O copo meio cheio ou meio vazio

O PSD diz, agora, que o que se passa na economia se deve ao seu trabalho enquanto delegação da Troika. Não dizia o mesmo há um ano, quando a economia ainda estava em queda. Nessa altura, a culpa era da geringonça. 

O PS vangloria-se dos actuais resultados. Pelos vistos, no espaço de um ano, conseguiu convencer hordas de turistas a invadirem o nosso país. Não foi o clima de insegurança noutros destinos turísticos, aliado ao crescimento das low-cost por cá,  que está a operar este pequeno milagre. 

Para uns, o copo estará meio cheio e, para outros, estará meio vazio. Haverá, ainda, quem afirme que o copo não existe – foi para uma offshore. 

O ridículo não mata 

Não mata e Cristas é a prova viva disso. 

Assunção Cristas, chique a valer

Na apresentação da poderosa coligação que reúne CDS-PP, PPM e MPT em torno da candidatura de Assunção Cristas à CM de Lisboa, Gonçalo da Câmara Pereira, vice-presidente dos monárquicos, elogiou a candidata por ser, “acima de tudo“, “uma mulher casada, que provou, como a maioria das portuguesas pode trabalhar e ter filhos“, uma vez que “não descurou o trabalho e não descurou a casa“. Podíamos ficar horas à volta destas declarações, que colam a mulher ao papel de simples dona de casa, numa era em que os casais modernos dividem irmãmente as tarefas da lida, e que de resto nos transportam para as declarações de Paulo Portas em Setembro de 2015, que dissertava sobre o papel da mulheres na sociedade, que ” sabem que têm de organizar a casa e pagar as contas a dias certos, pensar nos mais velhos e cuidar dos mais novos“. Porque o homem, Deus nos livre e guarde, tem tarefas mais másculas para fazer. [Read more…]

O Rally de Braga, o Enterro da Gata e os TUB

tub_enterro_da_gata2
Jactância não falte nunca aos talentosos gestores dos Transportes Urbanos de Braga!
Não falte!
Por estes dias, vai acontecer em Braga uma corrida de carros, dentro e à porta da zona antiga da cidade bimilenar. A corrida de carros vai naturalmente trazer alterações ao quotidiano de quem visite, de quem trabalha ou estuda na cidade e que, por essas razões, pretende chegar aos lugares de trabalho ou de estudo.
E é nestes últimos que me vou focar.
Assumamos que a realização de um corrida de carros dentro de uma cidade que se orgulha dos seus dois mil anos de história é consensual.
Posto isto, a cidade organiza-se e prepara-se para o que lá vem. [Read more…]

Disneyland Quartel do Carmo

PedroGuimaraes_varias_2793© Pedro Guimarães, 2017.

Liga Salazar

Colectivo abandonam estádio após serem impedidos de mostrar tarja de descontentamento

Uma verdade inconveniente

Um homem dá por si a actualizar-se sobre o que se passa no mundo, e descobre que Ivanka Trump, a filha do presidente norte-americano cujos produtos foram ilegalmente promovidos pela alucinada conselheira Conway, com o selo e a bandeira dos Estados Unidos como pano de fundo, foi escolhida pelo pai para liderar um painel de especialistas que irá rever a posição dos EUA nos vários acordos aos quais está vinculado, nomeadamente o Acordo de Paris, no âmbito do combate às alterações climáticas.

Escusado será dizer que a filha do troglodita tem literalmente zero experiência na área que vai agora liderar. Claro que, depois da nomeação de um negacionista das alterações climáticas com ligações à indústria petrolífera para a pasta da Energia, entre outras que me fazem por vezes duvidar se tudo isto é real ou uma spin-off do House of Cards, já pouco me surpreende. O fundamentalismo neoliberal está preparado para arruinar definitivamente o ambiente, quiçá na expectativa de no futuro facturar milhões com oxigénio e derivados. [Read more…]

Economia portuguesa cresce 2,4% no primeiro trimestre

Marques Mendes anunciou, está anunciado.

Sobre a Eurovisão…

Admiro a Luísa Sobral, mas quando li que tinha composto a canção vencedora do festival da canção, nem me dei ao trabalho de ouvir. Seria impossível não ter reparado nos inúmeros posts publicados no FB, passei a reconhecer Salvador Sobral através de foto e continuei sem ouvir a canção. Até ontem, Domingo de manhã, já sabendo que vencera o festival da Eurovisão, evento que não me diz rigorosamente nada, razão pela qual não embarquei na euforia colectiva, pois como poderia celebrar algo desprovido do mínimo interesse da minha parte, por não lhe reconhecer qualquer qualidade musical? Já passaram mais de 20 anos desde a última vez que gastei umas horas com tal evento e não seria agora que mudaria de atitude. [Read more…]