Saída limpa? Vai um BANIF para debaixo do tapete.


banif
“Estou consciente que tempo adicional foi repetidamente dado para que o banco [BANIF] endereçasse os problemas. Isto foi motivado por considerações de estabilidade financeira e, recentemente, por considerações de não colocar em perigo a saída do país do Programa de Ajustamento Económico.” Margrethe Vestager, Membro da Comissão Europeia, 12 de Dezembro de 2014, via TSF

Preto no branco, a Comissária afirma que o problema do BANIF não foi resolvido para não estragar a saída limpa. Houve um conluio entre a CE e o Governo Português, de Passos Coelho/Paulo Portas, para fabricar um sucesso que não era real. Com que objectivo? À CE interessava ter um caso em que a austeridade tivesse “funcionado” e o governo construiu uma teia de medo/sucesso baseada nesta falsidade. Medo reflectido no, ainda hoje, usado pregão “não estraguem” e sucesso ficcionado com argumentos inventados.

Mas, em Dezembro de 2014, Margrethe Vestager lembra nesta mesma carta que uma acção rápida é agora mais premente”. Só que aquele que afirmou “que se lixem as eleições” tinha uma eleição para ganhar e, agora, caiu a bomba no bolso dos portugueses. “Não estraguem”, basta deixar andar. Vê-se.

E nesta bagunça, onde pára Cavaco Silva? O que tem a dizer o presidente dos raspanetes sobre a necessidade de estabilidade e credibilidade? No dia em que condecorou um dos beneficiários deste banco agora falido,  ex-banco do regime madeirense, onde está o tom professoral-avisador sobre o que o governo do seu partido devia ter feito mas não fez por cálculo eleitoral?

Comments

  1. Fernanda says:

    Nestes casos é mais para debaixo das tapeçarias, que é mais fino.

  2. tancredo says:

    Em 2011 foi afirmado que um ajudante de Alberto João no governo da Madeira alcançara o estatuto de multimilionário. O senhor Ramos antes de ser ajudante do senhor Jardim teria sido vendedor de sifões de sanitas no Funchal. O caso não foi desmentido. Espero que a Comissão de Inquérito venha a ter isto em conta e apure em que negócio é que o senhor fez fortuna se, como vendedor de sanitas, tudo bem, mas se como político, tudo mal. Estou em crer que por causa disto, se não estou irei estar arder com algum.
    .
    Mas o algodão não engana.

    • tancredo says:

      Oh Senhor dos Autoclismos, não desespere, não tenha medo porque:: la rose est sans porquoi.
      .
      E para uma saída limpa, já sabe, basta puxar.

  3. JgMenos says:

    Os coitadinhos que gritavam contra a excessiva austeridade vêm agora gritar que haveriam de lhe ter dado uma crise maior, com toda a merda a desabar ao mesmo tempo!

    • fraude pafista says:

      não, não era “uma crise maior”. era não falsear os resultados das eleições com as mentiras banif, novo banco, tap e sobretaxa. e não participar na contaminação, pela mentira, da opinião pública de outros países europeus. o mesmo tipo de conluio teve lugar na grécia.

    • este deve ser mais um burrinho das jotas so pode!!! .l.

    • Nightwish says:

      Espera aí, então se eu tapar os olhos e os ouvidos já está tudo bem? Os mercados sabem disso?

  4. Joam Roiz says:

    A direita neo-liberal, enquanto representante do capitalismo financeiro global, tomou conta da própria União Europeia. Não é, por isso, de estranhar a cumplicidade das instituições da União com o governo de Passos Coelho. Afinal, não são todos farinha do mesmo saco?

Trackbacks

  1. […] Muita tinta irá correr durante as próximas semanas e, com ela, muita porcaria irá emergir. O passa-culpas já começou e de uma coisa temos já a certeza: a bandeira da saída limpa foi mais uma fraude do anterior governo, que empurrou o problema do Banif…. […]

  2. […] Costa, o tal que garantia que a intervenção no Banif daria 10% de lucro, ainda está no cargo?) e de uma carta da Comissária Europeia para a Concorrência endereçada a Maria Luís Albuquerque qu…, e consequentemente as eleições para as quais Passos Coelho se estaria a lixar, impõe-se uma […]

  3. […] verdades. Seja sobre a encenação da saída limpa suja, seja sobre a trapalhada no BES, seja pela gestão (quase) criminosa do dossier Banif. Sim Passos, tu e a Maria Luís rebentaram com os bancos e já só mesmo os “patetas […]

  4. […] distinto licenciado em Economia. A posição sobre o Banif é outro grande sucesso de bilheteiras. Depois de meses a empurrar o problema com a barriga para, como foi explicado pela então Comissão E…“, a batata quente foi parar às mãos de António Costa. Sobre a solução encontrada pelo […]

  5. […] eleitorais. As promessas de 2013 foram um embuste, a devolução da sobretaxa também, a saída limpa é afinal um amontoado de lixo e sujidade incrustada debaixo de um tapete que desde ce… e a CGD, que aparentemente tão útil estava a ser para as tropas do velho regime, escondia afinal […]

  6. […] Quem se lembra da proposta pelo Banif que o seu governo escondeu? E, ainda a propósito do Banif, que dizer do lixo que foi varrido para ocultado debaixo do tapete, no âmbito da encenação da saída limpa? Então e aqueles dois pareceres da Inspecção-Geral […]

  7. […] Gomes Ferreira, sobre se a meta do défice para 2016 seria cumprida, Maria Luís Albuquerque, especialista na ocultação de problemas bancários que afectam défices e saídas limpas, foi categórica. Segundo a ex-ministra, não é “de todo possível” que o défice […]

  8. […] profissionais e emigração em massa? E o embuste da saída limpa, será que o interligou com aquele Banif que estava escondido debaixo do tapete? E a demissão irrevogável, será que a interligou com a sede de poder último grande herói do […]

  9. […] êxitos da antecessora de Centeno, como o embuste da devolução da sobretaxa ou a forma como se varreu o Banif para debaixo do tapete. Mas já temos aqui matéria suficiente para perceber que, se há pessoa que não tem moral para […]

  10. […] a Comissária afirma que o problema do BANIF não foi resolvido para não estragar a saída limpa (mais detalhes). Em causa também estiveram cartas, mas estas foram as enviadas pela CE sobre o BANIF e que o […]

  11. […] Albuquerque, saudosa ministra das Finanças que tantos e tão bons swaps nos deu, para não falar na fantástica na curta-metragem Banif, uma saída limpa debaixo do tapete. Depois do grande sucesso da devolução da sobretaxa, que garantiu o galardão de 2015 ao PSD, […]

  12. […] vez foi no Banif, outrora o banco do regime madeirense, que o anterior governo varreu para debaixo do tapete, na sua desesperada tentativa (falhada) de saída limpa, e que o actual vendeu por 20 patacos aos […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s