UE contra cidadãos europeus: STOP CETA, STOP TTIP! – 2

cetaklage

125.000 contra o CETA Tribunal Constitucional

Estamos no sprint final para a assinatura do CETA, o Acordo Económico e Comercial Global entre a UE e o Canadá, prevista para o final de Outubro aquando da vinda de Trudeau a Bruxelas para a Cimeira UE-Canadá (28-29.10.16).

O CETA que, após aprovação do Parlamento Europeu, deverá ser “provisoriamente aplicado” antes da ratificação nos parlamentos nacionais, prevê a criação de uma comissão mista na qual os estados membros da UE não estão representados e que tem competência para alterar anexos e protocolos até tornar o texto original do acordo totalmente irreconhecível. E que vai possibilitar às 42.000 companhias americanas sediadas no Canadá, incluindo a Monsanto e as grandes empresas de energia, processarem os estados quando considerarem que os seus lucros podem estar ameaçados.

Foram hoje entregues ao tribunal constitucional de Karlsruhe as procurações de mais de 125.000 cidadãos que subscrevem uma queixa de inconstitucionalidade do CETA, a segunda apresentada a este tribunal. Foi ainda entregue um pedido de urgência, cujo objectivo é uma decisão do tribunal constitucional que impeça a Alemanha de se pronunciar a favor da assinatura e da aplicação provisória do CETA. Reuniram-se mais de 200 activistas em frente do tribunal e formaram uma corrente humana ao longo da qual foram passando os 70 pacotes com as procurações que apoiam a queixa constitucional. Estiveram presentes cerca de 20 representantes dos media, entre os quais os dois programas de televisão públicos ARD e ZDF e a acção foi divulgada nos principais jornais e telejornais.

Em Portugal, faça o CETA-Check e esteja atento, foi entregue uma petição pública que irá ser discutida na Assembleia da República, em data a divulgar.

A contratação, a contração e a contracção

DSC_0334

© F.M. Valada, 25/8/2016

There was a picture of Florence in Behavioral Science at Quantico, shown him as a curiosity. It was the same view he was seeing now, old Florence from the Belvedere, the best view there is.

— Thomas Harris, “Hannibal

***

Para legenda de fotografia com os excelentes Rui Vitória e José Mourinho, Hugo Gil e Benfica escreveu

Contração para adjunto

em vez de

Contratação para adjunto

hugo gil e benfica

Durante muitos minutos, os polegares esticados, os corações e os sorrisos feicebuquianos foram aparecendo — passados dezasseis comentários, alguém deu pela gralha:

Contração??? Estavam apertados???

Entretanto, Hugo Gil e Benfica [Read more…]

Como a Apple e o resto do Silicon Valley fogem aos impostos


A ler na Wired.

Democracia deposta no Brasil

O golpe foi consumado esta quarta-feira no Senado brasileiro. Dilma Rousseff foi afastada do cargo e Michel Temer assume, definitivamente, a presidência do país até 2018. Era um resultado previsível mas, quando acreditamos na Democracia e na Justiça, é um murro no estômago. E, na verdade, é um murro em mais 54 milhões de votos, na Educação, na Saúde, na Justiça, na Democracia. É um “chega para lá” em milhões de pessoas.

[Read more…]

O Observador (uma vez mais) ao serviço do PSD

O

No Parlamento, o deputado Hugo Soares considerou que determinados dados económicos comprovam que o “modelo económico seguido pelo Governo das esquerdas falhou“. Falamos do mesmo Hugo Soares que alegou “motivos de força maior” para faltar à sessão parlamentar no dia em que viajou para França, alegadamente a convite de um empresário, para assistir a um jogo do Euro 2016. Penso que estamos conversados no que diz respeito à credibilidade do deputado em matéria de considerações.  [Read more…]

Quanto vale um político português em Angola?

Alfredo Muvuma


Segundo uma acusação jornalística, o valor pago pelo vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, a um procurador português (Orlando Figueira) para que este arquivasse os processos-crime de investigação que decorriam a propósito das suas actividades ilegais foi de € 300.000,00 (trezentos mil euros).

