O Observador e a Tecnoforma


Tecnoforma

Estou certo de que a exposição do artista Silvestre Pestana é de elevado valor, mas há outra Tecnoforma que está tristemente caída no esquecimento e que também requer a nossa atenção. Ainda que a arte, sem sombra de dúvida, mereça mais destaque do que formações inúteis e despesistas para aeroportos desactivados, com recurso a esquemas pouco transparentes. Cada um acautela o futuro como pode. Mas, quem sabe, talvez um dia o Observador decida regressar a este tema.

(risos)

Comments

  1. anónimo says:

    Finalmente.
    A guerra civil que os EUA levaram a outros países, como forma de os enfraquecer e de melhor os explorar, essa guerra civil chegou aos EUA.
    É o povo dos EUA, os chamados afro americanos, que resistem à violência, à prepotência, e ao racismo, das designadas “forças da ordem”.
    De facto, o povo é morto a sangue frio, por ser pobre e por ter a pele negra, pelos polícias designados “caucasianos”, que quer dizer que têm a pele branca.
    É o país que diz que defende a democracia, a liberdade e a igualdade, mas que põe o resto do mundo a ferro e fogo. E depois armam-se em vítimas, para justificarem a violência e o roubo, que praticam sobre todo o mundo.
    O povo dos EUA vai eleger um novo presidente, vai escolher entre 1) uma secretária do estado que, nos mandatos do Obama, expandiu a agressão dos EUA ao Norte de África, Médio Oriente, e ameaça Irão e Rússia; e 2) um louco desvairado.
    A terceira via é 3) pegar em armas e começar a defender-se.

  2. joão lopes says:

    o passos nunca foi um tecnico…em forma.

  3. saudades do antigamente says:

    Então os USA não foram sempre assim?
    Se não fizerem umas guerras na casa dos outros como é que o complexo militar de armamento, (Estudo e desenvolvimento de novas armas e posterior venda dos antigos stocks aos parolos como Portugal, Grécia, Espanha etc…) ganhava dinheiro e postos de trabalho?

    • anónimo says:

      A novidade é que o povo dos EUA começa a organizar-se e a ripostar aos assassinatos cometidos pelo regime racista dos EUA.
      A novidade é que os cidadãos dos EUA começam a sentir na própria pele, o que é viver em guerra civil. Sem ninguém os atacar.
      A ver vamos como é que o Capital vai reagir.
      A ver vamos como é que o eleitorado vai reagir.

  4. Ana A. says:

    “Mas, quem sabe, talvez um dia o Observador decida regressar a este tema.”

    Não será só o Observador que “terá” que regressar a este tema! Pelos vistos o Passos e a Tecnoforma são mote para se dissertar sobre a política dos EUA…(pela pequena amostra dos comentários).
    Quanto a mim, sobre este assunto, penso que infelizmente estes comportamentos reprováveis já estão tão banalizados que “basta” falar deles uma ou duas vezes e depois: “arquive-se” na memória colectiva. É o que temos!

  5. anónimo says:

    Desculpem.
    De facto, “talvez um dia o Observador decida” regressar ao tema das aldrabices do canalha Passos, é um “talvez” que muito nos deve preocupar. Isto é que é o cerne da “política” que temos.
    Já a revolta armada do povo negro dos EUA, enquanto o Obama congemina com os governantes europeus novas agressões da NATO contra a Rússia, são factos de somenos importância para Portugal e para a humanidade.
    É o que temos.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s