Foda-se, Passos. É preciso não ter um pingo de vergonha na cara

Passos a fumar SG Gigante

É o regresso da versão mentiroso-compulsivo. Em poucos minutos (segundos?) de declarações à TSF, Pedro Passos Coelho conseguiu mentir tantas vezes que chega a não parecer real. E o mais ridículo é que nem precisava de ter entrado por aí. Bastava-lhe ter dito que a ida de Maria Luís Albuquerque para a Arrow era legal, que a senhora ainda está em condições para um dia liderar o PSD ou governar e que gosta muito dela. E não dizia mais nada. Fazia o seu papel, a malta do partido ficava toda contente com a vinda a terreiro para defender a pseudo-Margaret Thatcher e ficava bem na fotografia da imprensa tutelada pelo ministério da propaganda.

Mas Passos tem esse problema com a honestidade, mesmo quando as câmaras estão por perto. Falar sem rede não é com este deputado. Chegava defender e elogiar a amiga? Chegava, mas não era a mesma coisa. Então recorre-se à mentira fácil, daquelas de perna muito curta, pouco importa. Quem se presta ao papel de engolir engole mesmo qualquer coisa. Disse o ex-primeiro-ministro:

Foi convidada para uma empresa que não atua diretamente sequer em Portugal, não negoceia com bancos em Portugal. Há outras empresas que o fazem e o fizeram, mas a doutora Maria Luís Albuquerque não está a trabalhar com essas empresas: está a trabalhar com uma empresa cotada em Londres e não intervêm diretamente no mercado português.

Portanto a Arrow Global, que contratou Albuquerque, “não atua directamente” ou tampouco “negoceia com bancos em Portugal”. Isso são outras diz ele. Mas, apesar de ser público que a nova empregadora da sua ex-ministra comprou e vendeu créditos do Banif, Passos não desarma. O Jornal de Negócios, certamente ao serviço das redes tentaculares leais a esquerda radical, desmente categoricamente Passos Coelho:

Compra dívida a bancos e empresas para, depois, negociá-la. Fez negócios com o Banif. E adquiriu uma empresa portuguesa do Lehman Brothers. O seu negócio torna-a numa das grandes litigantes nos tribunais portugueses.

No mesmo dia em que anunciou a contratação de Maria Luís Albuquerque como administradora não executiva, a Arrow Global anunciou resultados. “2015 foi outro ano de recordes e outro ano em que cumprimos os objectivos”, diz a empresa. Para isso, contribuiu o investimento em Portugal. Um investimento que envolve Banif, Lehman Brothers e encheu os tribunais com cobranças de dívida.

(…) Gestora britânica investe no crédito malparado em Portugal”, foi uma notícia dada a 1 de Abril de 2015. Foi nesse dia que a Arrow anunciou a compra da Whitestar, uma empresa criada em 2005 pelo Lehman Brothers para agregar o crédito em incumprimento (ou em risco de incumprimento) em Portugal.

(…) Um dos bancos foi o Banif. Como o Expresso começou por notar, no relatório de gestão e contas de 2014, o Banif anunciava ter assinado “contratos de compra e venda de créditos compostos pelas carteiras de Portugal e Espanha, à Arrow Global Limited e à Arrow Global Luna Limited, respectivamente”. Nesta altura, o Banif era já um banco sob o jugo público dada a injecção de 1,1 mil milhões de euros feita pelo Estado através do Ministério das Finanças em Janeiro de 2013 – nesta altura, Maria Luís Albuquerque era secretária de Estado do Tesouro e Finanças, chegando a ministra em Junho de 2013.

(…) Aliás, o país é mesmo um dos destaques no comunicado de resultados de 2015: “Aquisição da Whitestar e Gesphone em Portugal, criando escala e capacidade de gestão em várias classes de activos”. Compras que garantem a “sustentabilidade das receitas no longo prazo”. No documento, em que menciona o “recorde de crescimento” no ano passado, a Arrow fala num investimento total de 216,3 milhões de libras (278 milhões de euros) em 2015: 180,3 milhões de libras representaram aquisições de carteiras. “Durante o ano, fizemos uma série de significativas compras de carteiras em Portugal e na Holanda”.

(…) Em Portugal, temos mais de 650 mil carteiras de clientes”, revela ainda a Arrow Global.

O nome da britânica é desconhecido do grande público mas não do portal Citius, que agrega informações do mundo da justiça em Portugal: a empresa é uma das grandes litigantes no país.