A confirmar-se esta informação, ficámos a saber que um procurador da República portuguesa valerá 300 mil euros no mercado da corrupção angolana.

Entretanto, por estes dias foi anunciado com pompa que o antigo vice-primeiro-ministro de Portugal e líder emérito do CDS-PP, Paulo Portas, seria o convidado de honra do VII Congresso do MPLA. Com menos pompa, ficámos também a saber que, uns dias antes, este cidadão português (que actualmente não exerce cargos públicos) recebera num gabinete da Assembleia da República Portuguesa funcionários de uma grande empresa de que é hoje consultor e que tem profundos interesses em Angola e na África em geral: a Mota-Engil. Aparentemente, as reuniões do cidadão, antigo vice-primeiro ministro, teriam servido para preparar os negócios desta companhia em Angola, antecipando a presença do cidadão de honra no Congresso do MPLA.
[Read more…]

Uma coça razoável

Esteve quatro anos do governo, no cargo de primeiro-ministro, e tem uma “noção razoável” daquilo que é a situação da CGD. Boa, podia ser pior. Não admira que Marques Mendes lhe aplique, a ele e à restante equipa do saudoso Pàf, uns belos açoites pela sua incompetência em matéria de sistema financeiro. Entre problemas empurrados com a barriga e lixo varrido para debaixo do tapete, a coça só não é monumental porque eles até são amigos e ainda jogam na mesma equipa. Mas não deixa de ser um momento para mais tarde recordar, com a chancela desse guru do comentário político e da consultoria privada. Uma coça razoável. E merecida.

Video: Geringonça/Luís Vargas

Cidade de Papel

Paper City © Maciek Janicki Animated.

«As ruas são pavimentadas com papel. Esta animação delicada segue a maravilhosa ascensão e quebra de uma metrópole frágil. Capturada por um helicóptero invisível, a narrativa desdobra-se em ruas sinuosas, florestas em erupção e montanhas emergentes. A Cidade de Papel cresce num plano fluido, com arranha-céus a levantarem-se a partir da página – apenas para se desintegrarem, se enrugarem e, suavemente, se dobrarem de volta ao chão. [Read more…]

Cultura moderna no Jornal de Notícias

Fanny

Chique a valer!

Via: Os truques da imprensa portuguesa

Bilhete do Canadá – Fenómeno curioso


Continua a Universidade de Verão do PSD, diz a RTP. Passam imagens de molhos de jotinhas a agitar bandeiras da loja e a babarem-se à ideia de virem a ter tacho garantido. Um magrote, sem graça nenhuma, disse sem se rir que está a preparar-se para ser primeiro-ministro. Temos de reconhecer que o Passos Coelho, a Maria Luís Albuquerque, o Relvas, o MarquinToino e quejandos, fizeram escola. O mesmo acaba de se passar com o CDS.

E eis que os criadores de gado entram em fúria porque a palha encareceu. É isto todos os anos. Coisa estranha! Porque será?

Pobre Apple

apple

Barraca da Apple no sul da Irlanda Imagem: Spiegel

Num paraíso fiscal chamado Irlanda, a Apple pagou uma taxa efectiva de imposto que baixou de 1% em 2003 para 0,005% em 2014  (quer dizer, 50 euros de imposto por um milhão de lucro); já os privilegiados dos contribuintes médios europeus têm direito a qualquer coisa entre 20% e 30% ou mais. É que a Apple estava mesmo a precisar de um “auxílio estatal” especial para ela, pobrezinha!

E como isto é uma grande injustiça, valorosamente, a Apple vai apresentar recurso da decisão da Comissão Europeia, para não ter de pagar os 13 mil milhões  adicionais que deve (vá lá, convenhamos que desta a Comissão fez um bonito, só falta não se esquecer agora da Starbucks e co.). E o mais provável é conseguir, pelo menos, uma forte redução desse valor, ameaçando que esta decisão “vai ter profundas consequências negativas para o investimento e para a criação de postos de trabalho na Europa”. Tanto mais que o ministério das finanças americano já criticou aberta e duramente o procedimento de Bruxelas na determinação de impostos, acusando a Comissão de querer agir como uma espécie de autoridade fiscal supranacional e prejudicar as empresas americanas. E como os americanos não se deixam ficar para trás nunca, já ameaçaram a Europa com uma guerra de impostos.  Äh…, alguém disse TTIP?

