Primeira chalaça de 2016

tvi

2016 começou com um fantástico serviço público televisivo. Como sempre. Enquanto a RTP 1, transmitia um formato exclusivo e único na televisão portuguesa no qual dava a volta ao mundo no que a festejos diz respeito, com 3 apresentadores de quinta categoria a encher o bandulho dos telespectadores (a contar pelos tuits que eram publicados num banner de rodapé, o programa estava basicamente a ser visto por emigrantes nos Estados Unidos e Venezuela) com as passagens de ano nas maiores praças do mundo, a TVI, sem orçamento ou ideias para fazer melhor, limitou-se apenas a retratar as pitorescas passagens de ano nas capitais de distrito onde hordas de incontroláveis carrascões eram incapazes de sibilar “melhores desejos” para 2016 do que ganhar o Euromilhões, ou quiçá, não terminar a noite nas urgências por causa do mosto. A TVI conseguiu, pelo menos, divertir-me na primeira hora do novo ano. Não só pelas pielas em directo, mas também pela actualização do número de mortos na estrada e pelo fantástico rebento que saiu da terra aos primeiros minutos de 2016: uma fantástica, diria, batata de classe Laura, de 3 toneladas e 680 kg de peso. A julgar pelos números da coisa, estamos perante um novo que ser que porventura irá alimentar, no futuro, alguns milhares de bocas. Cuidado com os piropos.

Cansado de tanta televisão de 8ª, eu que não sou snob o suficiente para desejar coisas boas às pessoas por entre garrafas de Terras do Demo nem tão pouco sou tolinho para começar o ano dentro do Rio Pavia, decidi infrutiferamente adiar o meu primeiro sono de 2016 com um zapping na televisão enquanto molhava as minhas bolachinhas oreo no leite. Por sorte apanhei a TVE a meio do caminho e adiei a minha comemoração, para dentro. Os espanhóis são aquele povo que historicamente gostam de começar o ano com boas entradas. No sentido literal da coisa. Portanto, para os espanhóis o quer que esteja a dar na televisão do Estado passa-lhes literalmente ao lado. Mesmo que a TVE passe Rajoy a falar com Juan Carlos sobre os últimos dias da era Franco, os espanhóis querem é, no belo sentido da coisa, copular. Eu também. A TVE decidiu na madrugada de 1 de Janeiro de 2016 brindar-nos com videoclips de todas as centenas de artistas que passaram pelos seus estúdios. De um momento pro outro fui obrigado a gravar o programa visto que a qualidade musical era do outro mundo. Desde o playback medonho de Los del Rio às cordas vocais fantásticas de Aretha Franklin, fui ali resgatar, de forma inocente, um par de musicas na minha infancia que de outra forma, a memória, esse ser vil que por vezes nos foge e não volta, nos vai tirando com o tempo.

Dei por bem entregue o meu tempo quando voltei a descobrir este grande clássico dos meus 8 anos:

É claro que pelo meio vi o meu joguito da NBA da ordem. Kobe foi aplaudido de pé no TD Garden pelos adeptos dos Boston Celtics num gesto fantástico dos principais rivais dos Lakers depois de ter actuado a última vez no recinto dos irlandeses. Com uma vitória por 112-104…

Comments

  1. Nascimento says:

    Mesmo atrasado,isto tá mesmo giro. Gostei da postada. Bravo.