É com esta ligeireza que Pedro Passos Coelho mente aos portugueses que quer governar. Tal como fez em 2011 quando queria o poder. Ou quando em Setembro de 2014 mentiu sobre as suas incompatibilidades parlamentares. Ou quando enrolou o país no embuste da sobretaxa, mesmo em cima das Legislativas. Ou sobre o convite à emigração. São tantas que se torna exaustivo continuar com a lista. E sempre sem um pingo de vergonha na cara. E ainda há quem queira fazer deste indivíduo um herói nacional. Depois ficamos admirados por ser integrar o terceiro mundo dos países industrializados.

Comments

  1. Carvalho says:

    E por que raio continuamos a perder tempo com este enorme monte de merda do PPC?
    Este sujeito é passado. Um passado vergonhoso, é certo. Mas agora há que olhar para a frente.
    O energúmeno que bolse o que quiser.
    Para mim, o que sai da boca de PPC tem exactamente o mesmo valor que aquilo que lhe sai do cu: ZERO!

    • j. manuel cordeiro says:

      O que propõe é conhecido, nos meios militares, como fogo amigo: parte daqueles que estão (ou aparentam estar) do mesmo lado da barricada, mas mata na mesma.

      O que propõe é deixar Passos Coelho a falar abundantemente, como tem feito, e a ser amplamente ampliado pela comunicação social. Mas que conveniente! Quem ainda faz algum contraditório calar-se-ia e a máquina de propaganda da direita continuaria a bombardear. Muito bem.

      • Carvalho says:

        O que proponho é que, já que não o podemos matar (eu sei, é tentador, mas acho que é ilegal) o melhor é ignorar a besta. Que fale sozinho. Se ninguém lhe ligar há-de acabar por se calar.
        Estar a discutir com o animal é dar-lhe mais importância do que merece.
        Mas você tem a sua opinião e eu tenho a minha.


    • Apresenta-se como próximo PM português. E isso é suficiente para não lhe tolerar mentiras deste calibre. Simples.

  2. Thief says:

    Isto já é um caso patológico. O homem já não consegue dizer duas frases, sem que meta as pernas pelas mãos.

  3. E. Dias says:

    Deixem falar o homem, ponham-lhe à frente todas as câmaras e microfones e não o deixem calar-se. Deixem-no ir cavando o seu próprio buraco, em directo. Façam com que ele fale, fale. Em directo e a cores!
    É serviço público!


  4. isto é que é mesmo um festival de manipulação de ignorancia popular….então eles compram credito mal parado…se ganham dinheiro com isso qual é o mal? dpeois o banif tinha gestão propria, ou seja se vendeu creditos mal parados que tinha por certo não foi a maria nem o passos, além de terem feito receita…ou seja não negociou com o estado portugues como e declarado…quem é que é mentiroso compulsivo senão o autor deste post que distorce tudo?

    • Cardoso says:

      O autor do post distorce tudo, mas o Eduardo com duas cuspidelas para o ar repõe tudo no lugar….O que seria de nós sem este génio.


    • E onde é que o autor deste post mentiu? Deu-se pelo menos ao trabalho de ler o post? Ou é será apenas um tropinha de choque indignado?


  5. So no Meu país e que um primeiro ministro que nao paga as suas obrigações fiscais nao se demite e ganha eleiçoes. Algo vai muito mal no Meu Portugal.

  6. Adao says:

    Aldrabão porque não te calas, já não há pachorra para te ouvir


  7. A ligeira com que mente é a mesma que utilizou na campanha para as legislativas, quando disse aos lesados do Bes: Façam uma subscrição pública e eu serei o primeiro subscritor a assinar.

  8. Eduardo Bramão says:

    E não haverá nenhum idiota de jornalista que desminta aquela cara estanhada?

  9. Sem cor says:

    Acho q isto é um problema de cores, à esquerda diz-se mal da direita, á direita diz-se mal da esquerda, podem meter as cores pelo cu a cima, tem sido tudo igual uma cambada de chulos, e vos alimentam tudo isto com os vossos comentários “coloridos” e vem tudo com óculos da vossa cor