«Books to give you hope»

O Livro do Desassossego.

O que ERA a Ongoing?

SCAB

Foto@Sol

Em 2010, durante uma sessão da Comissão de Ética na Assembleia da República, o então deputado Agostinho Branquinho levantou uma célebre questão:

O que é que é a Ongoing?

Meses depois, o então vice-presidente da bancada parlamentar do PSD despedia-se do hemiciclo e rumava ao Brasil, para dirigir uma empresa do grupo. Para trás ficava um Agostinho Branquinho visivelmente indignado, que questionava a opacidade da informação disponível sobre o grupo e a proximidade entre o governo Sócrates e o Diário Económico, controlado pela Ongoing, mas que não hesitou em dar largas ao seu lado mais empreendedor juntando-se ao negócio. Nunca mais lhe ouvimos uma palavra sobre o assunto. [Read more…]

Respeitar os Professores

É, por exemplo, dar tempo para fazer a mala! Sr. Ministro, vai demorar muito a publicar as listas?

O Acordo Ortográfico de 1990 explicado por Dilma Rousseff

Generated by IJG JPEG Library

© Igo Estrela / Getty Images (http://bit.ly/2bMqB1b)

“I want so to see the Arno. The rooms the Signora promised us in her letter would have looked over the Arno. The Signora had no business to do it at all. Oh, it is a shame!”

— E. M. Forster, “A Room with a View

***

Hoje, durante o discurso inicial de defesa, Dilma Rousseff explicou as razões pelas quais o Acordo Ortográfico de 1990 é perfeitamente inútil.

Por exemplo, no discurso de Rousseff há duas ocorrências de «ruptura democrática» e uma ocorrência de «ruptura institucional». Ora, segundo o estabelecido no AO90, ruptura mantém-se no português do Brasil, mas deixou de existir em português europeu: criou-se a *rutura. Exactamente, aquela que já em 1999 parecia “injustificada“. Efectivamente.

Quanto ao aspecto, Rousseff volta a referi-lo:

Nos últimos dias, novos fatos evidenciaram outro aspecto da trama que caracteriza este processo de impeachment.

O aspecto foi proscrito da norma portuguesa europeia. O aspecto português europeu é outra vítima do AO90: criou-se o *aspeto. Quanto aos “novos fatos”, todos sabemos onde encontrá-los: sim, eles existem.

Obrigado, Dilma Rousseff, por esta lição.

***

Quem não deve não teme

Marco António Costa recebe a Medalha de Mérito Municipal, Grau Ouro, do Presidente da Câmara de Gaia

Gaia, Dia do Município. Marco António Costa recebe a Medalha de Mérito Municipal, Grau Ouro, do Presidente da Câmara, Eduardo Vítor Rodrigues

A seguir a estas palavras, para as quais peço alguma paciência, está uma ligação para um texto escrito pelo Presidente da Câmara Municipal de Gaia e publicado ontem no seu perfil do Facebook. Julgo que quem se der ao trabalho de o ler e tiver ainda o sentido da decência, perceberá por que prefiro não o transcrever aqui.

Fui alertado durante o dia de ontem por várias pessoas ligadas ao Partido Socialista e à Câmara Municipal de Gaia para um texto publicado pelo Professor Doutor Eduardo Vítor Rodrigues e cujo teor, de uma violência inusitada, se dirigia a mim.

Ao deparar-me com o texto, se assim se pode chamar, e após a demorada e atenta leitura das 1931 palavras que o compõem, em nenhuma delas encontrei o meu nome, Bruno Santos. Toda a gente do meio político e municipal percebeu que o texto se dirigia a mim, mas o Professor Doutor Eduardo Vítor Rodrigues foi capaz de montar um ataque pessoal e político do mais violento e ignominioso que tenho visto, sem ter tido a coragem mínima de dar nome ao alvo da sua fúria, sem ter escrito uma única vez o meu nome. 1931 palavras e nem uma única vez aparecem essas duas: Bruno Santos.

