O que ERA a Ongoing?


SCAB

Foto@Sol

Em 2010, durante uma sessão da Comissão de Ética na Assembleia da República, o então deputado Agostinho Branquinho levantou uma célebre questão:

O que é que é a Ongoing?

Meses depois, o então vice-presidente da bancada parlamentar do PSD despedia-se do hemiciclo e rumava ao Brasil, para dirigir uma empresa do grupo. Para trás ficava um Agostinho Branquinho visivelmente indignado, que questionava a opacidade da informação disponível sobre o grupo e a proximidade entre o governo Sócrates e o Diário Económico, controlado pela Ongoing, mas que não hesitou em dar largas ao seu lado mais empreendedor juntando-se ao negócio. Nunca mais lhe ouvimos uma palavra sobre o assunto.

Muito se poderia escrever sobre a Ongoing, desde as recentes (e antigas) polémicas envolvendo o Diário Económico até ao estranho caso do espião Silva Carvalho e às ligações à maçonaria (a cúpula da empresa coabita com o núcleo duro do passismo na loja maçónica Mozart), mas este projecto, à parte do cheiro a esturro, sempre foi uma grande incógnita para mim. Na volta era tudo gente muito honesta, em busca de um ganha-pão digno, mas o minha veia de esquerda radical marxista-leninista-trotskista-maoista-chavista leva-me a crer que havia ali mais qualquer coisa. É que qualquer ignorante percebe que a ambição de controlar a comunicação social, lojas maçónicas que mais parecem sedes partidárias e antigos directores do SIED não é inofensiva e equivale a poder. Muito poder.

MO

Porém, o barco já há muito remendado acabou por ir ao fundo. No final da tarde de ontem, a Ongoing foi declarada insolvente, deixando para trás uma dívida de 1200 milhões de euros que ninguém vai pagar e que, one way or another, vai acabar diluída nos nossos impostos. Só BCP e Novo Banco, juntos, ficaram a ver passar navios carregados com 800 milhões de euros. E de quem é mesmo o Novo Banco? Exactamente. Mais uma factura para o otário suspeito do costume. Mas, já que estamos nisto, impõe-se a pergunta: porque raio havemos nós de pagar a porcaria que esses tipos fizeram? Não há bens para confiscar? Aposto que, se procurarem bem, deve haver por ali qualquer coisita de valor.

Claro que os culpados pelo colapso deste hino ao empreendedorismo, à transparência, à ética e ao mérito são o PCP, o BE, o PS, a Geringonça, os capitães de Abril, os sindicatos e o movimento LGBT. Se correu mal, a culpa foi da esquerdalhada. Mais uma para o Passos Coelho, a Maria Luís, o Relvas e o Macedo resolverem, assim que a justiça divina se impuser e o poder lhes for devolvido. Já eu fiquei na mesma estes anos todos. O que era mesmo a Ongoing?

NVO

Foto@Jornal de Negócios

Comments

  1. anónima says:

    “uma dívida de 1200 milhões de euros que ninguém vai pagar e que, one way or another, vai acabar diluída nos nossos impostos.”
    “Mais uma factura para o otário suspeito do costume. Mas, já que estamos nisto, impõe-se a pergunta: porque raio havemos nós de pagar a porcaria que esses tipos fizeram? Não há bens para confiscar? Aposto que, se procurarem bem, deve haver por ali qualquer coisita de valor.”

    “Claro que os culpados pelo colapso deste hino ao empreendedorismo, à transparência, à ética e ao mérito são o PCP, o BE, o PS, a Geringonça, os capitães de Abril, os sindicatos e o movimento LGBT. ”

    Claro que não. Estando o PCP, o BE, o PS (a Geringonça) no poder desta vez não vai ser o otário suspeito do costume a pagar (diluída nos nossos impostos). Disso tenho eu a certeza. Esse tempo em que o Estado pagava dívidas dos privados acabou!

  2. JgMenos says:

    Não há inocentes nessas histórias.
    Contam-se pelos dedos as falências declaradas fraudulentas ou culposas.
    E isso só pode ser o resultado de leis idiotas e de juízes incompetentes!

  3. Ernesto Pias says:

    Branqueamento do PS é ruim quando por muitos anos serviu como o baluarte a este regime corrupto que temos. O GOL não é tão diferente da GLRP. É fácil de ver que eu falo a verdade, como teria sido possível o GES, BCP, CGD, etc., agirem como eles agiram sem a aprovação do PS?

    Quatro pernas bom, duas pernas mau.

  4. ZE LOPES says:

    Neste preciso momento seria curioso reeditar (talvez pedindo a quem o fez que atualizasse, se ainda lá estiver…) uma longa peça publicada no Jornal Público há uns anos atrás sobre toda esta cambada e que continha várias revelações sobre relações com o poder político e económico de então (algumas delas consolidadas em saunas e ginásios, onde até um ministro foi visto a despachar, a favor da Ongoing, em cuecas!).
    O azar deste Vasconcellos (que se gabava, na altura, de ser o primeiro a trabalhar na família em várias gerações – provinha, salvo erro de uma família ligada, em tempos, à indústra dos sabões, e depois ao “Expresso” – foi, justamente, tentar morder a mão do padrinho Balsemão, numa manobra conluiada com Rafael Mora (que, embora fosse espanhol, era fundador da carrapatosa associação “Compramisso Portugal” (que -lembram-se? – fez um dos maiores encontros de gravatas do país e arredores, e inspirou Passos, via Relvas. A partir daí começaram os azares. A fuga para o Brasil não foi por acaso.
    Quanto aos créditos em dívida, qual a admiração? Era um grupo muito, muito sólido, só que o vento mudou e começou a derreter, é coisas que não se prevêem, é o mercado…

    • tentar ser o mais precisa possível.- Quem, é NUNO VASCONCELOS? filho do Engenheiro Violoncelos que ajudou O Doutor Balsemão a construir o império que é hoje a Impresa. Sua mãe filha de africanistas ricos. casou com o dono da sociedade Nacional de Sabões Roca dos Santos, ainda ficou mais rica. O pai morreu e o afilhado do Doutor BALSEMÃO, foi servindo. Quando a IMPRESA esteve praticamente falida. O afilhado pediu à mãe para investir uns milhões de Euros. Mas quis fazer parte da família por ser o maior investidor naquela altura e ter uma palavra a dizer, O padrinho nao gostou da graça e disse-lhe que não, pois não era da família e a empresa era, agora já não é. familiar. A guerra suja começa com MARIO CRESPO todos os duas a berrar na SIC N: mas quem e a ONGOING de onde vem o dinheiro da ONGOING, segue-se a cena no PARLAMENTO. Costuma dizer.se a vingança serve-se fria. Há os meio poderosos e os muito poderosos. Quem ganha?
      aqueles que ainda por cima fazem parte do clube BILDERBERG, contra a força não há resistência. Nuno Vasconcelos não é um HIS MASTER VOICE. .

Trackbacks

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s