  10. Zé Teixeira says:

    NO INICIO DA SUA CARREIRA POLITICA E EXTREMAMENTE ERA “COCADO ” APESAR DAS TENTATIVAS DE CURA, TORNOU-SE NO AFILHADO DO CAVACO E OUTROS PADRINHOS E COMEÇOU COMO UM DOS PRINCIPAIS PEÕES APROVADO PELA TEIA DA CORRUPÇÃO, QUE TRANSFORMOU PORTUGAL NUMA MÁQUINA DE LAVAR DINHEIRO SANGRENTO, ORIUNDO DE ÁFRICA, ASIA E…
    PARA ELE E OS SEUS COMPARSAS, AS PESSOAS NÃO PASSAM DE SIMPLES NÚMEROS E A PROVA ESTÁ NOS SUICÍDIOS PROVOCADOS PELAS MEDIDAS DE AUSTERIDADE IMPOSTAS PELA CORRUPÇÃO POLÍTICA COM INTERESSES FINANCEIROS. A MAIORIA DESTES SUICÍDIOS NÃO FORAM NOTICIADOS E A POBREZA EM QUE CAÍRAM MILHARES DE FAMÍLIAS NÃO FOI DEVIDAMENTE RETRATADA …
    NÃO TENHO COR POLITICA NEM RELIGIÃO E ACREDITO MAIS NUM CÃO DO QUE NO HOMEM.
    NÃO EXISTE JUSTIÇA E DINHEIRO QUE PAGUE UMA VIDA.

  11. Zé Teixeira says:

    No comentário anterior que fiz queria dizer: NO INICIO DA SUA CARREIRA ERA EXTREMAMENTE “COCADO”… E APESAR DAS VÁRIAS TENTATIVAS DE CURA A QUE FOI SUBMETIDO CONTINUOU… FOI RECOMENDADO E TORNOU-SE NO AFILHADO DO CAVACO E OUTROS PADRINHOS, COM QUEM COMEÇOU UMA RELAÇÃO COMO UM DOS PRINCIPAIS PEÕES, DEPOIS DE SER ACEITE PELA TEIA DA CORRUPÇÃO, QUE TRANSFORMOU PORTUGAL NUMA MÁQUINA DE LAVAR DINHEIRO SANGRENTO, ORIUNDO DE PAÍSES DA ÁFRICA, ASIA E…
    PARA ELE E OS SEUS COMPARSAS, AS PESSOAS NÃO PASSAM DE SIMPLES NÚMEROS E A PROVA ESTÁ NOS SUICÍDIOS PROVOCADOS PELAS MEDIDAS DE AUSTERIDADE IMPOSTAS PELA CORRUPÇÃO POLÍTICA COM INTERESSES FINANCEIROS. A MAIORIA DESTES SUICÍDIOS NÃO FORAM NOTICIADOS E A POBREZA EM QUE CAÍRAM MILHARES DE FAMÍLIAS NÃO FOI DEVIDAMENTE RETRATADA …
    NÃO TENHO COR POLITICA NEM RELIGIÃO E ACREDITO MAIS NUM CÃO DO QUE NO HOMEM.
    NÃO EXISTE JUSTIÇA E DINHEIRO QUE PAGUE UMA VIDA, ENQUANTO O DINHEIRO FOR O PODER.

Trackbacks


  1. […] de 2011 tinham um propósito, alguns episódios mais recentes são difíceis de explicar. Quando há dois meses atrás mentiu sobre a nova entidade empregadora da companheira Maria Luís Alb…, Passos Coelho poderia ter-se limitado a afirmar a legalidade da situação da ex-ministra, apesar […]


  2. […] Hoje, porém, o tema são as regras de boa educação na política. O líder do PSD, que pediu a Costa mais serenidade e melhor escolha de palavras, é alguém que, em entrevista publicada na passada semana no DN, afirmou que “O governo tem o dever de cumprir a legislatura que roubou“. Dias depois, o mesmo Passos Coelho afirmou que o que se passa no Novo Banco é “quase criminoso“. Eis pois, o conceito de “melhor escolha de palavras” para o ressabiado líder da oposição: o normal funcionamento da democracia representativa é um roubo e aquilo que se passa no Novo Banco, apesar de ter sido sob a sua batuta que tudo se desenrolou, é “quase criminoso“. Depois disto, penso que os vencedores do prémio Cara de Pau 2015 irão, sem dificuldade, revalidar o título em 2016. Sem um pingo de vergonha na cara. […]


  3. […] já vai quase em três meses para corrigir aquela balela das inaugurações. Meio ano no caso daquela outra sobre o novo patrão da sua antiga ministra. E hoje ficamos por aqui. Parafraseando Miguel […]


  4. […] à era da Geringonça, no ano da graça de 2016, Passos Coelho mentiu sobre a Arrow Global, que contratou Maria Luís Albuquerque, ao afirmar que o fundo “não atua directamente” ou […]


  5. […] disse durante a campanha que o conduziu ao governo, entre outras mentiras descaradas como esta, esta ou esta. Ou esta […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.