[Read more…]

Pôr o dinheiro num país dirigido por comunistas?

JamaisCoisas com comunas só se for para lhes dar o controlo de empresas estratégicas para o país, como a REN.

O suposto fracasso do Tratado Transatlântico (TTIP): à atenção do Público

gabriel zdf3

Imagem ZDF

Embora não valha a pena dar-lhes grande credibilidade, as declarações de Sigmar Gabriel sobre o fracasso do TTIP conseguiram em Portugal (onde os previstos acordos continuam a ser desconhecidos pela grande maioria) entristecer gente que anda a acenar as bandeiras ameaçadoras do costume, com o papão chinês e afins. É desta ala que se faz porta-voz o jornal Público, dedicando o seu editorial de hoje ao grave risco de mudança “do principal eixo gravitacional do Mundo para outras latitudes“. Este dilecto argumento neoliberal faz lembrar o dos anúncios de naufrágio de Portugal às mãos da geringonça portuguesa.

Já a ingenuidade final deste editorial é comovente, diz assim: “Se o tratado é, pelo que se consegue saber no seu secretismo, uma ameaça a um modelo social europeu que os seus cidadãos defendem, seria bom que fosse reajustado com novas negociações“. O suposto fracasso dever-se-ia então à falta de persistência dos negociadores ??? Relembro apenas dois conceitos-chave: princípio da precaução e ISDS. Há incompatibilidades que não são solucionáveis, a menos que uma das partes se submeta. E a isso os cidadãos disseram não.

[Read more…]

Ao sul

Homem e cão, uma única mancha negra pelo areal, com os banhistas a lançar mão ao saco à sua passagem, a guardar o telemóvel, a carteira com o dinheiro para o almoço, tão inquietante será esse negro no areal dourado? Vieram os miúdos pedir-lhe que soltasse o cão, que o deixasse tomar banho, e o cão queria, via-se que sim, mas respeitava as ordens do dono. O homem caminhou devagar até à água, e então sim, confiou o cão aos miúdos, que nadassem com ele e se agarrassem ao seu dorso negro, golfinho improvável em águas límpidas. [Read more…]

Boa, Passos, partiste a loiça toda!

PPC

Adorava ver o deputado Pedro Passos Coelho repetir a pergunta, com aquela indignaçãozinha tão ternurenta que lhe vimos na TV, na presença dos camaradas do Partido Comunista Chinês, com quem tão boas memórias e negócios partilhou:

Quem é que põe dinheiro num país dirigido por comunistas e bloquistas?

Era capaz de ter a sua piada. Ter piada e ser piada porque, apesar da hibridez do regime, a China é um país dirigido por comunistas onde quase toda a gente quer investir. A Apple põe lá o seu dinheiro, a Google põe lá o seu dinheiro, a indústria automóvel põe lá o seu dinheiro, os grandes bancos e restantes piratas da alta finança põem lá o seu dinheiro, enfim, seria difícil um desabafo mais trapalhão mas a propaganda é o que é e os comícios de políticos desesperados precisam destas bacoradas.  [Read more…]

Procura-se

Autor desconhecido

Venha a nós a vossa viralidade, seja feita a vossa vontade

DDPPC

Antes de mais quero agradecer à página Os Truques da imprensa portuguesa por me dar a conhecer a maravilhosa página do PSD Europa no Facebook. Ainda estou a recuperar de tanta seriedade, mas lá chegará o tempo de a ela voltar. Hoje deixo-vos com um texto sacado a essa malta pecadora d’Os Truques, que ilustra bem a forma como muita da nossa imprensa promove, de forma permanente e deliberada, a agenda, a estratégia e a propaganda do PSD. Venha a nós a vossa viralidade, seja feita a vossa vontade.  [Read more…]

