Porquê Trump agora?

De facto, uma leitura imperdível.

Comments

  1. Isabel Atalaia says:

    Esta análise também é muito interessante. Boa leitura http://www.vox.com/2016/3/1/11127424/trump-authoritarianism

  2. Fernando Cerdo says:

    Embora considero as críticas às palhaçadas do Trump bastante válidas temos que encaixar tudo isto na realidade política da direita Republicana dos EUA das últimas décadas e evitar fazer o papel de virgens ofendidas. O Trump não é radicalmente diferente de muitos outros candidatos republicanos que em boa verdade ganham eleições com recurso ao fanatismo e imbecilidade evangélico-protestante e às insinuações subtis e nada subtis contra as minorias, Afro-Americanos, Mexicanos, imigrantes, etc., tudo misturado com o imperialismo excepcionalista e infantil do “WE´RE #1! U.S.A.! U.S.A.! U.S.A.!”. A única diferença em relação ao Trump é que ele, sendo um bilionário não comprometido com a CIA etc., não está financeiramente dependente das eventuais recompensas de determinados lóbis, nomeadamente os concentrados em torno do neo-conservadorismo como o lóbi dos fornecedores de serviços e material militar ou o famoso lóbi do Estado de Israel em Washington – os interesses verdadeiramente responsáveis por estas guerras sem fim no Médio Oriente – e por isso está a ser denunciado até pela FOX News. A FOX News, por exemplo, fomentou nos últimos 20 anos uma normalização do discurso de extrema-direita, islamófobo, xenófobo, e ignorante muito parecido com aquele actualmente vomitado pelo Donald Trump, o chamado discuro “Archie Bunker”, direcionando esta propaganda a favor de candidatos de orientação neo-conservadora. Agora quando aparece um tipo de direita radical mais ou menos isolacionista ele é denunciado e ridicularizado por estes mesmos meios de comunicação que fomentaram discursos deste tipo ao longo destes anos todos e que até venderam o George W. Bush a esta franja do eleitorado norte-americano como um genial estadista de prestígio. Não tenho dúvidas de que se o Donald Trump disesse que queria bombardear a Rússia e a Síria ele seria apresentado de uma forma muito diferente nos média.

  3. Pedro Cid says:

    Depois do circo habitual das supostas eleições dos EUA quando a Hillary ganhar as eleições “todos” vão respirar de alivio. Quando na realidade a politica será a mesma. Tipo Bush-Obama.
    Entretanto em todos os meios de comunicação acompanha-se este circo para fazer crer aquilo que não é ou seja aquilo que não existe; diversidade.
    Muro já existe…e os pobres, iram continuar a votar nos ricos (ou nos que estão ao soldo deles) e prontoS é a democracia. Já agora, se o Trump dissesse amanhã que iria bombardear a Rússia, tinha as eleições ganhas 😉

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.