugal não é o que este senhor defende e, também por isso, a votação no Parlamento mostra de forma clara o que Portugal pensa sobre algumas das coisas que este personagem defende.

E, para terminar, finalmente descobri que para ele a tradição é um elemento estrutural da vida em sociedade. Não deve, estou certo, questionar as mulheres que são mortas, todos os anos, às mãos destes medíocres. É da tradição!

Comments


  1. Amen!

  2. Nightwish says:

    Puta de atrasadice mental. Nunca lhe passou pela cabeça que uma mulher forte e independente não o quisesse para nada.

  3. Helder P. says:

    A Direita em Portugal é ideologicamente retrógrada e continua a ter muita dificuldade em adaptar-se ao século XXI. Infelizmente, vemos que os seus altos representantes não só não compreendem verdadeiramente a democracia como não se livrarem da herança ideológica do “Estado Novo”. O que aconteceu nos últimos anos, é que a esse mofo de mentalidades, acrescentaram os laivos de “modernidade” do neo-liberalismo à moda da escola de Chicago, do empreendedorismo salvífico, do Estado mínimo e do Estado paralelo e clientelar, e tornaram-se num autêntico Tea Party. Livraram-se do patriotismo e tornaram-se internacionalistas, para quem o conceito de Estado Soberano já se torna obsoleto e os tratados internacionais são para ser assinados de cruz, como o tratado orçamental ou o TTIP ainda em secretas negociações. Salvem os ricos, é o novo lema.
    O quanto eu não gostava que este país tivesse uma direita decente, social-democrata ou no limite algo mais Torie, mas que tivesse a decência de defender a soberania do seu país.
    Como era possível para o PS entender-se com este Tea Party?

    Gajo de esquerda dixit.

  4. Nascimento says:

    Mas então não há memória? Este filho da p….a, é o escarro que há uns aninhos largos afirmou na TV que as pessoas eram “livres” de vender parte do seu corpo afim de melhorar a sua vidinha. O médico A. Barroso ( o sportinguista), que estava no debate com este verme, até lhe ia dando um estalo.O FILHINHO TAMBÉM JA “PINTA” NAS TÉLÉLÉS….haja memória!


  5. O Medina na TVI24 não disse muito melhor (embora mais contido na piadola). Preocupante que bestas destas sejam pagas para falar.

  6. joão lopes says:

    isto aparece cada borrego…pronto pá,fica la´com a ferreira leite,a gente não se chateia.ou a cristas,que agora tem tempo livre para tomar conta da filharada.

  7. Ana Moreno says:

    O que a mim me surpreende é como se convida uma abécula destas, que destila estreiteza de espírito e pensamento estereotipado do mais retrógrado, a dizer seja o que for em frente de uma câmara. Com que então, partidos tomarem posições opostas, e por elas lutarem, é um problema grave, desfaz a união e a harmonia, é isso? Que bem se sentiria este senhor numa ditadura, hem??? Ainda bem que não vota meu senhor, e espero é que também não tenha nenhuma mulher que lhe apare esse machismo primário e emproado, a armar aos cucos.
    Ó Ana (entrevistadora), é obrigada a fazer isto???

  8. Tobias says:

    Há uma direita em Portugal que consegue ser asquerosa: é aquela que se grita católica e dona da verdade, não fazendo mais do que insultar e desrespeitar as pessoas em geral. Mestra da intolerância e da grosseria, afasta as pessoas, mesmo as católicas, das igrejas que frequenta e dos jornais onde costuma pastar. Dão-se ares de primos direitos de Jessus Cristo, de beberem do fino e saberem tudo, mas não passam duns tamancos ensopados em água benta. Não é só este Arroja, é também um João César das Neves, um Portocarrero, um Pinto Leite e, claro está, uns lazaretos com letras pintadas que dão pelo nome de Correio da Manha. jornal I, Sol, Observador. Para matar a fome aos pobres, não há dinheiro que chegue, mas há dinheiro a granel para estes ordinariios se rebolarem na lama que fazem.


  9. Este tipo é um CRETINO tão monumental que nalguns momentos me pareceu estar perante um “boneco” dos Monty Python, uma caricatura a traço grosso a zombar à maluca desta espécie particular de desconchavo bolorento. Um tijolo burro podia dar-lhe lições de inteligência e subtileza. (Dei conta agora mesmo que a criatura não merece sequer que se lhe dedique o fugaz instante que leva a pronunciar a palavra CRETINO. Estou eu para aqui a perder o meu tempo …)

  10. Escatota Biribó says:

    Senhora a preto e branco diz: – O meu marido diz que eu sou muito feliz

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.