Bilhete do Canadá – Última hora

“Quem é que põe dinheiro num país dirigido por comunistas e bloquistas?”, pergunta Passos
Lusa, 28 Agosto 2016

Fontes que só bebem do fino e que adoram blogs, fazem chegar às nossas mãos um bilhete endereçado a Christine Lagarde, Angela Merkel, Schauble, Junker e Draghi.  Assinam Rockfeller, Selim, Soros e outros representantes do grande capital.  Reza assim a prosa:

“Queridos empregados – É de coração partido que ouvimos o grito de dor do nosso nunca por demais louvado Passos Coelho. O mainato tem razão.  Se não houver, em Portugal, um governo chefiado por ele que, garantidamente, conte com a Maria Luís Albuquerque, o Macedo, o Portas, o Relvas, a Cristas e o resto dos democrata-cristãos, nunca mais consentimos que se ponha um centavo em Portugal. Só entra dinheiro se o governo for deles, isto é, da nossa confiança. Ouro sobre azul seria entrar o Dias Loureiro para a pasta da Economia, o José Manuel Fernandes para tomar o travão de toda a comunicação social, o Duarte Lima para o Banco de Portugal.  Os Senhores, queridos empregados, têm a faca e o queijo na mão para procederem à mudança.  Tratem de agir. É uma ordem.”

Imagem: Miguel Baltazar

Areia para os olhos

demos sept

POR UM COMÉRCIO JUSTO! SÁB. 17.SET. 2016 – 7 Manifestações simultâneas em Berlim, Frankfurt, Hamburgo, Colónia, Leipzig, Munique e Estugarda!

Sigmar Gabriel, ministro da economia e presidente do SPD, aproveitou a “entrevista de Verão” do canal público de televisão ZDF para anunciar o que já se estava a perceber: que as negociações do TTIP “fracassaram”. E aproveitou porquê? É que Gabriel, que andou longamente a defender o TTIP, está entalado no seu próprio partido no que toca ao CETA, o acordo com o Canadá. Apesar de toda a pressão que anda a fazer em favor deste tratado (no partido usando o “método Basta!”, em reuniões nos bastidores com os sindicatos, em declarações nos media, com um convite a Freeman para participar no próximo congresso) há uma considerável ala de esquerda que defende que também o CETA ultrapassa as linhas vermelhas do partido e que vai votar contra no congresso de 19 de Setembro, dedicado ao CETA. Oportunista como é (ou será simplesmente, político de gema como é?), Gabriel lança esta grande novidade para tirar a força à oposição dos cidadãos e do seu próprio partido em relação ao CETA, desviando assim as atenções e procurando obter a simpatia geral. Quando voltar a ser altura de repescar o TTIP logo se vê, provavelmente vai colocar isso no cimo da sua “to do list”. E já agora, porque não terminam já as negociações, se estão fracassadas?

Certo é que o hipotético fracasso do TTIP é consequência, sobretudo, da recusa dos cidadãos em embarcar nele. Mas Gabriel pode esperar, no dia 17 de Setembro vamos para a rua contra o CETA em Berlim, Frankfurt, Hamburgo, Colónia, Leipzig, Munique, Estugarda e ainda em Viena, Linz e Salzburgo. Porque, ao contrário do que afirmam Gabriel ou Santos Silva, o CETA não é um bom acordo; é um acordo em os interesses dos investidores valem mais do que os dos cidadãos!

 

Cuidado com a corrente do Facebook, mas no que respeita aos anúncios de perigo

Roubo de dados pessoais e de endereços de IP, spam, phishing, burla, propagação de vírus e demais sete pragas do Egipto em versão digital foram os perigos que vários órgãos de comunicação social, alguns até dizendo-se como de referência, anunciaram como podendo acontecer a quem aderisse à corrente “Desafio aceite”.

Esta corrente consiste em publicar no Facebook uma foto a preto e branco, como forma de suporte à luta contra o cancro. Obviamente que nem essa luta ganhará com isso, nem os utilizadores do Facebook ficarão mais expostos do que quando publicam qualquer outra foto.

