Brasil, o fim da linha para Dilma e Lula da Silva?

Os acontecimentos no Brasil dominaram a semana política em Portugal, o que não aconteceu em nenhum outro país, à excepção do Brasil é claro. E começando precisamente por aqui, subsistem ainda resquícios de paternalismo colonial, não por acaso partilhado com outros países e cidadãos europeus em assuntos relativos às suas antigas colónias. O primeiro erro dos europeus é arrogarem-se insuportavelmente como civilizacionalmente superiores, julgando os povos dos outros continentes à luz dos seus valores políticos e filosóficos. Apesar de séculos como colonizadores, raramente compreendem os povos árabes, asiáticos, africanos, ou latino-americanos, resultado da incapacidade de verem para além do seu umbigo, que levaram em meados do sec XX os povos colonizados a inúmeras revoltas e lutas pela independência no mundo inteiro, para se libertarem de governos europeus e colonos que tratavam nativos como servos e ainda consideravam estar a praticar o bem. Após desastrosas intervenções no exterior, o velho continente está a braços com tragédias humanitárias que mais não são que consequências da sua desastrosa política de tentar levar a democracia a quem não a quer, deseja ou compreende. [Read more…]

Missa na escola? Depende do Deus

Há escândalo porque se reza na escola pública ao Deus cristão. Não há escândalo se o deus for o dinheiro.

O fim da Banca portuguesa

No concurso mundial da corrupção e do degredo, Portugal ocupa, na opinião de uma grande quantidade de portugueses, o lugar cimeiro do pódio. A quem ouvir povo e comentadores honoris causa não sobrará dúvida que Deus, cujo Nome é santo, escolheu este canto da bela Europa, para não usar o étimo que igualmente designa o lugar fisiológico de extracção do que já não presta, para plantar uma nação de ladrões.

[Read more…]

Breve sumário da crise política brasileira

A era da informação trouxe-nos um obstáculo de maior quando nos debruçamos perante este tipo de acontecimentos: a cada hora que passa, o rol de informações e contra-informações que os órgãos de comunicação social nos dão a conhecer a uma velocidade, diria, de torpedo, fazem com que por vezes, o nosso discernimento sobre o ponto de situação seja cada vez mais difícil e confuso. Grande valia no mundo actual é conseguir, no meio do cataclismo informativo que nos injectam, conseguir criar uma âncora que nos permita fundar uma opinião limpa e isenta.

Sobre a actual crise brasileira, resumidamente, chego a 4 conclusões e 3 dúvidas:

[Read more…]

Banca, negócios e esquemas

A edição de hoje do Público traz um exemplo do que poderia ser o jornalismo com mais frequência. Uma investigação sobre negócios envolvendo a banca, prejuízo para o Estado e olhos fechados da CMVM e BdP.

2016-03-20 publico.pt infografia OPA Montepio

O Ministério Público abriu em Fevereiro um inquérito a um negócio imobiliário de 32,4 milhões de euros, firmado entre ex-banqueiros, gestores e empresários ligados ao Finibanco e que foi fechado em 2013, no Montepio. Apesar de decorrer em paralelo à OPA, Banco de Portugal e CMVM não o detectaram. [Público, 20/03/2016, Cristina Ferreira]

É a história de um esquema continuado ao longo do tempo, perante a conivência de instituições de fachada, com os resultados que temos vindo a conhecer. Por vezes ouvimos falar dos empresários e das virtudes das suas iniciativas. Depois vemos os grandes negócios sustentados pela fraude e, sendo tantos os exemplos e tal a extensão do ataque ao Estado, pergunto-me se será disto que estarão a falar.

Balões de água a rebentar


Ed Horsford
clicar nas imagens para ampliar

Psicopolítica

IMG_3057

Byung-Chul Han é natural de Seul, onde nasceu em 1959 e onde estudou Metalurgia.

No fim da década de 80 emigrou para a Alemanha para estudar Filosofia na Universidade de Friburgo e Literatura Alemã e Teologia na Universidade de Munique. Actualmente ensina Filosofia na Universidade das Artes de Berlim.

Psicopolítica está editado em Portugal pela Relógio de Água e faz uma análise crítica sobre as novas técnicas de poder usadas pelo capitalismo, técnicas essas fundadas na influência sobre vida psíquica, eleita doravante como principal força de produção.

A psicopolítica, tal como o autor a entende, serve-se do Big Data, uma espécie de Big Brother Digital, que faz uso dos dados e informações pessoais que os indivíduos partilham de modo voluntário, podendo assim não só prever os seus comportamentos, mas influenciá-los ao nível do subconsciente.

[Read more…]

Missa e escola

O presidente da Confederação de Pais e Encarregados de Educação defendeu a realização de missas na Escola Pública. Há mesmo escolas no Norte que já o fazem, e em horário lectivo, relegando os alunos que não participam para salas de espera. Tal é ilegal, inconstitucional. A liberdade de culto só pode ser garantida por um Estado laico. Forçar as situações nesta questão é abusivo, provocador e imprudente. Não faltam os templos – grande parte deles propriedade do Estado, que os cede benevolamente – onde os cultos naturalmente ocorrem. Forçar o culto religioso nas Escolas Públicas é ostentar um abuso de posição, saudade de uma hegemonia há muito e em boa hora perdida. Não forcem, pois, não joguem em conflitos há muito ultrapassados e que nada trazem de bom Já basta o que basta.