Desnaturados


Em vez de salvarem bancos, os franceses andam a gastar o dinheiro em… em… baguettes et fourchettes. Desnaturados! 

Comments

  1. JgMenos says:

    Se assim não fosse não estariam em tão miserável condição.
    Mas o reacionarismo a reformas está aí, pronto a propor o caos como alternativa, o que sempre justifica nada fazer.

  2. José Fontes says:

    Paulo Marques:
    Está na cassete do Menos, sempre a mesma, sempre a cheirar a bolor.

  3. Rui Naldinho says:

    São eles e os portugueses!
    Nomeadamente a salvar bancos,…n’ est pás, Monsieur Juncker?

  4. Ana A. says:

    Herr Juncker!
    Por favor, do alto da sua iluminada sabedoria diga-nos quais são as “coisas certas” onde gastar o nosso dinheiro! Precisamos de um Guia financeiro! E juro que, fora eu Capitalista e o meu precioso capital seria evadido para o seu paraíso.

  5. Ana A. , subscrevo o seu comentário. o melhor aqui apresentado até agora !!!!

  6. Paulo Só says:

    Essas palavras do Juncker vão no mesmo sentido das famosas do holandês sobre as mulheres e o vinho. Esse senhor Juncker que montou um esquema para o Luxemburgo viver à custa de países pobres com a Grécia e Portugal já deveria ter sido posto para fora a Europa há tempos. Mas a “esquerda” vai engolindo tudo, e temos de lutar contra o que eles fazem e ainda contra o que eles dizem. Que tal impor uma taxa de 1% sobre todas as transações financeiras na UE? Um ano depois não haveria mais deficits em nenhum país da UE. Mas nem 1% eles largarão a bem. Largarão a mal, quando o fascismo tomar o poder como quer o nosso amigo Menos: serão os fascistas a fazer o que a que a “esquerda” não tem coragem para impor. E claro que fugirão com a massa, e como bons fascistas vão gastá-la com padres, meninos e drogas.

  7. omaudafita says:

    Resumindo, os franceses andaram a gastar acima das suas possibilidades…

  8. anti pafioso. says:

    Srº PPC era bom que meditasse neste comentário.

  9. JgMenos says:

    Os resultados medem as políticas.
    A França endivida-se e não cresce.
    Tem uma economia bem estribada em subsídios e acomodada a políticas europeias que que lhe escoam excedentes agrícolas.
    Até me dava algum gozo ver o ‘Grandeur de France’ entregue ao Mélanchon sem Europa.
    Vêm aí as passeatas, greves e verborreia que sempre acompanham a reacção às reformas.

    • Paulo Só says:

      A mim não me dava “gozo” nenhum. Essa é a diferença com a sua atitude de ódio e desprezo, homóloga à do seu Salazar de havaianas. Não me “dá gozo” ver os problemas dos outros. São as pessoas que medem e sofrem as políticas, e as que têm sido executadas por conservadores e sociais-democratas não têm dado bons resultados, pelo menos para os 15% que vivem abaixo da linha de pobreza, tanto na França como na Alemanha. Esse é o resultado precisamente da política de “Grandeur de la France”. Estas eleições pelo menos tiveram o mérito de demonstrar que o FN não tem nada a oferecer além de precisamente ódio e desprezo. Quanto ao resto, veremos. Nem tudo se resolve com esquerda/direita como no futebol. Foi o De Gaulle, que não era um esquerdista, que assinou a paz na Argélia.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s