Na verdade, o único truque nesta campanha chama-se clickbait e é praticado, precisamente, pelos órgãos de comunicação social que publicaram no Facebook estas notícias alarmistas para atrair visitas para o seu site.   Onde, naturalmente, vendem publicidade em função do número de visitas.

Posto este esclarecimento, vamos lá começar uma campanha como deve ser. Se acha que o mundo não vai acabar amanhã às 22:53, tome um bom banho matinal e alimente-se bem, pois vai ser um dia longo.

UE contra cidadãos europeus: STOP CETA, STOP TTIP! – 1

14138727_1223047457727367_90661159288552714_o

Entrámos no sprint final do CETA, o Acordo Económico e Comercial Global entre a UE e o Canadá. Pretendem os dirigentes europeus assiná-lo no final de Outubro e, com a aprovação do Parlamento Europeu, proceder à sua “aplicação provisória” antes da ratificação nos parlamentos nacionais (conseguida pelo movimento de protesto).

Hoje, sábado, vai ser entregue ao tribunal constitucional de Karlsruhe uma queixa de inconstitucionalidade do CETA. A queixa é apresentada por uma professora de música de 70 anos de idade e subscrita, através de procuração (ver pacotes na foto), por mais 68.058 cidadãos alemães.

Chefes de estado e deputados, mais não sois do que representantes, “ouvide” o que temos para vos dizer: NÃO a tratados em que os interesses dos investidores valem mais do que os dos cidadãos!!!

Em Portugal, faça o CETA-Check (basta clicar nas questões preparadas) e esteja atento, é hora de acordar antes que seja tarde demais…

O que a vida parece através dos olhos de um eleitor Trump

(C) Rudy Mancuso

Câmara de Gaia, da propaganda à vitimização 


Foi já há mais de dois anos, em Janeiro de 2014, que a Quinta dos Avós, em Oliveira do Douro, Vila Nova de Gaia, um importante equipamento social para a infância e a terceira idade, foi oficialmente inaugurada pelo Presidente da Câmara, com a presença de altas individualidades, entre as quais se encontravam Agostinho Branquinho, então Secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social do governo PSD/CDS, que sucedeu no cargo a Marco António Costa, e até o Nobel da Paz, D. Ximenes Belo, que deu nome à rua onde se situa o edifício. Contudo, apesar de toda a solenidade e pompa da inauguração, que foi notícia em vários órgãos de comunicação social, o equipamento, com valências de lar para 40 idosos e creche para 66 crianças dos 0 aos 3 anos, permanece ainda hoje fechado.
[Read more…]

Desespero

Calais2

A Selva de Calais é o acampamento ilegal onde mais de 7 mil refugiados sobrevivem no meio de um lamaçal, agarrados a uma única ideia fixa: passar o canal da Mancha escondidos num dos inúmeros camiões que atravessam o Eurotúnel para chegarem a Inglaterra. Dia a dia, aumenta a tensão e a raiva, aumenta a violência dos polícias, dos refugiados, dos camionistas. É uma das feridas vergonhosas incrustada nesta Europa desunida e incapaz de encontrar soluções responsáveis e humanitárias, fingindo que pode continuar no business as usual. Merkel acaba de receber novamente um não categórico dos quatro chefes de estado do grupo de Visegrado em relação a uma política de refugiados com quotas obrigatórias para o acolhimento dos mesmos. Em vez disso, a Hungria e a República Checa consideram a segurança como tema prioritário e defendem a criação de um exército europeu.

Imagem: arte

Uma líder carismática

Cristas

Assunção Cristas, líder do CDS-PP, tem surpreendido pela originalidade da sua estratégia de oposição. É uma verdadeira lufada de ar fresco, no panorama político nacional, a facilidade com que relativiza questões tão sérias como a “dívida portuguesa”, adoptando múltiplas perspectivas sobre uma matéria tão sujeita, como se sabe, a uma certa subjectividade.
Carisma é também mostrar o lado cómico da tragédia em que se afunda o partido do táxi.