Alemanha, perdão, CE, aplica sanções à França

E vai ser por um défice de 2.

A Assembleia da República está em brasa!

O Passos, canhestro e faceiro, atacou. Depois, desabou-lhe o céu em cima da cabeça. Parte do grupo parlamentar do PSD, desagradado e com a sua frágil sensibilidade ofendida, abandonou a sala. A parte restante – posta restante? -, num elegante protesto, pateia e bate com e nas mesas. Assunção Cristas, excitadíssima e em vertigem verbal, defende que o actual governo devia martelar as contas de 2015 e introduz no Parlamento – o progresso não para! – a tecnologia do cartolina-point! Em vão. A direita não atina nem afina. Deve ser por coincidência que, à mesma hora que começava o debate do estado da Nação, os seus aliados na União Europeia iniciavam, em Bruxelas, a conferência de ameaça ao Estado Português ( se bem que, se bem me lembro, o meu avô me avisava, há muitos anos, que desconfiasse das coincidências…).

O jogo de hoje

image

Vai começar o jogo França-Alemanha. Nestas alturas, parece que temos de tomar partido. Eu, que naquilo que mais importa nunca hesitei no imperativo da escolha, recuso-me a fazê-lo agora. É mais divertido, concordo, se escolhermos um lado. Mas não consigo. É que, apesar de tudo – tudo, tudo, tudo…- não me move qualquer fobia em relação a qualquer dos contendores. Ouço os Hinos e sinto o habitual afecto por “La Marsellaise” e a admiração pela magnifica peça musical que é “Deutschland, Deutschland über alles” – ou não houvesse aqui a mão de Haydn. Por muito que abominemos os poderosos que nos envenenam a vida e nos tentam devorar a liberdade, o meu alvo não vai além deles. Nunca sofri de qualquer francofobia ou germanofobia. Como poderia, se tal seria negar muito do que sou, muito do que somos? Para lá das circunstâncias do tempo, o que melhor fica dos povos é a sua cultura, a sua herança emancipadora. E ambos os povos nos deixaram tesouros inestimáveis. Pena que nestes tempos de integração forçada se vá perdendo a fraternidade criadora.

Então o 12.º jogador é este…

jogador

«La photo d’équipe de la Selecção»?

selecção3

© Matthias Hangst/Getty Images (http://bit.ly/29AqWlp)

Qui s’affecte d’une insulte, s’infecte.

— Jean Cocteau, “Journal d’un inconnu

***

Exactamente: «la photo d’équipe de la Selecção».

Efectivamente.

Jornal de referência…….

O Público de ontem trazia um extenso trabalho sobre o caso do Museu da Presidência da República. Nem uma palavra quanto ao facto do não cumprimento da lei no gasto dos dinheiros públicos.